Wallace quer assistência dos parlamentares nas investigações

O deputado Wallace Souza (PP) fez um apelo ontem, para que a Assembleia Legislativa do Amazonas acompanhe o final das investigações realizadas pela força-tarefa. Wallace, que é acusado pela Polícia e Ministério Público Estadual de comandar uma suposta organização criminosa comandada por ele e seu filho Raphael Souza, foi à tribuna pela primeira vez, desde que voltou de São Paulo, onde passou por exames médicos. “Sou cristão e tenho fé enorme, mas se Cristo voltasse a ser crucificado, o culpado seria o deputado Wallace Souza”, falou da tribuna o parlamentar.
Em tom de desabafo, o deputado disse que mais uma vez, para sua surpresa, no desenrolar de oito meses de apuração de força-tarefa de uma suposta organização criminosa, prendem um ex-funcionário da PM que trabalhou há cinco anos para ele. “Esse pobre rapaz, preso dentro de seu trabalho atual, convocado pela Secretaria de Segurança Pública para dar depoimento, e como o depoimento não foi da forma como queriam, com alguma acusação contra o deputado Wallace e seu filho, está recolhido a uma cadeia pública”, afirmou. “É mais uma pessoa que não tem nada a falar contra mim, a não ser dizer que eu fui uma pessoa que sempre o ajudei durante o tempo que esteve trabalhando comigo”, disse.
Wallace afirmou que um promotor (sem citar nomes), diz ter denúncias contundentes contra o deputado Wallace. “Os senhores (se dirigindo aos deputados) que vão me julgar, depois da Comissão de Ética, peçam as provas contundentes da força-tarefa. Há oito meses, e sabe-se que o inquérito policial tem que ser concluído em 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias e, infelizmente, a força-tarefa quer continuar usando sua força de coação, fazer com que as pessoas falem o que não sabem, para poder justamente influenciar numa decisão desta casa”, disse.
Ainda segundo Wallace, prenderam o subtenente da PM, Eli Maia. “Não fui eu quem coloquei o subtentrente no município, não fui eu quem coloquei o subtemente na Policia Militar. Aí a imprensa coloca, ‘Preso PM suspeito de fazer parte do grupo de Wallace’. O grupo de Wallace era formado por funcionários públicos, policiais militares, lotados no gabinete desta Casa Militar, com aquiescência do secretário de Segurança Pública”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email