Governo Bolsonaro, a Legião das Trevas

A História mostra que a população padece quando governada por militares, líderes religiosos ou pessoas apoiadas por eles, explorando o nome de divindade(s), se dizendo filho ou o escolhido por Deus, promiscuindo fé, política e militarismo. 

Eis o que pode acontecer com lideranças desta natureza: a) o General e Imperador romano, Júlio César, se dizia filho de Vênus e Eneas, mas foi assassinado pelos Senadores; b) o Califa Al Hakim que adotou o nome de Al Hakim Bi Amr Allan, mostrando-se como “Aquele que governa pela ordem de Deus”. Instável, perseguiu cristãos e judeus, destruiu templos, matou peregrinos, etc.., mas até hoje não se sabe como desapareceu; c) o Papa Bonifácio VIII, queria governar o mundo, entre 1294 e 1303. Explosivo, controverso, apoiou o armamento, promoveu as cruzadas, conflitos internacionais, saqueou e queimou a Palestrina (1298=6000 mortos), sendo deposto pelos franceses, espancado gravemente, morrendo depois de febre violenta; d) o Fascista Mussolini, mesmo ateu, usou a religião, negociou com o Vaticano, eliminou a separação entre Igreja e Estado, militarizou a política, cuja aliança com o Hitler matou cerca de 410 mil italianos, tudo isso acontecendo sob o lema “Deus, pátria e família”. Como castigo, ele e a amante foram metralhados em praça pública, dois dias antes da morte do Hitler, esse último, responsável por mais de 5 milhões de germânicos mortos na 2a guerra mundial, maioria jovens que endeusavam o Mito Alemão.

Graças a Aristóteles e Voltaire, o iluminismo e o modelo republicano contribuíram para a liberdade religiosa dentro de um Estado e Educação Laicos. Em tese, o Estado Laico não deve privilegiar nem preterir uma religião, valendo a pena ler os Artigos da CF: 5º, incisos VI, VII e VIII; 19 inciso I; 143 §1º; 150, inciso VI, alínea b; 210 § 1º; e 226 § 2º, especialmente a parte sobre a separação administrativa entre o Estado e a Igreja, vedando as relações de dependência ou alianças, permitida, porém, a colaboração de interesse público, nos termos da lei.

A pesquisa do Datafolha, feita em 2019 com 2948 pessoas acima de 16 anos, mostrou que em nosso país, cerca de 89% do povo professam uma religiosidade Cristã, maioria Católicos e Evangélicos, o que torna o país um terreno fértil para os que buscam chegar e permanecer no poder, distraindo o eleitor com o nome de Deus, valores da família e outros temas conservadores que em nada contribuem para solucionar os  problemas da região.

Se no passado, testemunhávamos uma parcela da Igreja Católica apoiando cegamente o PT, Lula e Dilma, mesmo diante do comprovado Mensalão e Petrolão, hoje, testemunhamos parcela dos evangélicos ironicamente idolatrando o Messias Bolsonaro, mesmo diante de ideias, posturas e práticas que são frontalmente contrárias aos ensinamentos de Jesus Cristo. E como em 2018, o Programa de Governo do Bolsonaro usou o lema “Deus Acima de Todos”, e após 3,5 anos, que tal refletir que tipo de Deus é esse?

1) Se Senhor odeia lábios mentirosos (Provérbios 6:16-19 e 12:22; Êxodo 20:16; Efésios 4:25; Colossenses 3:9-10; João 8:44), então como apoiar um Presidente que desde quando assumiu (1273 dias), adotou o negacionismo e já divulgou  5600 mentiras ou declarações distorcidas <https://bit.ly/3d7mieL>, 2356 relacionadas com a Covid-19 <https://bit.ly/3aJvaWx>, sendo apontado por juristas renomados como praticante de vários crimes durante a pandemia <https://bit.ly/3oUMWPo>?

2) Se a Bíblia orienta ser honesto e dá diretrizes contra o suborno e corrupção (Isaias 1:4: Salmos 112:5; Provérbios 16:13; Pedro 3:2; I Coríntios 13:6; II Coríntios 8:21; Tiago 1:27; Atos 13:35; I Timóteo 6:5), então por que apoiar clã de rachadinhas <https://bit.ly/3JnqKEd> agarrados com Condenados do Centrão, que lideram um governo que foi apoiado ou sustentado por religiosos alvos da justiça?

2.1) Ex- Fuzileiro Naval e Ex-Juiz, Wilson Witzel, que se diz cristão, mas que foi denunciado pelo MPF como chefe de organização criminosa <https://bit.ly/3Oppt31> junto com Pastor Everaldo, empresários e 4 desembargadores;

2.2) Pastor Everaldo, da Assembleia de Deus, do PSC, que batizou o Mito lá no Rio Jordão <https://bit.ly/3xWEvGs>, apontado pelo MPF  <https://bit.ly/3ndSYZH> como membro de ORCRIM que saqueou o RJ;

2.3) Pastora Flordelis <https://bit.ly/2I43zoH> da Comunidade Evangélica Cidade do Fogo,  presa desde 13/08/21, com filhos condenados e apontada como mandante da morte do seu esposo Pastor Anderson;

2.4) Pastor Gerdal Costa, Bispa Seuma Costa e filho, da Igreja das Nações da Poderosa Mão de Deus, presos e acusados de integrarem quadrilha que submetia crianças e adolescentes a trabalhos análogos aos escravos;

2.5) Pastor Malafaia, da Vitória em Cristo (Assembleia de Deus) mesmo acumulando dezenas de processos e condenações  <https://bit.ly/34KcZNV; https://bit.ly/39RfCEb; https://bit.ly/3nlrvp0> insiste em usar o nome de Deus para  enganar o rebanho, indicando votos em políticos ruins como Lula (PT), Aécio Neves (PSDB), Sérgio Cabral (MDB), Pezão e Bolsonaro. Para ilustrar, este vídeo <https://bit.ly/3yltBey> mostra como ele utiliza o templo para alavancar o Pezão, apresentando como o amigo dos evangélicos, sendo mais tarde condenado a 98 de prisão por corrupção <https://bit.ly/3HUrcuv>; 

2.6) Pastor Edir, cuja igreja Universal de Deus tem dezenas de processos e condenações na Justiça <http://glo.bo/3ym5kp1 https://bit.ly/3NnVbfJ https://bbc.in/3OINvFK https://bit.ly/3QQCa8E https://bit.ly/39ROTY1>. Durante a pandemia, ele <https://bit.ly/3NhpxQN>, Valdemiro <https://bit.ly/3yllXRF>, Silas Câmara e outros da base do Governo, fizeram campanha para manter as igrejas abertas <https://bit.ly/3xVdd35>, espalharam fake-news, atacaram medidas sanitárias, vacinas, sendo corresponsáveis pela morte de centenas de irmãos no Brasil que seguiram suas orientações <https://bit.ly/3u2XXjA>. 

2.7) Pastor Milton Ribeiro (Ex Ministro do MEC)  da Igreja Presbiteriana, Pastor Gilmar Santos, líder do Ministério Cristo para Todos (Assembleia de Deus), e Pastor Arilton Moura, da Assembleia de Deus Ministério Vila Nova. Foram alvos de Operação da PF, cujas provas colhidas pelo MPF <https://bit.ly/3u1QMYS e https://bit.ly/3nhsNkJ> apontam para a prática dos crimes de corrupção ativa, tráfico de influência, prevaricação e advocacia administrativa, todos em contexto de ORCRIM, com evidências de interferências do Messias Bolsonaro <https://bit.ly/39RQQDP>.

O Brasil sofre com o abuso do nome de Deus, políticos e religiosos de má qualidade que se apropriam do Estado Laico. E não há base teológica, no novo testamento, que permita ao cristão apoiar um Governo, cujo Deus acima de Todos, se mostrou uma verdadeira Legião das Trevas. Então, que Mateus 8, 28-34 dê sabedoria para o eleitor se livrar de políticos sujos que jogaram o país, abismo abaixo.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário