Pesquisar
Close this search box.

O aumento do acúmulo de lixo nas ruas e igarapés parte 2

Como reduzir o acúmulo do lixo das ruas e igarapés de Manaus?

Anualmente, a PMM gasta R$ 9.651.023,64 com a empresa Trairi (DOM 5122, p. 9 de 18/06/21) para remover entulhos e atividades de coleta de lixo nas margens dos rios e igarapés de Manaus. Esse dinheiro poderia está sendo melhor empregado em outras áreas se cada cidadão não jogasse seu lixo em horário e em locais inapropriados.

Abaixo elenco, algumas boas práticas para fins de reflexão:

1o) Agricultura urbana: Projeto A revolução dos Baldinhos

No início de 2011, fui a um treinamento que reuniu várias ONGs patrocinadas pela Fundação Inter-Americana, nesta ocasião conhecemos diversas soluções espalhadas pelo Brasil que poderiam se transformar em políticas públicas. Um dos projetos emblemáticos chama-se “A Revolução dos Baldinhos”, desenvolvido em SC pelo CEPAGRO <https://bit.ly/3JYbzlF> em parceria com mercadinhos, UFSC e moradores do Bairro Monte Cristo. 

Em grande síntese, no ano de 2008, a comunidade de Chico Mendes sofreu com a infestação de ratos e duas mortes por leptospirose. Para enfrentar o problema, o CEPAGRO estimulou a comunidade a acabar com a fonte de alimento dos ratos por meio do tratamento adequado dos resíduos orgânicos. A Equipe responsável visitou os mercadinhos, conseguiu doações de baldes e bombonas. Em seguida conscientizou a população sobre os benefícios da coleta seletiva, cadastrou voluntários e 150 famílias, bem como conseguiu dois locais para fazer a compostagem, um na escola América Dutra Machado e outro em um terreno às margens da Via Expressa.

Nos dias de 3a e 5a, os voluntários saem da CEPAGRO com carrinhos contendo as bombonas e os baldes, visitam dezenas de lares para recolher o lixo orgânico e o óleo, o primeiro é usado para fazer compostagem (8 ton/mês), enquanto que o segundo serve de matéria-prima para produzir sabão. Em ambos, os produtos resultantes (adubo, sabão, verduras, plantas, etc) geram renda local e a agricultura urbana é promovida com a distribuição do composto para os moradores parceiros usarem em seus jardins e hortas. 

Além disso, a metodologia do projeto foca em palestras ou treinamentos sobre compostagem, horta agroecológica e alimentação saudável. Neste vídeo <https://bit.ly/3vmg7OB> o leitor tem uma ideia básica de como funciona o projeto, o qual poderia ser muito bem reaplicado em Manaus.

2o) Biodigestores para fins Comunitários

Junto com a agricultura urbana, outra solução seria estimular as escolas, universidades, microempresários, ONGs ou famílias a adotarem biodigestores para fins coletivos.

Um biodigestor é tecnologia antiga, uma câmara fechada na qual lixo orgânico (biomassa) é fermentado anaerobicamente, liberando tanto o biogás quanto biofertilizante. 

Segundo Fernandes e Augusto <https://bit.ly/3smZGQo>, na Índia, o Instituto Indiano de Pesquisa Agrícola desenvolveu em 1939 a primeira usina de gás a partir do esterco do gado e o resultado foi tão promissor que cerca de 500.000 biodigestores foram construídos, a partir dessa experiência. Enquanto isso, na China, a partir de 1958 as primeiras unidades de biodigestores foram instaladas e em 1972 já haviam cerca de 7,2 milhões delas ao longo do Rio Amarelo. 

De lá pra cá muita coisa evoluiu, a partir da incorporação de tecnologias usadas na Indústria 4.0. Por exemplo, na África a Inclusive Energy Ltda criou o Smart Biogas, um sistema que monitora em tempo real e à distância os biodigestores espalhados nas comunidades, permitindo o acompanhamento do desempenho de cada um, o gerenciamento dos ativos, o pagamento, a identificação de necessidade de manutenção, a emissão de relatórios sobre a redução das emissões, etc.

3o) Reciclagem de Resíduos Sólidos e Economia Circular

As soluções anteriores focam no lixo inorgânico, vejamos agora duas boas práticas locais de reciclagem dos resíduos sólidos, as quais deveriam merecer atenção. 

O primeiro é o Descarte Correto <https://bit.ly/3M6HlPn>, uma empresa pioneira em transformar o lixo eletrônico em benefícios econômicos e socioambientais. Foi fundada em 2011 e utiliza os conceitos da economia circular e da logística reversa para coletar resíduos tecnológicos, processando-os, reutilizando-os, remontando computadores, gerando treinamento, emprego, renda, por meio da implementação de centros de inclusão digital.

O segundo caso é a Telha Leve <https://telhasleve.com.br/> que surgiu em 1997 para produzir telhas ecológicas e econômicas, a partir de resíduos de plásticos que possuem alta durabilidade e resistência. Pela cidade de Manaus, há centenas de abrigos de ônibus com essa cobertura ecológica, cada um usa 96 telhas, construídas com 2 mil garrafas pets coletadas pelos parceiros, contribuindo assim para o fortalecimento das associações, geração de emprego, renda, redução dos custos e poluição ambiental.

4o) Lixeiras subterrâneas

Por toda Manaus encontramos lixeiras viciadas, não há um único bairro que não sofra com esse problema. Se além das soluções acima, fosse possível investir em lixeiras subterrâneas com uso de tecnologia 4.0, nossas ruas e igarapés se tornariam mais bonitos, limpos e vibrantes. Essa solução já existe em cidades da Europa há mais de dez anos. No Brasil, algumas já aderiam às estações de lixeiras subterrâneas, com destaque a São Caetano do Sul <https://bit.ly/3poDdk5> com custo de R$ 50 mil cada uma e com capacidade de 1000 litros. Outros exemplos são o Baldenário de Camboriú <https://bit.ly/3BVmSIs>, Paulínia <https://bit.ly/3ssRqyp> e o Conjunto Habitacional da Nova União <https://bit.ly/33XVflz>, Zona Norte do município de SP, este último dá até cartão eletrônico de coleta automatizada para cada morador.

Finalmente, o aumento do acúmulo de lixo nas ruas e nos igarapés é um desafio coletivo que exige trabalho conjunto. Para tanto, o poder público precisa atacar o problema nas causas raízes, adotar uma administração participativa e moderna, pois há várias soluções e neste link <https://www.jgsilva.org/smartideas> está sendo catalogado algumas ideias inteligentes que podem ser úteis nessa empreitada.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar