REPROVAR

As maledicentes e levianas matérias veiculadas por jornalistas inconsequentes bem atestam a vontade mórbida de conduzir o voto do incauto , que já aprendera separar o joio do trigo; não permitindo que tais abutres adentrem seus lares para lhes dizer que a família hoje deve receber melhor tratamento por se tratar referido ato de “interesse público”. São os mesmos “ensaboados” a ateus que em ano de eleição ressurgem das cinzas na vã tentativa de buscar uma proximidade que enterram após o término da eleição.

Cuidar da verdadeira estrutura familiar é muito mais que buscar voto. Relembremos que Haddad e sua  vice há 4 anos atrás tiveram a audácia de irem a uma missa. Foram cínicos na busca de votos dos católicos, menosprezando nossa inteligência. Numa sociedade livre fruto de uma nação onde há liberdade, não se admite atitudes momentâneas que serão relegadas no dia seguinte; o que se nos afigura inconcebível porque contém a eiva do dolo.

Lembrar agora dos evangélicos é ressuscitar o ato perpetrado por Haddad. E, de nada adiantará, menos porque não se derruba um conservadorismo vigente há décadas, onde os cristãos todos temem a Deus; mas muito mais porque a má-fé e o cinismo de uma categoria de hipócritas que desejam o poder não reune credibilidade, muito menos caráter. Cuidar da família é dever do  seu chefe, cabendo ao Estado dar escolaridade, assistência social e ensino superior.

Não se pode esquecer que o PT e o PCB invadiram igreja católica em Curitiba e que evangélico e todos nós cristãos condenamos o crime organizado, bem como o Presidente ditador Ortega, apoiado por LULA, que já fechara em seu país, a paupérrima Nicarágua, inúmeras igrejas. Negar o cristianismo é ofender os cristãos, menosprezar a fé de um povo e violar o direito à livre manifestação do sentimento humano. Os cristãos não admitem a troca de apoio politico por benefícios materiais, onde suas consciências serão estupradas, tão pouco permitem  o uso da palavra “JESUS” por ateus, oportunistas  de plantão, que  no cotidiano da vida só agiram na busca de bens materiais. Pobres políticos cujos corpos arderão nas caladas da noite. A liberdade que temos , a educação que damos aos jovens e a preocupação que damos aos jovens e a preocupação com os menos favorecidos nunca fizera parte da luta daqueles que hoje se prestam a um papel sórdido, como  o de tentar impedir que evangélicos usem o seu direito de livre manifestação, ao buscar a porta de um TSE que age ideologicamente e de viés único.

Quem passa o ano ignorando o Senhor, relegando-o, não pode pretender usá-lo para fins escusos e em benefício próprio, na vã tentativa de ilaquear  cristãos de boa fé, momentaneamente. Tenham mais caráter e vergonha na cara, até porque o inciso VI do artigo 5º da Carta Magna dispõe: “É inviolável a liberdade de consciência  e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e, garantida na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias”.

Assim, Eliseu  orou: “Senhor, abre os olhos dele para que veja”. Veja  o vídeo do ex-presidiário: “Pobre é um número, pobre é usado como papel higiênico; tem utilidade nas eleições, mas depois joga ele fora e esquece”. 

Manaus/AM, 31 de Setembro de 2022.

JOSÉ ALFREDO FERREIRA DE ANDRADE

Ex- Conselheiro Federal da OAB/AM nos Triênios 2001/2003 e 2007/2009 – OAB/AM A-29

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário