14 de maio de 2021

Reunião traz otimismo para representantes de flutuantes

Com o saldo positivo e expectativa de uma possível retomada das atividades, o setor de flutuantes registrados como restaurante na classificação principal do CNAE (Classificação de Atividades Econômicas), deve ser a primeira categoria autorizada pelo governo a funcionar, após a ampliação do Decreto que restringe o funcionamento de balneários e flutuantes, funcionamento de bares, mesmo que na modalidade restaurante.

Representantes da Afluta (Associação dos Flutuantes do Rio Tarumã-Açu) estiveram reunidos com o governador Wilson Lima que ficou de avaliar a flexibilização das atividades. “Conseguimos pelo menos um entendimento para uma categoria o que deve avançar para outras. A gente espera que consiga flexibilizar antes do fim do Decreto”, estima o presidente da Associação,  Lúcio Bezerra. Ele acredita que até a próxima semana flexibilize todas as categorias de flutuantes. 

De acordo com Lúcio, o processo de flexibilização deve ocorrer em ciclos, os primeiros na modalidade restaurantes,  depois as demais categorias. Eles pretendem levar a demanda ao Comitê de Enfrentamento à Covid-19 na próxima sexta-feira. “Eu acredito que na próxima reunião a gente já tenha uma resposta favorável pelo menos dos flutuantes restaurantes”. 

Para o governador, a reunião serviu para que os representantes do setor pudessem apresentar suas demandas, mostrando que o Governo do Estado está aberto ao diálogo.

“Também há uma demanda antiga pela regulamentação dessa atividade, que vem se mostrando um importante vetor econômico no nosso estado, com geração de empregos e renda a partir de serviços de lazer e turismo. Estamos atentos a tudo isso, levando em conta que todas as nossas decisões precisam ser responsáveis, seguindo as orientações dos profissionais de saúde”, afirmou Wilson Lima. O governador afirmou que levará em conta as orientações dos profissionais da saúde.

Para o representante da categoria, o governo entendeu que a atividade é totalmente ligada ao turismo. Além disso, o setor foi retomado e segue todas as recomendações sanitárias e não tem porque ser incluída no decreto. O que reforçado para o governo sobre as condições de trabalhar com segurança. 

“A categoria em que a gente se insere está totalmente ligada ao turismo, e o turismo foi flexibilizado, está funcionando com restrições. Estamos saindo dessa reunião com um sentimento muito bom, de missão cumprida, com o entendimento de que o governador compreendeu e foi sensível com a nossa questão”, avaliou o presidente da Afluta, Lúcio Bezerra.

Na semana passada, os representantes de flutuantes realizaram um ato na sede do governo do Estado. A entidade representa  62 flutuantes na capital, mas  Lúcio estima que ao longo de todo área do Tarumã-Açu, existam pelo menos 250 flutuantes e a ideia da associação e de toda comunidade envolvida é tentar de alguma forma ordenar e organizar a atividade pensando no meio ambiente. “A gente precisa de alguma forma preservar a área e explorar de forma consciente. E a entidade nasceu para isso”.

Decreto

A ampliação das medidas por meio do decreto governamental 42.794 de 24 de setembro, prevê reforçar o combate à pandemia do novo coronavírus que tem elevado o número de casos no estado. As ações de prevenção e combate ao novo coronavírus dentro da renovação do decreto até o dia 27 de novembro compreendem, a proibição do  acesso às áreas de praias para recreação; o funcionamento de balneários e flutuantes; o funcionamento de bares, mesmo que na modalidade restaurante. A realização de eventos em casas noturnas, boates, casas de shows e imóveis, destinados à locação, para esta finalidade, tais como casas, sítios, chácaras, associações e clubes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email