Que história sua história conta?

A história de vida de cada indivíduo é uma narrativa única e valiosa que desempenha um papel significativo em moldar quem somos. Você em algum tempo já parou para pensar sobre a sua?

Refletir sobre os caminhos que compõem a sua história e abraçar seus erros e acertos farão você aproveitar ao máximo suas possibilidades de avançar considerando os aprendizados e crescimento que a experiência proporcionou.

Você deve conhecer algumas histórias como a Nick Vujicic que nasceu sem braços ou pernas devido a uma rara condição congênita. Apesar de seus desafios físicos, ele se tornou palestrante motivacional, autor e fundador de uma organização sem fins lucrativos. Ele viaja pelo mundo compartilhando sua história e motivando pessoas a superarem adversidades.

Ou a história do Chris Gardner nem que seja pelo filme, pois a vida de Chris foi retratada no filme “Em Busca da Felicidade”. Gardner passou pela situação de rua e pela luta para sustentar o filho enquanto tentava conseguir um emprego em Wall Street. Eventualmente, ele superou as adversidades e se tornou um corretor da bolsa e empresário de sucesso.

Refletir sobre sua história de vida é uma maneira valiosa de avaliar se você está no caminho certo em relação aos seus objetivos e ao seu sentido de propósito. Quem sabe pensar em uma linha do tempo e avaliar o que aprendeu em cada marco de superação, em cada momento de dor, em cada aspecto particular de seus obstáculos e superação.

Ou ainda, perguntas que só você pode responder para si mesmo que levem a entender porque tem feito algumas escolhas e quais decisões precisa tomar para avançar. Quem mais poderia responder por você, senão você mesmo sobre:

* Quem é você?

* Do que você gosta?

* O que não suporta?

* Quais seus mais profundos e loucos sonhos de vida?

* Quais momentos marcam você profundamente?

Seja verdadeiro consigo mesmo. Note que sua história de vida te conduziu até exatamente onde você está hoje. Muitas vezes queremos chegar a lugares diferentes, mas continuamos trilhando os mesmos caminhos que já constatamos que não nos leva a lugar algum. 

Outras vezes, passamos muito tempo brigando com condições que não temos absolutamente nenhuma ação de mudança. Tantas outras, em busca de tentar entender situações que não farão nenhuma diferença se compreendermos melhor.

É necessário sim valorizar tudo que já percorreu, os altos e baixos, a ampla bagagem que adquiriu e saber que toda essa linda história de vida só enriquece e te impulsa a ir mais longe.

Porém alcançar o sucesso e ir mais longe na vida é uma jornada que envolve uma combinação de autodisciplina, determinação, aprendizado contínuo e uma mentalidade positiva. Olhar para trás, pisar no agora e projetar o amanhã na medida que vive o aqui e agora.

Inspirações com a de Helen Keller que ficou surda e cega aos 19 meses devido a uma doença. Apesar dessas deficiências, ela se tornou a primeira pessoa surda e cega a obter um diploma universitário. Keller tornou-se autora, palestrante e ativista, inspirando outras pessoas com suas realizações.

Ou ainda a de Arlene Blum é uma química e alpinista que desafiou as expectativas de gênero na década de 1970. Ela foi a líder da primeira equipe feminina a chegar ao cume do Annapurna, uma das montanhas mais perigosas do mundo. Ela também lutou contra a discriminação de gênero nos campos acadêmico e científico.

Estas histórias são exemplos de como a força interior, a determinação e a resiliência podem levar à superação de desafios extraordinários a partir da própria condição, reconhecer as limitações sem deixar-se paralisar. 

Talvez você não tenha uma história de vales tão profundos, não posso saber. 

Neste momento não importa, ao refletir sobre a própria história de vida, surge uma oportunidade profunda de compreensão, crescimento e transformação. Use a sua a seu favor e ouse ser inspiração também.

Esteja aberto a redefinir seus objetivos à medida que você evolui e cresce. Que tal  fazer como Lizzie Velásquez que nasceu com uma doença rara que a impede de ganhar peso e a deixou cega de um olho. Apesar de ter sido vítima de assédio e cyberbullying, Lizzie tornou-se uma defensora do amor próprio e da aceitação. Ela é autora e palestrante, inspirando outras pessoas a abraçar sua singularidade.

É tempo de entender que se foi, aceitar o que não pode mudar, transformar o que se pode, sem deixar de ser que se é, tornar-se o que se pode ser: sempre sendo você!

Que história sua história conta?

Cintia Lima

Psicóloga, Master Coach e Mentora Organizacional

@psi.cintialima

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário