Pesquisar
Close this search box.

A POBREZA NA CIDADE DE MANAUS E ENTORNO

Nilson Pimentel (*)

Poverty is a state of misery that causes suffering due to insufficient income, which leads to lack of food security, which in turn can generate health problems, and these factors influence learning and, consequently, professionalization, which can lead the person better remuneration and get out of poverty.

Como já comentado anteriormente, o Povo é responsável por suas escolhas e suas ideologias! O Povo Brasileiro professa a Democracia e a Liberdade como princípio! Mas há aqueles e instituições que as transgridem constantemente, como se agissem (o sofisma da enganação) em defesa delas! Em tempos de campanha política, a primeira baixa é o desprezo pelas normas morais e éticas! Avaliem seus candidatos! São tempos de cinismo, pela “crença” na idiotice do eleitor, em seu total esquecimento do passado recente! Tempos de falsas promessas e sofismas, mentiras e falsas verdades! Desprezam os compromissos com as funções obrigatórias do cargo que disputam! Como se não realizassem obrigações e sim, favores aos eleitores, pagadores de seus salários! Chega de promessas! Atualmente, nem os ‘santos’ acreditam em promessas! Com essa vindita política enviesada, o Povo fica confuso, em que eles (os candidatos) relativam a moral, a ética, os valores e os costumes familiares tradicionais, e o que fizeram (‘erros’, crimes, ladroagem, corrupção) em passado recente, na cara de pau! Como se nada tivesse acontecido! Não se pode aceitar o errado como fosse o certo ou esquecido! Pensem em suas escolhas, não comprometam seu futuro e de seus filhos! Analisem os exemplos que os cercam, depois será tarde!!! 

Contudo, o Tema do artigo é a pobreza estrutural existente em todas as sociedades do mundo, até mesmo em países ditos desenvolvidos e ricos. No Brasil e no Amazonas, a questão não é diferente. Como costumam analisar a pobreza em alguns de seus trabalhos, os economistas pesquisadores do CEA (Clube de Economia da Amazônia) pontuam que não pode ser definida como uma única forma nem universal, pois suas causas, fatores e condicionantes são diversas e variáveis em determinados espaços territoriais e no tempo, sendo uma delas -as desigualdades sociais e econômicas -, no entanto, se pode afirmar que a pobreza se refere a situações de carência na qual os indivíduos não conseguem manter um padrão mínimo de vida condizente com os fatores referenciais estabelecidos em cada contexto, cultural histórico em determinado espaço territorial. A principal variável dessa abordagem da pobreza, como medida no tempo, é a renda (mínima per capita), que em escala global (banco mundial e ONU), a linha de pobreza é avaliada em US$ 1,90 diário, nível mínimo necessário para que possa satisfazer suas necessidades mais básicas, que permite ou não manter as mínimas condições de vida na sociedade, como um nível ou parâmetro equivalente dessa pobreza, considerando pobre aquele que se encontre abaixo desse parâmetro. Aqui se analisa a pobreza relacionada ao número de pessoas vivendo em famílias com renda per capita abaixo da linha de pobreza. Na capital-estado Manaus, do Amazonas, é uma cidade que apresenta incríveis características que não se consegue vê em outras capitais de mesmo porte, como por exemplo: cidade de shoppings centers (grandes, médios, pequenos); cidade de supermercados (grandes, médios, pequenos e minimercados); cidades das drogarias; cidade de condomínios de luxo (variados) demonstrando grandes ‘ilhas de prosperidade’ circundados por grandes bairros favelados; cidade de regiões/zonas (norte, leste, etc) composta de bairros pobres; cidade composta de bairros pobres oriundos de invasão de propriedades privadas e terras públicas; cidade de invasão de margens de igarapés (sem nenhuma estrutura/saneamento) que cortam a capital; cidade do maior parque industrial da América do Sul de eletroeletrônicos – PIM (Polo Industrial de Manaus) com mais de 600 empresas e mais de 105 mil empregos diretos, terceirizados e alcançou até fevereiro/2022, a indústria alcançou US$ 4.72 bilhões de faturamento; cidade com uma população estimada, segundo IBGE/Pnad/2022, de 2,256 milhões de habitantes; apesar disso, Manaus, cidade de grande contingente de pobres e desempregados (há vários fatores determinantes para tal situação). Dentre tantos contrastes e tantas mazelas, Manaus uma cidade de desigualdades imensas, sociais e econômicas, que depois dessa crise de saúde pública da Covid-19, apresenta um quadro preocupante de pobreza e fome, mesmo contando diversos programas assistencialistas governamentais (federal, estadual e municipal), mas não programas de transferência de renda, como haveria de ser e para o pessoal do CEA, a forma única de transferência de renda dentro do sistema econômico é através do emprego formal o que somente acontece por crescimento econômico. Sem embargo de outros fatores de análise (há vários fatores, variáveis determinantes a serem analisados) a pobreza é uma determinante estrutural, que poderá crescer ou minimizar com a conjuntura econômica temporal. Somente para pontuar, no final desse 1º semestre de 2022 em que “o 9º Boletim Desigualdade nas Metrópoles”, divulgou a lista das Regiões Metropolitanas brasileiras com as maiores taxas de pobreza em 2021. O levantamento que analisa estatísticas das 22 principais áreas metropolitanas do país, demonstra que a região de Manaus tem o maior índice de pobres do país, com 41,8%”. “…como exaltar a modernidade e o progresso de Manaus diante das espantosas violência e miséria, do colapso dos sistemas de saúde, educação, transporte, da destruição da memória arquitetônica…? Com mais de 2 milhões de habitantes, Manaus teve em 2020 o pior Índice de Desenvolvimento Humano entre 16 regiões metropolitanas do país. Não é para menos: a desigualdade social é obscena”… Milton Hatoum.

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

No data was found
Pesquisar