5 de março de 2021

Yamaha amplia segurança sanitária para continuar produção

Yamaha Motor da Amazônia reforça estratégias de proteção aos colaboradores para manter a produtividade de sua unidade fabril. Frente ao novo decreto do governo do Amazonas  para conter a contaminação da Covid-19 no estado, a montadora criou procedimentos mais rígidos  e adequou seu período de atividades das 7h45 às 17h05, frente ao regime de 12 horas estabelecido pela nova determinação. Além disso, a empresa destacou que possui insumos suficientes para sustentar a produção para o mês de janeiro.

Segundo o diretor de relações institucionais da Yamaha, Hilário Kobayashi, as ações estão bem intensas, tanto de conscientização, quanto de apoio à prevenção da saúde dos colaboradores e de seus familiares. Os processos de rotas foram elaborados para que não tenhamos nenhum funcionário circulando pela cidade entre 19hs e 06hs.

“Os procedimentos de segurança, distanciamento social, e medidas de higiene estão aprimorados, desde o acesso do colaborador aos ônibus fretados, como nos locais de trabalho, refeitório e em todas as áreas da empresa. Se houver problemas de desabastecimento pode haver suspensão de produção”, disse.

O diretor reforçou ainda, que caso haja desabastecimento de algum insumo, será avaliada a situação dos processos produtivos e se necessário a sua suspensão. “Se houver problemas de desabastecimento pode haver suspensão de produção. Isso em respeito à vida de nossos colaboradores e suas famílias”, destacou.

Empresa cria estratégias de proteção à colaboradores frente ao novo decreto

Grupo Juntos pelo Amazonas

A Yamaha Motor do Brasil é uma das 15 empresas que fazem parte do grupo “Juntos pelo Amazonas”. O objetivo é apoiar o programa Unidos Contra a Covid-19 criao pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). As empresas farão uma doação de R$ 1,6 milhão para levar uma usina de produção de oxigênio, que deverá dar suporte aos hospitais públicos da região .A doação dos recursos do grupo será direcionado para as máquinas e acessórios da nova usina, que possui uma das mais avançadas tecnologias aplicadas a este tipo de equipamento e tem capacidade para atender uma unidade hospitalar em 12 leitos de terapia intensiva e 80 leitos de internação e pronto atendimento simultaneamente.

O grupo Juntos pelo Amazonas, conta com a participação da Ambev, BNP Paribas, BRF, Coca-Cola Brasil, Grupo +Unidos, Magalu, Mercado Livre, Nestlé Brasil, Petrobras, Sesc, SulAmérica, WEG, Whirlpool, XP Inc. e Yamaha. A ação conta com o apoio da Eletros (A ação destas empresas conta com o apoio institucional da Eletros – Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos).

Já a Ambev enviou no último sábado (16) para o estado 500 cilindros. Após o uso, os cilindros ficarão como doação para o estado reutilizar. O modelo MD de cilindro de oxigênio, que foi doado é um dos mais indicados para esse tipo de situação, já que é de fácil manuseio e transporte, garantindo agilidade no atendimento. A doação também conta com o apoio da fabricante de embalagens Ball,

” Quando soubemos da crise de oxigênio na região, logo nos questionamos em como poderíamos ajudar. É parte da nossa cultura olhar além dos nossos muros, perceber problemas e usar o que temos e transformar em colaboração. Acreditamos muito no efeito das nossas ações que geram impacto positivo na sociedade. Principalmente neste último ano aprendemos muito e com certeza vamos continuar evoluindo nessa direção”, disse  o diretor de relações institucionais da Ambev, Rodrigo Moccia.

“Com o compromisso de contribuir com as comunidades em que atuamos, diante da emergência sanitária no Amazonas, buscamos conectar rapidamente nossa rede de parceiros e negócios. 

Outra empresa que entrou na ação solidária para ajudar o sistema de saúde do Amazonas foi o Mercado Livre, que habilitou o botão “Doar” do aplicativo do Mercado Pago para direcionar recursos para a campanha. A gerente de sustentabilidade da empresa, Laura Motta, destacou a importância da união das empresas com o intuito de ajudar. “Com a pandemia ficou evidente que, para avançarmos rumo a uma sociedade mais justa, equilibrada e sustentável, a responsabilidade deve ser compartilhada. Estamos todos juntos para superar os desafios deste momento, e as empresas também devem fazer a sua parte”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email