8 de maio de 2021

Você é o protagonista ou coadjuvante da sua carreira?

Recebo muitos executivos e profissionais em ascensão na carreira, para aconselhamento no planejamento de suas carreiras.

Todos são pessoas extremamente inteligentes, que tem várias ideias em mente, mas, muitas vezes, não conseguem mensurar os riscos de cada projeto, bem como outras variáveis para analisar o que é melhor para sua carreira.

Na maioria das vezes, esses profissionais já estão no mercado de trabalho. Encontram-se em uma situação de muito tempo de carreira na mesma empresa, se sentindo na mesmice ou percebem que serão demitidos. 

Não fique acomodado e desatualizado

Quando são demitidos ou querem mudar de empresa, estão fora do mercado por não seguirem as tendências, se isolarem na empresa, só saberem trabalhar como a empresa trabalha e não conseguirem mais ser flexíveis. O mercado olha para esses profissionais e consegue enxergar que são muito bons, mas, apenas para aquela empresa, pois na deles, tais profissionais não se encaixariam.

Se você não gerir bem o seu tempo, quando poderá se preparar para subir de cargo? Se você não tiver tempo para uma especialização, curso de aprimoramento ou curso de idiomas, provavelmente, a promoção não virá. A experiência é muito importante sim. Mas, atualmente, tudo se modifica muito rapidamente. Novas tecnologias são lançadas, o mundo está em uma eterna busca por melhorias, e para que essas melhorias ocorram, mudanças precisam ser feitas. 

Você precisará de mais conhecimento. Você precisará de um segundo, terceiro ou quarto idioma, para poder se comunicar com os novos fornecedores ou clientes. Você precisará ter uma formação acadêmica para galgar maiores postos. Além de tudo isso, você precisará continuar sendo humano. É aí que o equilíbrio entra. Você precisa vestir a camisa da empresa, cuidar da sua carreira e continuar sendo humano, tendo tempo para a família, aquelas coisas simples da vida, que são as mais importantes…

E é aí que a maioria dos profissionais troca os pés pelas mãos. Como é difícil equilibrar tudo isso, como um maestro consegue reger uma orquestra, com tantos instrumentos, aparentemente, tão diferentes.

Auto-avaliação frequente e planejamento

Minha recomendação é estar se avaliando continuamente. Você pode fazer isso por fases, uma das fases é você avaliar a si mesmo. Monte um questionário que envolva sua vida profissional, familiar, acadêmica e responda para si mesmo, em um pedaço de papel, qual é o seu cenário atual.

Na segunda fase, você poderá aplicar este questionário para alguns membros da sua família. E na terceira fase, você poderá aplicar para amigos chegados.

Ao final, faça um resumo por escrito e você começará a perceber se você está regredindo, estagnado ou se está progredindo. Você saberá para qual área da vida você está dando mais ênfase e poderá analisar e mensurar como melhorar esses apontamentos, criando outras maneiras de fazer o que você precisa fazer, de uma maneira melhor.

Este é um conselho para que você não deixe “a vida me levar, vida leva eu”. Mas, para que você tome as rédeas de sua vida profissional e consiga galgar os patamares que você deseja galgar.

Você é inteligente, planeje, faça seus planos acontecerem!

Lembre-se que você não é o coadjuvante, mas sim o protagonista da sua vida – o papel principal é seu! Seja você o responsável pelo planejamento da sua carreira e da sua vida.

Boa semana!

Fique com Deus!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email