Volume de empregos formais cresce 38%

Nos dois primeiros meses de 2008, foram gerados 347.884 novos postos de trabalho, também recorde para o bimestre. O recorde anterior, de 2006, somou 263.248 vagas. Nos dois primeiros meses de 2007, haviam sido gerados 253.487 postos.
O setor da economia que mais gerou vagas foi o de serviços, com a criação de 74.441 novos postos. Em seguida vem a indústria de transformação, com 46.812 postos. A construção civil, por sua vez, gerou 27.574 postos, e agropecuária, 24.239.
A agropecuária registrou a maior geração de vagas da história, puxado pela cultura de cana-de-açúcar, que sozinha contratou 19.475, sendo 16.428 só em São Paulo.
Entre as regiões do país, o Sudeste foi a que teve maior geração de empregos. Foram criados 140.956 postos, dos quais 98.652 só em São Paulo.
A Região Sul registrou a criação de 47.759 postos de trabalho, o Centro-Oeste 28.367 e a Norte, 2.600. Na Região Nordeste, o saldo de empregos foi negativo com o corte de 14.719 empregos, causado principalmente por demissões no setor agrícola, já que a região vive período de entressafra.
No total, o número de trabalhadores com carteira assinada somava 29,3 milhões em fevereiro.

Saldo foi positivo em quase todas asregiões

Foram criados 204.963 postos de trabalho, volume que supera em 16% o recorde anterior que era de fevereiro de 2006, quando foram contabilizados 176.632 novos postos.Os números do Caged são baseados nas contratações e demissões de trabalhadores regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). A série histórica começou em 2003.
“Continuo afirmando que viveremos o melhor ano da história para a geração de empregos. Esse é o melhor bimestre da história, são 80 mil empregos a mais do que o recorde de 2006. Eu continuo com a minha previsão de crescimento na geração de emprego de mais de 6% e mais de 1, 8 milhão de novos postos de trabalho em 2008”, avaliou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.
Com relação a fevereiro do ano passado, o saldo foi 38% maior. Isso porque houve uma queda no número de empregos gerados em fevereiro de 2007 (148.019). No comparativo geográfico, o saldo foi positivo em quase todas as regiões brasileiras, com exceção do Nordeste, que registrou queda de 0,35% em relação à janeiro (menos 14.719 vagas). Lupi atribui a redução à sazonalidade das atividades agrícolas da região, especialmente o cultivo da cana-de-açúcar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email