Reunião da comissão da Aleam começa com risco de ser judicializada

A reunião da comissão especial que analisa a admissibilidade do impeachment do governador Wilson Lima (PSC) e do vice, Carlos Almeida (PTB) começou na manhã desta sexta-feira com polêmica sobre o quórum mínimo para o estabelecimento da comissão que aconteceu na manhã de quinta-feira.

O deputado Fausto Júnior apresentou logo na abertura da reunião uma questão de ordem argumentando que a votação do requerimento na quinta-feira estava comprometida pela presença de apenas 12 deputados no plenário da Aleam, tanto presencialmente como de forma virtual.

O argumento foi defendido pelos deputados oposicionistas. O Delegado Péricles reforçou que a reunião somente poderia ser levada adiante com a apresentação da Ata para confirmação do quórum. “Todo o trabalho da comissão fica inviável se houver vício na sua formação”, argumentou.

O presidente provisório da comissão de impeachment na Aleam, deputado Belarmino Lins, considerou a medida intempestiva e despropositada cobrando a indicação dos nomes para a disputa aos cargos de presidente e relator da comissão.

Após proposta conciliatória da deputada Alessandra Campelo, a reunião foi interrompida por dez minutos para a indicação dos nomes e o envio da Ata para os deputados avaliarem.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email