Última reunião do ano do Codam avaliará pauta com 40 projetos

Em sua última reunião do ano, marcada para esta quinta (17), o Codam (Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas) vai deliberar sobre uma pauta com 40 projetos industriais, sendo 22 de implantação, 14 de diversificação e quatro de atualização. A pauta contabiliza R$ 2,65 bilhões em investimentos e prevê a abertura de 1.806 vagas no mercado de trabalho amazonense, no tempo de maturação das proposituras, nos três anos seguintes a sua implementação.

Caso a pauta seja aprovada na íntegra, o Codam encerrará o ano com mais de R$ 10,45 bilhões aportes produtivos na economia amazonense, divididos em 203 projetos, com previsão de gerar 7.081 postos de trabalho, ao longo de três anos. Há exatos 12 meses, os números foram R$ 5,70 bilhões, 197 e 7.502, respectivamente. O saldo apontaria para uma expansão de 3,04% na quantidade de proposituras e um acréscimo de 83,33% na injeção de capital, mas a quantidade de empregos seria 5,61% menor do que a consolidada na última reunião do ano passado (7.502).

Principal e mais tradicional segmento do PIM, responsável por 29% do faturamento da indústria incentivada, conforme dados da Suframa, o polo eletroeletrônico é um dos principais focos de investimentos dos projetos do Codam. 

Um dos destaques da pauta é a proposta de diversificação da linha produção local da Mondial, que sinaliza abrir em torno de 130 vagas no mercado de trabalho com recursos de aproximadamente R$ 159 milhões, no segundo semestre de 2021. O grupo Mondial quer instalar sua nova planta industrial na fábrica antes ocupada pela Sony – que encerrou suas atividades no Estado, há três meses – e fabricar televisores, condicionadores de ar e micro-ondas.

A maior injeção de capital vem também de uma empresa de eletroeletrônicos. O grupo Transire apresentou ao Codam projeto de R$1,420 bilhão (ou 54% do valor total da pauta). Em seguida vem o projeto da Foxconn Eletrônicos, com recursos de R$ 237 milhões, para a produção de unidades digitais de processamento. Em seguida, estão os projetos da Adargh Indústria de Embalagens (R$ 221 milhões) para tampas de alumínio, e o do grupo SMART (R$ 177 milhões).

O setor primário também está no foco das proposituras submetidas ao Codam. O programa do Governo do Amazonas de interiorização do desenvolvimento para as cidades do interior do Estado está sendo reforçado com projetos que beneficiam os municípios de Anamã, Humaitá e Manacapuru, com investimento total de R$10 milhões que deve propiciar a geração de 132 novos postos de trabalho.

Modernização e interiorização

Para o titular da Sedecti, Jório Veiga Filho, o saldo de projetos indica sinal de retomada da economia, além de confiança nos negócios no Estado. segundo o secretário estadual, uma “pauta robusta como essa” não é normal para a última reunião do ano, e volume de investimentos em projetos no interior mostra a força do setor primário no Amazonas.

“Primeiro, temos uma quantidade importante de projetos e um investimento significativo. Continuamos com projetos no interior, o que é muito saudável para a nossa economia. Há a chegada da Mondial, que vem agregar sua linha de produtos, sendo um competidor novo no segmento, o que é bom para os consumidores e para a nossa ZFM. E temos ainda Transire com um aporte muito alto, e a Smart, expandindo as suas operações para Manaus, com produção de memórias, algo novo no PIM”, comemorou.

De acordo com o secretário da Sedecti, o volume de capital produtivo mais elevado de 2020 foi alcançado principalmente em virtude da Samsung, que está investindo em modernização do seu parque e atualização das linhas para produtos mais modernos e inovadores de TV. Sobre os empregos, o executivo concorda que o número menor deste ano se deve ao perfil dos novos investimentos, que incorporam mais tecnologia de processo, mas destaca que ainda há caminhos para o Estado incentivar mais contratações. 

“Se, por um lado garantem uma produção homogênea e de alta qualidade, por outro reduzem o número de empregos necessários. É parte da modernização das atividades e do volume de produção. Por isso, devemos fomentar o desenvolvimento de novas áreas de atuação, como a bioeconomia e o Polo Digital, por exemplo, atraindo maior número de empresas para o PIM e incentivando o agronegocio, como já temos feito”, afiançou.

Confiança e sustentabilidade

Na mesma linha, o vice-presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Nelson Azevedo, destaca que a regularidade de  que o simples fato do cumprimento da agenda de reuniões para o Codam e para o CAS (Conselho de Administração da Suframa), com projetos relevantes a cada reunião, demonstra que a Zona Franca de Manaus segue atrativa para aportes de capital, com foco em proposituras sustentáveis.

“O projeto da Mondial é muito importante também para conseguirmos recuperar os empregos perdidos pela saída da Sony. E há iniciativas importantes no setor primário, que vão nos ajudar a diversificar nossa economia, com todos os cuidados ambientais necessários das empresas, que seguem comprometidas com o meio ambiente. E, apesar de todas as dificuldades da pandemia e dos ataques à ZFM, temos vários projetos de implantação nesta pauta, o que comprova que o investidor estrangeiro ainda acredita no modelo”, asseverou.

Prazo limite

A pauta inclui ainda a apresentação do calendário de reuniões do Codam para 2021, que foi definido com uma inovação: um prazo limite para que as empresas encaminhem seus projetos para análise técnica da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação) e Sefaz (Secretaria de Estado da Fazenda).

Em texto distribuído pela assessoria de imprensa da Sedecti, o secretário executivo de Desenvolvimento da Sedecti, Renato Mendes Freitas, informa que a iniciativa busca otimizar os processos de análise dos projetos. “Com um prazo adequado a ser seguido, é possível corrigir imprecisões, não conformidades na documentação e informações encaminhadas pelas empresas e, assim, evitar retrabalho, o que pode comprometer a tramitação do processo e até a retirada de projetos da pauta”, detalhou.

A última reunião do Codam deste ano será realizada no auditório da Fieam, a partir das 10 desta quinta (17). O evento se dará de modo presencial somente para os conselheiros, mas o público interessado pode acompanhar sua transmissão pelo canal da Sedecti no Youtube (Sedecti Amazonas).

Calendário Codam 2021

– 24 de fevereiro (prazo limite de entrega de projeto até 9 de janeiro);

– 29 de abril (prazo limite de entrega de projeto até 14 de abril);

– 24 de junho (prazo limite de entrega de projeto até 9 de junho);

– 18 de agosto (prazo limite de entrega de projeto até 4 de agosto);

– 21 de outubro (prazo limite de entrega de projeto até 6 de junho);

– 16 de dezembro (prazo limite de entrega de projeto até 01 de dezembro). 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email