Pesquisar
Close this search box.

Manawara expande operação, implanta modelo de franquias e visa mercado internacional

Compartilhe:​

De Manaus para São Paulo, a Manawara, marca de doces produzidos com insumos amazônicos, deu um passo em direção à expansão. Há pouco tempo, a empresa inaugurou a abertura do primeiro quiosque em Santo Amaro (SP). O  início dessa operação simboliza também o começo de um outro modelo de negócio: o de franquias! De acordo com o CEO da Manawara, Mércio Sena (foto), as projeções iniciais confirmaram-se positivas e a tendência é de crescimento e expansão.

“Nossa meta inicial era vender cinco unidades de franquias nestes últimos seis meses do ano e conseguimos isso em poucos dias. Diante da demanda, resolvemos abrir mais algumas unidades, de acordo com nosso planejamento estratégico”, afirma o empreendedor.

Conforme Mércio, a expectativa é que, até o final de 2023, a Manawara possua 11 unidades, entre próprias e franquiadas. Com projeções de entrada em outras capitais brasileiras e, inclusive, no cenário internacional, o CEO recorda que a idealização da marca ocorreu há seis anos, com a pretensão de se criar ‘um modelo de negócio com qualidade de produto e com impacto socioambiental’.

“A escolha se deu pelo profundo apreço que tenho por esse ecossistema e por todos que aqui vivem. Também por perceber o enorme potencial das matérias-primas aqui existentes, muitas delas ainda completamente inexploradas, e dos sabores únicos”, analisa.

Fundada há três anos, a empresa possui 11 funcionários e uma área fabril de 2 mil m². Em seu portfólio, com mais de 20 produtos, insumos como açaí, guaraná, taperebá e cupuaçu são as principais matérias-primas utilizadas na fabricação de balas de goma, castanhas e biscoitos – contando com opções veganas, sem glúten e sem lactose.

Até maio deste ano, foram vendidas cerca de 18 mil unidades dos produtos da Manawara, representando um crescimento de 5,5 %, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Para a obtenção das matérias-primas a empresa possui parcerias com produtores e grupos locais. “Utilizamos as castanhas, polpas de frutas, polvilhos e farinhas. Hoje, o guaraná utilizado vem de Maués, a castanha é beneficiada pela Assoab (Associação dos Agropecuários de Beruri), vinda da Resex Mamirauá. O polvilho dos biscoitos vem de Iranduba, o mel, de Boa Vista do Ramos, a farinha de coco de produtores do Acre. Praticamos o comércio justo e, em nosso recém-lançado modelo de franquias, estamos prevendo um fundo em que parte do faturamento será revertido em apoio às comunidades amazônicas”, explica.

Segundo Mércio, um outro ponto focal do projeto de expansão da empresa é o e-commerce. Com participação significativa, principalmente em São Paulo, a marca também comercializa os seus produtos no modelo B2B.

Como metas, o CEO afirma que os próximos planos são a consolidação do modelo de negócio da Manawara, realização de investimentos nas franquias e o lançamento constante de novos produtos, visando também a entrada em mercados estrangeiros.

“Nossos produtos estão sendo analisados pelo mercado chinês – JD, gigante do e-commerce, o Departamento de Comércio da China e uma rede de supermercados em Beijing com clientela de estrangeiros demonstraram interesse em abrir negociação. Além disso, a Manawara fechou negócio com o grupo JHSF Fasano, que vai disponibilizar balas de frutas da empresa em quartos de hotéis em São Paulo e Rio de Janeiro”, comenta.

(FOTO)

Sextech: tecnologia substitui parceiros íntimos

De acordo com o Relatório Future of Sex, em 2045, pelo menos 10% dos jovens farão sexo com robôs! Nas décadas recentes, percebemos uma mudança no comportamento humano em relação ao relacionamento íntimo, que deixou de ser iniciado pelo flerte, beijos, encontros, carícias etc.  e passou a ficar mais no âmbito das necessidades fisiológicas, sem muito nhêm-nhêm-nhêm.

Além desse dado, dias atrás, o ex-executivo do Google, Mo Gawdat, fez uma previsão surpreendente: robôs sexuais hiper-realistas, que podem tornar obsoletas as relações humanas íntimas, estão mais próximos de ser realidade do que imaginamos. Ele justifica a afirmativa, dizendo que “basta pensar em todas as ilusões que agora somos incapazes de decifrar, ilusões da verdade… o sexo acontece no cérebro, no fim das contas. O lado físico não é tão difícil de simular.” E, como se pode ligar a tecnologia diretamente ao sistema nervoso, como é o caso da inovação ‘Neuralink’, pra quê se relacionar com humanos nos momentos íntimos?! Essa é uma questão que pode ter impactos  na espécie humana! Temos, atualmente, a população mundial envelhecendo a passos largos, casais tendo menos filhos, por conta – principalmente – da condição financeira. Agora, os robôs podem substituir os parceiros na hora do sexo, o que mais vem pela frente?

Conectividade no Norte do país deverá melhorar com implantação de Infovias 

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e a Entidade Administradora de Faixa (EAF), anunciaram nessa semana, o início da implementação de três das seis Infovias na Bacia Amazônica, conforme previsto pelo edital do Leilão do 5G. A chinesa ZTT Submarine Cable & System fabricaram os 2,3 mil quilômetros de cabo óptico subaquático que chegaram ao Brasil pelo porto CECMA, em Manaus. As três infovias fazem parte do Norte Conectado, programa do Governo Federal que prevê a implementação de nove infovias pelos rios da Amazônia. A EAF será responsável pela construção de seis delas, com mais de 10 mil quilômetros de cabos subaquáticos e investimento de cerca de R$ 1,34 bilhão. A primeira etapa vai conectar 26 cidades de quatro estados da região Norte.

Com lançamento de programa de moda circular, Dafiti quer ajudar meio ambiente e instituições

A Dafiti está lançando uma iniciativa que pretende reaproveitar roupas, de modo aumentar a sobrevida das peças e com isso reduzir os resíduos gerados e, vai além, os itens serão doados a instituições. O programa foi chamado de ‘Dafiti Circula’ e começou em São Paulo, com a distribuição de caixas coletoras em 35 pontos Retira Fácil. Depois, a Kangu, parceira nas entregas da Dafiti, irá realizar a coleta dos itens. Essa destinação será encaminhada para a ONG Cerzinho, responsável pela curadoria e reparo das peças e terá a liberdade de usar os itens aos seus beneficiários ou vender no bazar. Esse modelo de negócio pode ser muito bem adaptado para qualquer parte do planeta. Seria muito legal ter uma iniciativa dessas por aqui!

RÁPIDAS & BOAS

A  Microsoft está com inscrições abertas até a terça-feira (15/8) para o ‘Al Skills Initiative’, programa de treinamento sobre inteligência artificial, com recursos de aprendizado direcionado a auxiliar pessoas e comunidades do planeta a compreender e utilizar todo o potencial da IA. A nova iniciativa é composta de cursos gratuitos, em parceria com o LinkedIn. A inscrição está disponível através do link (https://abre.ai/gwWY).

*****************************************************

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), e do Fundo Municipal de Empreendedorismo e Inovação (Fumipeq), está com inscrições abertas até a sexta-feira (18/8) para o programa “Pré-Aceleração de Startups”, que faz parte do edital “Mais Inovação”, e é executado pela organização “Inova Mais”. Para outras informações, basta acessar o link (https://www.inovamaismanaus.com).

Cristina Monte

Cristina Monte

Cristina Monte é articulista do caderno de economia do Jornal do Commercio. Mantém artigos sobre comportamento, tecnologia, negócios.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar