Agentes infectados no Amazonas

Policiais militares do Amazonas sentem de perto o impacto da pandemia. A estimativa é que o número de infectados pela Covid-19 já passe de mil no Estado, envolvendo desde soldados a oficiais da mais alta patente da corporação.

Até meados do mês de maio, pelo menos 15 PMs teriam morrido em consequência do novo coronavírus. No entanto, mais de 738 doentes se recuperaram da doença, segundo a assessoria de comunicação social da PM-AM (Polícia Militar do Amazonas).

A divulgação de informações da PM sobre a pandemia é muito restrita. Exige muita ‘quebra de braço’ para se conseguir algum dado. Mas está evidente que a doença vem se expandindo entre os policiais militares, segundo fontes não oficiais. A doença avança em Manaus e nos municípios do interior do Estado, onde atuam PMs em parceria com policiais civis.

A classe está mais vulnerável ao novo coronavírus. Por um motivo muito simples: a exposição diária nos trabalhos diários de combate à criminalidade aumenta consideravelmente a possibilidade de contágio. Pensando nisso, o comando geral da PM vem intensificando as medidas de prevenção com desinfecção de unidades e fornecimento de EPIs (Equipamentos de Uso Individual), além de máscaras, luvas e álcool em gel e líquido para os policiais.

Em termos de recuperação de pessoal que venceu a Covid-19, a PM tem dados positivos para comemorar.  Afinal, os recuperados ultrapassam o número de mortos. “Não mediremos esforços para cuidar dos nossos policiais militares. A nossa preocupação é com a segurança e o bem-estar da tropa”, ressalta o comandante-geral da PM-AM, coronel Ayrton Norte.

Segundo o oficial, mesmo com a pandemia em ascensão no Amazonas, a corporação não medirá esforços em cumprir o seu papel essencial – a de proteger a população da criminalidade e ainda prestar serviços de utilidade pública em diversos setores.  

“Mantemos nossas atividades. Estamos felizes com o número de recuperados. Continuaremos trabalhando sempre para servir e proteger a população de bem e cuidar da nossa Polícia Militar”, acrescenta o oficial.

As ações também se estendem ao interior do Amazonas, para onde são enviados EPIs aos policiais que trabalham nos 62 municípios. Por lá, muitos deles apresentaram a doença. Segundo a assessoria da PM, o atendimento de saúde se estende também a familiares de policiais que se contagiaram com o novo coronavírus.

De acordo com a diretoria de saúde da corporação, a PM está agilizando o tratamento de policiais junto com suas famílias acometidos pela doença, fornecendo as medicações específicas do tratamento. Os remédios são entregues diretamente pela farmácia do comando geral. 

Um aplicativo, chamado Sasi, possibilita consultas médicas online aos PMs e seus dependentes. Testes rápidos também são realizados para diagnósticos. Até a metade de maio, foram distribuídas 27.600 máscaras de proteção, 53.500 pares de luvas, 5.050 litros de álcool liquido e 5.642 litros de álcool em gel, aponta o comando geral da Polícia Militar.

O pessoal que trabalha nas unidades prisionais também recebe assistência e proteção contra a Covid-19. Médicos, enfermeiros e ainda psicólogos mantêm atendimentos à corporação. Os que testam positivo para o novo coronavírus são assistidos por uma equipe médica da Policlínica da PM. Esse serviço também se estende a custodiados.

 O laboratório da Policlínica da PM revela que já foram realizados mais de mil exames em policiais e seus familiares, além de funcionários civis. E todos os dias são realizados atendimentos para diagnósticos da doença.

Fonte: Marcelo Peres

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email