Pesquisar
Close this search box.

A Estratégia de Crescimento Verde do Japão

O Japão é um dos países mais sustentáveis do planeta e tem uma estratégia ambiciosa de crescimento verde que poderia ajudar o Brasil a alcançar a neutralidade do Carbono até 2050.

Inicialmente, agradeço ao Honorável Cônsul-Geral do Japão em Manaus, Sr. Masahiro Ogino, pelo envio do Ofício CGJM-0012/2022, dando feedback positivo sobre a leitura do artigo “Japão deseja ser uma sociedade baseada no hidrogênio”, publicado semana passada. Reitero que sou eternamente grato ao Governo e ao povo Japonês, tanto pelo auxílio financeiro e técnico do MEXT e da JICA, bem como pela impecável organização e pelo apoio recebido da população japonesa, entre 1997 e 2003, os quais foram fundamentais para transformar positivamente a vida de um jovem sonhador e de baixa renda. Agradeço também ao trabalho da equipe do Consulado local, Sr. Oda, Sra. Sandra Nagasé, Sra. Sofia Nagasé, Sra. Conceição e tantos outros colaboradores. Minasama,  makotoni domo arigatou gozaimasu.

Bem, segundo o Relatório de 2020, do Environmental Performance Index <https://epi.yale.edu/>, entre 180 países, o Japão ficou em 12o lugar em termos de cuidado com o meio ambiente, se destacando: no tratamento dos resíduos sólidos, saneamento, água potável, redução das taxas de emissão de metano, óxido nitroso, carbono negro, etc. Apesar do esforço empreendido nas últimas décadas, o Japão ainda depende fortemente de energias fósseis para sua produção de eletricidade. Óleo, Carvão e Gás ainda são usados naquela região <https://ourworldindata.org/energy/country/japan>, sendo que  em 2019, cerca de 87,45% da energia primária do país veio de combustíveis fósseis, enquanto 12,45% veio de fontes de baixa emissão de carbono.

Para superar diversos desafios ambientais, em outubro de 2020, o Governo do Japão, por meio do Primeiro Ministro Suga, anunciou a construção de um plano para alcançar emissão zero de carbono até 2050. Para tanto, o Ministério de Economia, Comércio e Indústria (METI) liderou, formulou e divulgou em 25/12/20 o “Green Growth Strategy Through Achieving Carbon Neutrality in 2050”, cujos principais documentos estão disponíveis nestes sites <https://bit.ly/33Nc4zD e https://bit.ly/3AuQYC1>. 

Essa Estratégia de Crescimento Verde é uma política industrial que visa criar um ciclo positivo de crescimento econômico e proteção ambiental, em parceria com a comunidade empresarial. O documento completo tem 204 páginas <https://bit.ly/3fWHzK2>, está dividido em quatro partes e em grande síntese, os seus principais pontos são:

P1) a defesa da tese de que combater as mudanças climáticas é uma oportunidade para mais crescimento.  Porém este não é um desafio fácil e o papel do governo é apoiar o setor privado a alcançar os objetivos ambiciosos traçados. Para tanto, a estratégia oferece uma referência para a política energética e uma pespectiva energética para o ano de 2050, a fim de ajudar a identificar as indústrias com alto potencial de crescimento;

P2) Foram listados 14 setores chaves com alto potencial de crescimento, para os quais o Governo do Japão irá providenciar as políticas necessárias e mostrar os objetivos ambiciosos que deverão ser alcançados. Os 14 setores estão divididos nos seguintes grupos:

G1 Energia: 1 Energia eólica offshore: produção de turbinas eólicas, peças e turbinas flutuantes; 2 Combustível de Amônia: queimador de combustão, usado no período de transição para a sociedade baseada no hidrogênio; 3 Hidrogênio: turbinas para geração de energia, fábricas siderúrgicas para redução do hidrogênio, navios transportadores, e eletrolisadores de água; e 4 Energia Nuclear: Pequeno Modulador Nuclear, Energia nuclear para produção do hidrogênio;

G2 e G3 Transporte e Manufatura: 5 Mobilidade e baterias para veículos elétricos e veículos de células de combustível, além de gerações de baterias; 6 Semicondudores e TICs, desde Data Centers até semicondutores para economizar eneria; 7 Marítimo: navios com células de combustível, navios com propulsão elétrica ou navios abastecidos com gás; 8 Logística, fluxo de pessoas e infraestrutura: transporte inteligente, drones para serviços logísticos, maquinário de construção a base de células de combustível; 9 Alimentação, agricultura, floresta e pescaria: agricultura inteligente, arranha-céus de madeira e uso do carbono “azul”; 10 Aviação: aviões elétricos híbridos, e aeronaves movidas à hidrogênio; 11 Reciclagem do Carbono: Concreto, Biocombustível e Material Plástico;

G4 e G5 Casas e Escritórios: 12 Construção de residências e prédios, nova geração de célula de energia solar Perovskite; 13 Circulação dos Recursos: Biomaterial, Materiais Reciclados,  Geração de Energia Residual; e 14 Indústria Relacionada ao Estilo de Vida: Descarbonização dos empreendimentos locais.

P3) Foram definidas Cinco Ferramentas Políticas

F1 Concessão de Fundos: Fundo de Inovação Verde com dois trilhões de yenes ao longo de dez anos; Estímulo de 15 trilhões de yenes em P&D e Investimento Privado;

F2 Incentivo Fiscal: 1,7 trilhão de yenes em investimentos privados ao longo de dez anos;

F3 Política de Orientação Financeira: Formulação de diretrizes para financiar a transição e estabelecer um regime de fundos de longo prazos (Um trilhão de yenes) para atrair investimentos globais relacionados com governança corporativa ambiental e social;

F4 Reforma Regulatória: em áreas relacionadas com o hidrogênio, energia eólica offshore, mobilidade e baterias; garantia de condições equitativas de concorrência em nível global;

F5 Colaboração Internacional: incentivo a cooperação com países avançados ou em desenvolvimento, envolvendo políticas de inovação, projetos conjuntos, padronização e disseminação de soluções relacionadas com a descarbonização.

Finalmente, esta lovável estratégia Japonesa abre muitas oportunidades de trabalhos conjuntos entre governos, cidades e universidades, cujas informações detalhadas podem ser obtidas junto à Embaixada do Japão no Brasil ou no Consulado Geral do Japão em Manaus. Oxalá, no Brasil, possamos em 2022, ter a sabedoria de escolher algo  diferente, um presidente e governantes com visão internacional de mundo, tão comprometidos com a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente, quanto os líderes japoneses.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar