Arthur defende reformas para futuro da ZFM em última reunião do CAS

As reformas tributária e estrutural da economia, investimentos em logística, comunicação e capital humano, e o protagonismo da biodiversidade no futuro econômico da região e do país, em um modelo sustentável apoiado no Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), foram os pontos fortes da última participação de Arthur Virgílio Neto, na condição de prefeito de Manaus, na reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), nesta quinta-feira, 3/12.

“Somos terra brasilis, mas de interesse planetário. E não podemos dar as costas para o nosso maior patrimônio, a nossa biodiversidade, que é o futuro e a garantia de progresso para essa região”, afirmou o prefeito, que também defendeu a vinda de novos polos industriais para Manaus, com a cara da economia 4.0. “Precisamos fazer desse polo industrial algo contemporâneo”, complementou o prefeito que, juntamente com a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, foi convidado para a 295ª reunião do CAS pelo superintendente da Suframa, general Algacir Polsin, e pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa.

O evento teve como “pano de fundo” a promoção da Zona Franca de Manaus (ZFM) e da Amazônia como fortes parceiros de negócios pela excelência e qualidade aliadas à sustentabilidade nas atividades industriais desenvolvidas. Uma exposição de produtos made in Zona Franca de Manaus marcou o evento e o hall da instituição foi tomado por produtos do polo de duas rodas, como os últimos lançamentos em motocicleta e bicicleta, um verdadeiro portfólio da empresa, afiançando o potencial do parque industrial tanto para o mercado nacional quanto para mercados estrangeiros.

Além de considerar a ideia criativa e benéfica para o modelo Zona Franca, o prefeito também destacou a necessidade de mais investimentos em infraestrutura, comunicação, transporte e demais segmentos da logística para a produção industrial local. “O general Polsin me surpreendeu pela criatividade e me parece que é assim que ele pretende conduzir daqui para frente, trazendo pessoas para conhecer o polo e para encontrar as soluções futuras e rápidas”, ressaltou.

“Nós estamos em uma encruzilhada: não temos internet e telefonia celular de qualidade, precisamos disso; precisamos de hidrovias para baixar o custo Amazônia e da BR-319; precisamos de investimentos em formação de capital intelectual e em mão de obra, precisamos de novos polos para enfrentarmos a obsolescência de alguns segmentos industriais do nosso polo, novos segmentos com a cara da economia 4.0”, reafirmou o prefeito, citando a criação do Polo Digital, que está funcionando no Casarão da Inovação Cassina, no Centro Histórico de Manaus, recentemente inaugurado por ele.  

O prefeito também destacou a necessidade de fazer funcionar, de fato, o Centro de Biotecnologia da Amazônia. “Temos que nos preocupar com muitas coisas, com o bem-estar das pessoas e com o futuro do país, que passa, necessariamente, pela escolha de atividades sustentáveis. Precisamos extrair riquezas da nossa floresta, sem derrubar, sem destruir seu potencial, isso é o que vai trazer muita prosperidade para o país e o CBA deve nos dar condições para nos tornar uma super Costa Rica, que vive da exploração acertada da sua biodiversidade. Vejo o nosso futuro na nossa biodiversidade. É a garantia da nossa prosperidade”, advertiu o prefeito.

Arthur Neto se manifestou a respeito da reforma tributária, ainda em discussão na esfera federal, mas que deverá se consolidar em 2021. “Espero que aconteça a reforma tributária e que ela resguarde as vantagens comparativas da Zona Franca de Manaus. Essa é uma condição indispensávelpara que nós mergulhemos e apoiemos essa tão necessária reforma econômica estrutural. Mas só a reforma tributária não garante nossa sobrevivência, precisamos de uma reforma estrutural na economia”, reforçou.

Questionado sobre as obras do Distrito Industrial, o prefeito disse que já é visível a mistura de paisagismo, urbanismo e infraestrutura viária, que está sendo implantada no local. “Estamos avançando muito bem e colaborando muito para a atração de investidores”, destacou.

Arthur se despediu em tom emocionado e firme: “Estou deixando esta cidade para ser bem governada, por quem quer que seja. Com equilíbrio fiscal e previdenciário, com uma boa infraestrutura urbana, com zero de dívida e isso está acontecendo pela primeira vez na história desta cidade”, disse Arthur.

“Quero dizer que essa é última reunião que o senhor participa como prefeito de Manaus, mas vamos continuar contando com a sua presença, com sua experiência e sua preocupação com o futuro da Amazônia e do país. Sua preocupação com a gestão econômica vem desde o seu tempo do Congresso, e foi demonstrado na prática, nesses seus oito anos de mandato”, afirmou Carlos da Costa.

Sobre o CAS

A reunião do CAS foi híbrida, parte presencial, realizada no auditório Floriano Pacheco, sede da Suframa, com a exposição dos produtos e a reunião em si, para análise e aprovação de projetos de implantação, ampliação e atualização industrial, com investimentos da ordem de R$ 2 bilhões, e que teve como convidados autoridades do Executivo, como os governadores da Amazônia Ocidental, Legislativo e Judiciário local, além de convidados integrantes do governo federal. A reunião também foi transmitida pelo canal YouTube.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email