6 de março de 2021

Carro por assinatura da Fiat e Jeep tem planos a partir de R$ 1.350

Este é o valor mensal cobrado por um Fiat Argo Drive 1.0 no plano de 36 meses, com franquia de 1.000 km/mês. No caso dos Jeep, o plano mais acessível do Flua ! é de R$ 2.100 para o Renegade 1.8 Flex, também no plano de 36 meses e com franquia de 1.000 km/mês.

Ainda em fase piloto, o programa pode ser contratado pelo site www.meuflua.com.br ou diretamente nas lojas participantes. São 24 concessionárias da Fiat (localizadas em São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Sorocaba, Valinhos, Vinhedo e Curitiba) e oito da Jeep (todas na capital paulista).

É possível escolher entre oito modelos da Fiat (Argo , Grand Siena, Cronos, Doblò, Fiorino, Nova Strada, Toro e Ducato) e dois da Jeep (Renegade e Compass) em planos com duração de 12, 24 ou 36 meses e franquias de 1 mil, 2 mil ou 3 mil quilômetros por mês.

Pelo site, o interessado escolhe e configura o carro e o plano. A assinatura do contrato é feito via e-mail e a retirada do veículo é feita na concessionária, em data agendada. A mensalidade do programa inclui além do veículo, os custos com documentação (IPVA, licenciamento e emplacamento), seguro com rastreador, manutenção e assistência 24 horas.

Após a entrega do veículo, o cliente passa a ter acesso ao aplicativo Flua!, que permite checar informações como multas de trânsito, solicitar a assistência 24 horas e também fazer o agendamento das manutenções.

Carros por assinatura

Além das marcas da FCA (Fiat Chrysler Automóveis) outras montadoras de carros que também oferecem este tipo de serviço no Brasil são a Volkswagen e a Toyota.

Ainda em fase piloto, o Volkswagen Sign & Drive foi lançado em novembro em parceria com a Volkswagen Financial Services e a Assobrav e ofereceu um lote limitado dos modelos T-Cross, Tiguan Allspace e Virtus em planos de assinatura de 12 ou 24 meses.

Já a Toyota oferece os seus serviços por meio da subsidiária Kinto. O Kinto One é um serviço de gestão e locação de frotas voltado para empresas, que se soma ao Kinto Share, um serviço de locação de carros da marca japonesa.

Renault entra na onda retrô e recria o antecessor do Clio

Conceito elétrico 5 Prototype segue o estilo do Renault 5

O Grupo Renault divulga os pontos do plano estratégico Renaulution , que prevê até 2025 o lançamento de 14 modelos eletrificados. Metade deles 100% elétricos, baseados nas novas plataformas CMF-EV e CMF-B EV, numa lista que irá incluir até a recriação do icônico hatch compacto Renault 5.

Produzido em duas gerações, entre 1972 e 1996, o antecessor do Renault Clio foi revelado em sua versão “2021” como o conceito 5 Prototype.

Seguindo o que a Fiat fez com o 500, o time de design comandado por Gilles Vidal se baseou nas linhas básicas do carro original para criar uma reinterpretação moderna do hatch.

Pensado como um veículo 100% elétrico, o 5 Prototype teve a entrada de ar no capô transformada em uma tampa para a tomada de recarga das baterias. Já o espaço dos faróis de neblina no carro original passou a comportar as luzes diurnas de LED, enquanto as lanternas traseiras verticais ganharam aletas aerodinâmicas. Outro detalhe de estilo incomum do conceito é o teto forrado em tecido. 

Quatro marcas chinesas se interessam em comprar fábrica da Ford na Bahia

Marca americana diz que vai facilitar negociações

Logo depois do anúncio do fechamento das fábricas da Ford no Brasil, quatro marcas chinesas se interessaram pela linha de montagem em Camaçari (BA), de acordo com o site da CNN Brasil . Ainda conforme a publicação, são elas: Changan, Great Wall, Geelly (que já vendeu carros no Brasil) e GAC. Também disseram que a negociação teria como intermediário o Grupo Caoa, que poderia trazer uma dessas marcas ao país.

Uma das vantagens da fábrica da Ford em Camaçari (BA), onde deixaram de ser produzidos os modelos Ka (hatch e sedã) e EcoSport é que está pronta para produzir automóveis ao contrário da de São Bernardo do Campo (SP), onde eram feitos caminhões. Além disso, a linha de montagem baiana conta com vários sistemistas ao redor para facilitar a operação, sem necessidade de fretes ou logística complexa.

Os governos das esferas municipal e estadual também fazem parte das negociações para evitar o grande impacto que será causado pela demissão dos 4.059 funcionários da Ford em Camaçari (BA). Vale lembrar que o Grupo Caoa foi um dos interessados em comprar a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP), que acabou sendo vendida para a Construtora São José.

O Grupo Caoa prefere não comentar nada sobre o assunto e a Ford diz que apenas que trabalha com “alternativas possíveis e razoáveis para partes interessadas em adquirirem as instalações produtivas disponíveis”.  Resta apenas aguardar o desenrolar dos próximos capítulos. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email