Pauta do Codam reforça interiorização de investimentos

Considerações em torno do reforço do segmento de informática no PIM e da interiorização de investimentos, com consequências no emprego e arrecadação estadual, marcaram a 287ª reunião do Codam (Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas), ocorrida na manhã desta terça (27). A necessidade de ampliar e aproximar a oferta de cursos profissionalizantes do Cetam (Centro de Educação Tecnológica do Amazonas), também esteve em foco. 

A pauta foi aprovada na íntegra, pelos conselheiros, resultando na aprovação de 33 projetos – 17 de produtos finais e 16 de bens intermediários –, sendo 14 de implantação, 15 de diversificação e quatro de atualização. As iniciativas contam com investimentos de R$ 869 milhões e geração de 1.218 empregos – 1.022 na produção e 196 na área administrativa.

Realizado por videoconferência, o evento ocorreu também sob o espectro do repique nos casos de covid-19. “Não podemos dizer que estamos com uma segunda onda, mas temos números que não são os que gostaríamos, especialmente a ocupação acima do desejável nos hospitais. Muitas medidas estão sendo tomadas, mas é importante que cada um de nós faça sua parte, principalmente nesse período eleitoral [pelas aglomerações]”, amenizou o titular da Sedecti (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação), Jório Veiga.

Interiorização e PIM

A pauta reforçou o plano de interiorização do desenvolvimento do governo já que em torno de 10% dos aportes globais previstos (R$ 80 milhões) foi para projetos agroindustriais, em Presidente Figueiredo, Manacapuru e Humaitá. Foi o maior volume de investimentos para cidades fora do eixo da capital em uma única pauta. São previstos 217 novos empregos nos municípios, em até três anos.

Em Presidente Figueiredo, a ACB Andrade Comércio de Produtos Alimentícios e Indústria de Pescado Eireli pretende produzir hambúrguer de peixe e peixe beneficiado, com R$ 5,1 milhões e geração de 72 vagas de mão de obra. Em Manacapuru, a Rancho Ferradurinha Agro Industrial vai produzir derivados de leite (doce de leite, manteiga, queijo e iogurte), com R$ 1,7 milhões e 25 trabalhadores. Humaitá, por sua vez, deve abrigar uma unidade do Frigorífico Amazonas, que está injetando R$ 73,6 milhões e espera contratar 120 pessoas.  

“O investimento no projeto da indústria de pescados, em Presidente Figueiredo é bastante expressivo. A iniciativa do Rancho Ferradurinha já mostra uma variação na economia de Manacapuru, que estava meio parada com relação ao agro, e agora está retomando. Isso deve contribuir para um acréscimo na produção de leite. Temos ainda um reforço na cadeia de carne, em Humaitá”, comentou Jório Veiga, em sua fala inicial.

Os projetos para o PIM incluem iniciativas da Venttos, 3M e Elgin. Mas, o destaque vem da Compal Eletronics, empresa de Taiwan, para a fabricação local de placas de circuito impresso para bens de informática, com a contratação de 212 trabalhadores e recursos de R$ 353 milhões (ou 40,62% dos investimentos previstos na pauta). 

“Ao invés de expandirem a sua unidade de São Paulo, resolveram fabricar aqui. É uma boa notícia que confirma que as medidas tomadas foram corretas e que nosso modelo segue sendo positivo e competitivo. Outras empresas de informática têm buscado a Sedecti para fazer seus projetos, então deveremos ter mais, na próxima reunião”, comemorou.

Cetam e empresas

Entre outras novidades prometidas para 2021, o presidente do Cetam, José Augusto de Melo, fez uma breve apresentação, em sua fala, sobre os projetos de qualificação da instituição. A meta, de acordo com o dirigente, é fortalecer as parcerias com instituições privadas e do terceiro setor para alinhar e ampliar as ofertas de cursos e treinamentos profissionais – sem custo para as empresas. Informou também que, após passar pela Fieam, tem agenda marcada na Fecomercio-AM, e se colocou à disposição dos conselheiros para esclarecimentos adicionais.

“A intenção é essa, possibilitando gerar emprego e renda. Precisamos recuperar a economia, e nossos cursos estão sendo retomados. Vamos lançar um catálogo com 500 opções, em janeiro de 2021, e muitos cursos precisam de um alinhamento com as empresas. Tivemos uma queda na oferta, pela pandemia e pela recessão, mas nossa proposta é atingir 300 mil vagas nos próximos dois anos, com um crescimento de 64%. Isso é possível e vamos usar a tecnologia e recursos já consagrados pela Seduc e pela UEA para conseguirmos”, asseverou.  

Empregos e arrecadação

O titular da Sedecti expôs considerações a respeito o impacto dos projetos na arrecadação estadual e no estoque de empregos no Amazonas, ao expor um balanço de 2020. Segundo o Caged, foi registrado um acréscimo de mais de 7.000 vagas e alta de 1,18%, entre julho e agosto, com altas de 1,05% para o comércio (99.602), de 2,71% para a indústria de transformação (100.882) e de 1,49% para serviços (169.235). “É uma quantidade expressiva de novos empregos, principalmente no caso do Amazonas, que tem apresentado níveis muito altos de desemprego. Temos que recuperar isso, e só através da melhora da economia é que vamos poder conseguir”, asseverou Veiga.

Em relação à arrecadação, o secretário estadual observou que, depois de tombar nos meses de pico da pandemia, os números voltaram a crescer, com desempenhos favoráveis em julho, agosto e setembro. O recolhimento do ICMS subiu 6,33% no acumulado do ano, sendo impulsionado pelo comércio (+13,60%) e por serviços (+4,90%) em menor grau, mas não pela indústria (-0,44%). “A indústria está crescendo desde junho, mas já vinha impactada no começo do ano, pelo fornecimento de matérias primas, e passou por dificuldades, como o cancelamento de pedidos no Brasil. A gente espera que, agora, vá em diante”, ponderou. 

“Confiança na ZFM”

Procurado pela reportagem do Jornal do Commercio, o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, comemorou o balanço da reunião do Codam e avaliou que o saldo é uma demonstração da consolidação da ZFM junto aos investidores, a despeito dos tempos de crise.

“Temos visto uma constância de investimentos na nossa região, tanto em reuniões do CAS [Conselho de Administração da Suframa], quanto nas do Codam. Isso mostra uma confiança do empresariado em investir no modelo Zona Franca de Manaus”, afiançou.

Balanço e homenagens

No balanço de cinco reuniões do Codam realizadas neste ano, foram aprovados 163 projetos, com investimentos de R$ 7,854 bilhões e previsão de abertura de 5.275 empregos. Houve um incremento de 131,56% em relação aos aportes registrados pelos 146 projetos referendados no mesmo período de 2019 (R$ 3,393 bilhões), mas o comparativo dos empregos (5.197) praticamente não se moveu (+1,50%).

A abertura da reunião de ontem foi marcada por uma homenagem ao empresário Mário Guerreiro, pioneiro e incentivador do empreendedorismo no Amazonas, que neste mês completou 100 anos de idade. O evento também teve lugar para um tributo aos dirigentes que contribuíram para o fortalecimento do PIM e faleceram recentemente, vítimas da pandemia de covid-19, como Paulo Alcântara e Celso Piacentini.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email