SER PROTAGONISTA

Muito se tem falado da pessoa assumir a responsabilidade de suas ações, tomar o papel principal e se permitir ser o autor e ator principal de sua história.

Confesso que também sou favorável nesta visão de olharmos o cenário ao nosso redor e buscarmos todos os meios e recursos para fazer o que precisa ser feito sem justificativas ou desculpas para chegarmos aos resultados planejados. Uma alerta, é sobre aproveitar o caminho e também não se afogar em inúmeras exigências internas e externas em busca de ser super homem e super mulher.

No meio corporativo muitos desafios neste sentido são encontrados, pois é o ligar onde nossas habilidades são mais colocadas à prova. Ser um profissional com visão protagonista não é fácil, mas competências sempre são adquiridas se pensarmos em atuar na constante evolução.

Ser protagonista é ser responsável pelo seu trabalho e assumir condutas que permitam com que não haja dependência completa dos superiores ou de outras pessoas responsáveis para fazer o resultado acontecer.  

Ser protagonista passa pelo processo de proatividade, saber agir de formas diferentes em determinadas situações, ser ético e correto no avanço das possibilidades sem paralisar diante das dificuldades ou no desejo de levantar culpados para não ir profundo na resolução real do problema.

Algumas atitudes podem ser tomadas para que essa forma de agir seja natural e faça parte do seu repertório comportamental:

  • Fortaleça o autoconhecimento: Quando fazemos perguntas a respeito de onde estamos, onde queremos chegar e como podemos agir para alcançar os objetivos, a mente clareia e conseguimos ter uma direção pautada no que queremos e no que podemos criar de alternativas. Portanto, queira passar um tempo consigo e invista no fortalecimento do seu autoconhecimento para compreender quais são seus “impulsionadores” e quais são suas “correntes”;
  • Aprenda novas habilidades: Nenhum conhecimento é demais e nunca é tarde para adquirir novas competências. Um profissional fora da curva é aquele que consegue enxergar além do que o campo de visão permite, é ele que vê os possíveis erros e age para saná-los, ele quem busca novas formas de continuar se reciclando e buscando o conhecimento como forma de utilidade para as pessoas e para os processos. Quanto mais se sentir seguro, mas ampliará as possibilidades para agir de forma protagonista.
  • Peça feedback: No ambiente corporativo as pessoas são avaliadas o tempo inteiro: os comportamentos, a forma de se relacionar com os demais, o jeito para resolver as situações difíceis. Por este motivo e outras razões, peça feedback de colegas e superiores, busque e colha dados para aplicar na sua melhoria pessoal. Ter a visão e percepção dos que estão ao seu redor permite entender quais situações tem conseguido protagonizar e quais tem se colocado como plateia ou figurante em uma história que é sua.
  • Tome postura de líder: A atuação de um líder vem daquele que busca ser melhor todos os dias. Você não precisa conduzir uma equipe para ser considerado líder. Você é líder também quando toma atitudes decisivas ou que possam beneficiar todo o grupo. Aliás, todo gestor deveria ser um líder e todo líder, por natureza, é um protagonista.

Sabendo alguns comportamentos que estão de acordo com o profissional protagonista, fica mais fácil reavaliar a sua história, rever os comportamentos que fazem com que você não tome atitudes ou se retraia quando o meio pede que você possa agir.

Todos conhecemos alguém que tem dificuldade em falar o que pensa, o que sente e quais soluções imaginou para um problema. Além da falta de autoconfiança que pode ser um fator que está determinando as atitudes destas pessoas, há por trás também outras características que podem ser observadas: personalidade, medo excessivo, falta de habilidade, receio em comunicar e não ser compreendido, insegurança. Todos estes aspectos, afastam pessoas incríveis e altamente capazes de serem protagonistas.

Você não merece viver uma vida escondida, receosa e anulada. Queira mais, você pode mais, basta que tome consciência das atitudes que limitam os meios de ação e avance nas mudanças.

Cintia Lima

Psicóloga, Mentora de Líderes e Coach Executiva

@psi.cintialima

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário