Acel quer que novas regras para celulares permitam competição

O presidente do con­selho da Acel (As­sociação Nacional das Operadoras de Celulares), André Mastrobuono, afirmou que o setor de telefonia celular investiu R$ 34 bilhões no Brasil nos últimos sete anos, gerando 100 mil empregos e reco­lhendo R$ 12 bilhões em tributos. Segundo ele, o modelo da telefonia celular implantado no país permitiu que o setor alcançasse o número expressivo de 120 milhões de usuários, e que 60% das famílias das classe C, D, E tivesse pelo menos um telefone celular em casa.
Ao apresentar os números ontem na abertura do 2º Acel Expo Fórum, em Brasília, ele disse que estudo da FGV (Fundação Getulio Vargas) mostrou que o setor contribuiu com 1,5% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2006.

Setor tem dificuldades para crescer, diz entidade

André Mastrobuono de­fendeu um ambiente ins­ti­tucional estável para o segmento com “previsibilidade do arcabouço regulatório”. Mastrobuono expressou a dificuldade do setor em financiar a expansão da telefonia celular uma vez que os novos investimentos são para alcançar classes de baixa renda da po­pulação, em que o retorno financeiro é menor.
O presidente da Anatel (Agência Nacional de Te­le­comunicações), Ronaldo Sar­denberg, reiterou que a agência deverá fazer neste semestre licitação de novas licenças para exploração de telefonia celular. Segundo ele deverão ser levadas a leilão sobras de faixas de frequência e também a subfaixa H de telefonia móvel de terceira geração, a chamada 3G.
“As licitações levarão ao aumento da oferta e a um nível maior de competição. E isso se reflete em redução de preços para os usuários”, disse Sardenberg, na palestra do 2º Acel Expo Forum. Sardenberg também afirmou que a agência não tem tido problemas para criar regulamentos que acompanhem a evolução da tecnologia. Segundo ele, o início do uso da telefonia celular em terceira geração abrirá um novo horizonte para a banda larga no país.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email