Pesquisar
Close this search box.

Cortando benesses

Compartilhe:​

O governo central pressiona para reduzir favores concedidos às classes mais abastadas, o que corrobora para uma maior igualdade de renda, e ainda para aumentar a taxação de grandes fortunas, reduzindo impactos negativos em outros estratos sociais.

Ontem, a CAE (Comissão de Assuntos Econômicos do Senado) aprovou nesta quarta-feira (22) três projetos que aumentam a arrecadação de impostos por meio de mudanças na taxação de fundos de investimentos exclusivos e offshores (empresas no exterior), das empresas de vídeo por demanda, os streamings, e também das apostas esportivas online, as chamadas bets.

O projeto de lei que trata dos fundos exclusivos, que exigem um investimento mínimo de R$ 10 milhões, e das offshores, que são empresas no exterior que administram fundos de investimentos, faz parte da estratégia do governo federal de aumentar a arrecadação de impostos aumentando os tributos dos mais ricos do Brasil. A estimativa é arrecadar R$ 13 bilhões somente em 2024.

Atualmente, esses fundos só pagam Imposto de Renda na hora de sacar o dinheiro, enquanto os demais fundos do país pagam imposto todo semestre, cobrança conhecida como “come-cotas”.

Pelo projeto aprovado, as regras dos fundos exclusivos serão igualadas às dos demais fundos. Com isso, os super-ricos pagarão o come-cotas a partir de 2024 de 15% sobre o rendimento para fundos de longo prazo, sendo 20% no caso dos investimentos de até 1 ano (curto prazo). Os fundos serão tributados a cada 6 meses.

Porém, quem optar por começar a pagar a alíquota neste ano ganha um desconto, pagando apenas 8% sobre todo o rendimento que o fundo teve até o momento, contra os 15% ou 20% de quem não aderir a antecipação.

Atualmente, apenas 2,5 mil brasileiros aplicam em fundos exclusivos, que somam R$ 756 bilhões em patrimônio e respondem, sozinhos, por 12,3% da indústria de fundos do Brasil.

Em relação aos fundos offshores, muito usado por investidores super-ricos que entregam bens no exterior para terceiros administrarem, o projeto prevê uma cobrança anual de 15% de IR a partir de 2024. A tributação será feita uma vez ao ano, no dia 31 de dezembro.

Atualmente, quem tem dinheiro em offshore só paga 15% de IR sobre o ganho de capital quando e se o dinheiro voltar ao Brasil.

“Volto a reiterar a importância do projeto como um passo adiante da justiça tributária no Brasil, garantindo tributação em parâmetros absolutamente compatíveis com a média internacional daqueles que mais recebem, que mais têm recurso para contribuir com nosso país”, disse o relator do projeto, senador Alessandro Vieira (MDB-SE).

O projeto segue em regime de urgência para análise do plenário. A CAE também aprovou que os serviços de streaming, como Youtube, Instagram e Netflix, deverão pagar taxa para o incentivo da indústria de audiovisual brasileira.

O percentual a ser pago pelas plataformas será de até 3% sobre a receita bruta, superior a R$ 90 milhões. “Trata-se de proposta equilibrada de regulamentação, que busca fomentar a produção audiovisual brasileira independente, ao mesmo tempo que não cria barreiras excessivas aos diversos agentes provedores de vídeos sob demanda no mercado brasileiro”, argumentou o relator do projeto, Eduardo Gomes (PL-TO).

Atualmente, a taxa já é paga pelas TV aberta, TV por assinatura, cinemas e operadoras por celular e internet. Se produzirem conteúdo nacional, os serviços de streaming poderão ter um abate de impostos.

PL 2.331/2022 ainda passará por turno suplementar de votação na comissão antes de seguir para a Câmara dos Deputados.

Os senadores da comissão aprovaram ainda a regulamentação das apostas esportivas online de cota fixa, chamadas bets. Pelo projeto de lei, o apostador pagará 30% de Imposto de Renda sobre a parcela dos prêmios que exceder a faixa de isenção. Já as empresas do setor ficarão com 82% do faturamento bruto, descontado o pagamento de prêmios e imposto de renda, e não mais com 95%, como prevê a Lei 13.756/18, que criou esse mercado e não tinha sido regulamentada.

Nota abre Perfil

Auxílio vem da bancada

Enfim, o prefeito de Manaus, David Almeida, conseguiu fechar acordo para a liberação de recursos que, segundo ele, são fundamentais para obras na capital. Ontem, ele anunciou que a bancada federal abriu caminhos para a suplementação de verba federal após reunião realizada em Brasília. Nos últimos dias, o gestor municipal tem feito uma peregrinação em busca de novos investimentos. Porém, tem enfrentado grandes gargalos para o cumprimento de metas.

“Serão recursos para conter as erosões (voçorocas), para limpeza e desassoreamento de igarapés, para infraestrutura viária da cidade. Temos as UBSs, as creches. Todas essas áreas serão contempladas com as emendas que os deputados e senadores estão destinando para a cidade de Manaus”, afirmou Almeida logo após o encontro com os parlamentares amazonenses

Diversificação

Esforço bem-sucedido. Segundo o prefeito, os três senadores do Amazonas sinalizaram com aporte de recursos para Manaus, em diversas áreas. Dos oito deputados federais, seis também indicaram apoio com emendas. “Inclusive, pelo que temos de conhecimento, é a maior manifestação de apoio para Manaus por parte de uma bancada amazonense”, disse ele. O coordenador do grupo, senador Omar Aziz (PSD-AM), confirmou que dará agilidade para a liberação das emendas.

Reenvio

David Almeida ainda não desistiu do pedido de empréstimos de R$ 600 milhões enviado para a Câmara Municipal, mas que acabou sendo rejeitado pelos vereadores. Segundo ele, a proposta será reenviada ainda esta semana à CMM. “O projeto ficou pronto. São R$ 580 milhões. Uma nova proposta que estamos enviando para que possa ser deliberada, apreciada e votada pela Casa”, afirmou o prefeito, admitindo que houve problemas em relação à primeira matéria analisada pelo plenário da Câmara.

Urgência

O governo do Amazonas também corre atrás de novos recursos. Ontem, o governador Wilson Lima (UB) pediu à Assembleia Legislativa, em regime de urgência, a autorização para emprestar 200 milhões de dólares, o que corresponde a cerca de R$ 980 milhões, do International Bank for Reconstruction and Development (IBRD). Os recursos, segundo o projeto de lei encaminhado à Casa, serão destinados ao Programa de Sustentabilidade Fiscal, Econômica, Social e Ambiental do Estado, na segunda fase.

Urgência 2

Segundo Wilson Lima, a proposta contempla a ampliação da capacidade de investimentos ao reforçar os instrumentos de preservação da floresta. Além de fortalecer as políticas de desenvolvimento econômico sustentável, alavanca novos recursos em habitação social e saneamento básico, como também assegura o crescimento econômico com sustentabilidade fiscal, social e ambiental, sob a coordenação da Sefaz (Secretaria de Estado da Fazenda). Boa justificativa. 

Corrupção

O MP-AM diz estar de olho nas escolas de samba. O Centro de Apoio Operacional às Promotorias Eleitorais foi acionado pelo Comitê Amazonas de Combate à Corrupção com a solicitação para que o coordenador do Centro, Mauro Roberto Veras Bezerra, faça o acompanhamento da verba pública encaminhada às agremiações carnavalescas que vão homenagear políticos e seus parentes nos desfiles do Carnaval 2024. O objetivo da iniciativa é para que não aconteçam benefícios a pré-candidatos.

Moradias

Ontem, o governo federal anunciou a primeira seleção de propostas para o programa Minha Casa, Minha Vida. Essa etapa está direcionada à Faixa 1 do projeto, destinada a famílias com renda mensal de até dois salários mínimos, ou R$ 2.640. O anúncio das propostas selecionadas é a primeira etapa do processo de implementação das medidas, que são realizadas em parceria com o Ministério das Cidades. Os pedidos selecionados terão prazo de 150 dias para serem contratados. Muitas expectativas.

Queimadas

Mais um ultimato. Ontem, o Ministério Público do Amazonas cobrou do informações do Ipaam sobre os procedimentos administrativos instaurados relacionados às queimadas ilegais. O MP-AM pretende responsabilizar, nas esferas cível, criminal e administrativa, aqueles “que, de maneira criminosa, desencadeiam incêndios na Amazônia”. O pedido abrange uma variedade de dados, incluindo todos os autos de infração emitidos, e ainda aspectos sobre áreas embargadas e multas.

FRASES

“Nunca se viu tanto apoio de uma bancada federal”.

David Almeida (Avante), prefeito, ao anunciar liberação de verbas para Manaus.

“Somos campeões mundiais”.

Messi, jogador, durante bate-boca com Rodrigo no jogo catastrófico, no Rio.

Redação

Redação

Jornal mais tradicional do Estado do Amazonas, em atividade desde 1904 de forma contínua.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar