Wilson Lima não assina manifesto de governadores em apoio ao STF

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), é um dos 14 chefes de Estado que não assinaram o manifesto em defesa do STF (Supremo Tribunal Federal), publicado ontem no País. Só 13 governadores manifestaram solidariedade (com extensão às suas famílias) aos ministros da mais alta Corte do Judiciário por conta de constantes ameaças e agressões, atribuídas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a seus aliados e simpatizantes.

Wilson Lima é, hoje, um grande aliado de Bolsonaro. Por várias vezes, o presidente tem mencionado as parcerias que mantém com o governador do Amazonas, em especial nas medidas de enfrentamento à Covid-19.

Até o fechamento desta edição, Lima não havia se manifestado sobre a sua decisão de não apoiar o manifestado dos outros governadores. Na nota publicada nessa segunda-feira (16), os 13 chefes de executivos estaduais afirmam que o “Estado democrático de Direito só existe com Judiciário independente, livre para decidir de acordo com a Constituição e com as leis”. Eles ressaltam ainda que, nos Estados em que comandam, ajudarão a “preservar a dignidade e a integridade do Poder Judiciário”.

O manifesto ocorre após ataques do presidente Jair Bolsonaro, principalmente aos ministros Luís Roberto Barroso, a quem chamou de “idiota”, “tapado” e “mentiroso”, e Alexandre de Moraes, chamando-o de “arbitrário” e “ditatorial”. Barroso é o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), e Moraes o relator do inquérito das fake news.

Assinam o manifesto em defesa do STF os governadores Rui Costa (Bahia), Flávio Dino (Maranhão), Paulo Câmara (Pernambuco), João Doria (São Paulo), Eduardo Leite (Rio Grande do Sul), Camilo Santana (Ceará), João Azevedo (Paraíba), Renato Casagrande (Espírito Santo), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), Renan Filho (Alagoas), Belivaldo Chagas (Sergipe), Ibaneis Rocha (Distrito Federal) e Waldez Goés (Amapá).

“Todos sabem das consequências, internas e externas, de uma ruptura institucional, a qual não provocamos ou desejamos. De há muito, os ministros Alexandre de Moraes e Luiz Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, extrapolam com atos os limites constitucionais”, escreveu o presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais, no sábado (14).

Também no último sábado, Bolsonaro anunciou que vai apresentar ao Senado pedidos de impeachment contra os ministros Alexandre de Morares e Luís Barroso.

Ontem, o deputado federal José Ricardo Wendling (PT), que pretende disputar o governo do Amazonas em 2022, criticou Wilson Lima por não assinar o manifesto em defesa do STF.

“Desde a campanha, ele (Wilson Lima) é aliado de Bolsonaro e agora, como governador, do governo federal”, disse ele em mensagens publicadas nas redes sociais. O petista também destacou a crise do oxigênio no Estado e responsabilizou Bolsonaro e Wilson Lima pelo caos que se instalou na saúde da região.

Foto/Destaque: Sérgio Lima/Poder 360

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email