Warabu Chocolates assegura certificação de pequenos produtores

Fundada em 2018 pelo chef português Jorge Neves, a Warabu Chocolates vem ganhando destaque no ecossistema de inovação, geração de renda, impacto social e produtos sustentáveis da Amazônia! Não é pra menos. Em junho, a startup que produz chocolates com insumos da região, venceu a primeira edição do prêmio ‘Award 2023’ da Bio Brazil Fair e da NaturalTech, consideradas as maiores feiras de produtos orgânicos e naturais da América Latina. Antes disso, em maio, o empreendedor recebeu o título de Microindustrial do Ano, em solenidade promovida pela Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam).

A paraense Linda Moreira (foto), sócia da marca, conta que entre os diferenciais dos itens da Warabu, está o rígido processo na coleta dos insumos e a participação ativa dos produtores nas localidades em que há o plantio do cacau.

“Não é só um simples chocolate, mas é um chocolate com rastreabilidade e transparência, um chocolate especificamente de pequenos produtores ou de cooperativas de sistema agroflorestal, que é o cacau plantado dentro da floresta, mantendo a sustentabilidade e evitando o desmatamento, e é um cacau produzido pelas famílias que vivem na região e atuam com o extrativismo”, afirma.

Segundo Linda, o objetivo da marca está na confecção dos chocolates bean to bar (do grão a barra) com matéria-prima da Amazônia, como o cumaru e o açaí, presentes em linhas de produtos da Warabu. Atuando com dois segmentos: o cacau fino e o cacau selvagem, a empresa possui parceria com quatro produtores inseridos na região de Mocajuba, em Belém. No total a startup oferece ao público uma linha com chocolates finos de 40% a 99% de teor de cacau em nove variações de sabores.

Para assegurar a qualidade da produção Linda e Jorge já estiveram em visitas técnicas aos produtores para observar o dia a dia e a realidade de cada um dos fornecedores. Visando atender exigências para certificação orgânica do cacau selvagem destes produtores, a Warabu intermediou o processo de obtenção da certificação.

“Nós bancamos a certificação orgânica em cacau selvagem desses produtores com um processo rígido de auditoria e levantamento para análise da região, e agora eles possuem a certificação orgânica válida no Brasil, Estados Unidos e União Europeia. E, consequentemente nós compramos o cacau deles e utilizamos em nossos chocolates, e assim eles são os nossos fornecedores padronizados”, explica.

Além disso, a Warabu também possui várias certificações, como a Certificação orgânica para Brasil (Orgânicos do Brasil), Certificação orgânica para Estados Unidos (NOP USDA), Certificação orgânica para União Europeia (BIO) e a Certificação Vegana Internacional (Vegan).

A planta fabril possui capacidade produtiva diária de 60kg, no entanto, a produção anual tem chegado a 15 toneladas. Também é importante dizer que os produtos da marca são livres de glúten e veganos!

(FOTO)

Café produzido com fezes de pássaro é considerado artigo de luxo

O pássaro jacu, conhecido como uma praga nas plantações de café, passou de vilão para o papel do mocinho! Isso aconteceu graças ao espírito empreendedor de um fazendeiro do Espírito Santo, que em uma viagem à Indonésia resolveu saborear o café ‘Kopi Luwak’, produzido com excrementos da civeta, que é um mamífero pertencente à família dos viverrídeos e é conhecido por sua habilidade de produzir um café especial chamado ‘café de civeta’. Foi então, que o empreendedor teve a brilhante ideia de transformar o pássaro jacu em um aliado.

O processo para a produção do café luxuoso, que é vendido por R$ 1.118 o quilo no Brasil, envolve a colheita das fezes, a secagem em estufa e, após isso, os grãos são classificados e descascados cuidadosamente, antes de irem para uma câmara fria e aguardarem o consumo.

Apesar de representar apenas 2% da produção da fazenda, o item de luxo é exportado e, inclusive, pode ser adquirido em lojas luxuosas como a britânica Harrods.

Com tecnologia automatizada, startup japonesa constrói casa em 44 horas

A startup japonesa Serendix conseguiu uma façanha: construir uma casa em 44 horas, usando tecnologia de impressão em 3D, que promete baratear o custo de habitação no Japão. Em um país onde o metro quadrado construído varia entre US$ 1.400 e  US$ 2.800, essa solução pode aliviar a vida (e o bolso)  de muitos japoneses. A principal vantagem da casa feita com essa tecnologia diz respeito ao menor custo de produção, que envolve os materiais e a mão de obra mais acessíveis. Além disso, a redução do tempo de construção é surpreendente, já que a nascente conseguiu construir o imóvel, contendo um quarto, banheiro e sala de estar com cozinha, em apenas 44 horas. A casa tem cerca de 50 metros quadrados e custa em torno de R$ 183 mil.

Suéter da princesa Diana é leiloado por US$ 1 milhão

Morta em 1997, a princesa Diana continua vivíssima no imaginário coletivo. Prova disso é o valor arrematado, no leilão da Sothebhy´s, pelo famoso suéter vermelho com desenhos de ovelhas, que foi usado pela princesa de Gales em 1981. O comprador desembolsou a bagatela de US$ 1,1 milhão, praticamente R$ 5,36 milhões, para levar pra casa a peça icônica. Foram tantas as ofertas que a casa de leilões precisou estender a venda por mais de 15 minutos. O tal suéter, conhecido como ‘Black Sheep’, pois só tem uma ovelha negra entre as brancas, é a peça de roupa mais cara da Diana já arrematada em leilão, ultrapassando – inclusive – o vestido ‘Infanta’, leiloado em janeiro por US$ 604,8 mil.

RÁPIDAS & BOAS

Na terça-feira (19/9), às 18h, na Associação Comercial do Amazonas, localizada na Rua Guilherme Moreira, nº 281 – Centro, acontecerá o evento ‘Florescer da autoestima da mulher’, iniciativa que promete ser uma experiência única para as mulheres empreendedoras. A ocasião marca a posse da diretoria do CMEC ACA Manaus. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo endereço eletrônico (https://encurtador.com.br/JRWX7).

******************************************

Entre os dias 20 e 22/9, acontecerá o ‘Gamecon Talks Acre’, organizado pelo Instituto Sapien e a Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia do Acre (Seict). Esta edição trará o tema ‘Tão importante quanto jogar é falar sobre jogos’. O evento, que é gratuito e tem vagas limitadas, vai promover palestras e encontros sobre a geração de novos negócios no mundo dos games. A inscrição está disponível pelo link (https://curtlink.com/UlZC9fq).

******************************************

Nos dias 20, 21 e 22/9, das 8h às 18h, ocorrerá o XIII Encontro Nacional da Mulher Contabilista, que reunirá profissionais de renome nacional para debater importantes assuntos relacionados à área técnico-contábil e à gestão empresarial. O evento será realizado no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques. A inscrição e aquisição do ingresso podem ser obtidos através do link (https://encurtador.com.br/nGHIX).

******************************************

Estão abertas as inscrições para a terceira edição do Gênese, programa gratuito de estímulo à cultura empreendedora por meio do qual os participantes aprendem, de forma prática e interativa, sobre inovação, negócios de impacto, bioeconomia e desenvolvimento de soluções que contribuam para a valorização da floresta em pé. O programa faz parte da Plataforma Jornada Amazônia e as inscrições vão até a terça-feira (26/9) pelo site (https://l1nq.com/0K8ae).

Cristina Monte

Cristina Monte é articulista do caderno de economia do Jornal do Commercio. Mantém artigos sobre comportamento, tecnologia, negócios.
Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário