Viva em paz com seu dinheiro

A grande maioria dos brasileiros enfrenta problemas financeiros e a principal causa é a falta de tato das pessoas em cuidar do dinheiro. Se há pouco cuidado no orçamento individual do brasileiro, o problema se agrava ainda mais quando se trata de orçamento familiar.
Muitas vezes, problemas financeiros trazem problemas familiares, e dívidas que foram parar na lista negra do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) acabam se tornando causas de discórdia e da separação de casais. Talvez essa falta de cuidado com o dinheiro seja conseqüência da falta de educação financeira nas escolas e em casa; talvez seja próprio da nossa cultura, ou talvez o problema esteja nos baixos salários em nosso país, quem sabe?
De qualquer forma, dicas simples, como as que os pais passam para os filhos sobre como cuidar da mesada, ou dicas dos mais velhos que já passaram por apertos e que têm grande experiência de vida são fundamentais para evitar estes problemas:
1. Quer comprar algo, um carro, uma casa, fazer uma viagem? Lembre-se que um bom planejamento financeiro é fundamental para transformar sonhos em realidade.
2. Não tente manter um padrão de vida que não cabe no seu orçamento, ou seja, não gaste mais do que você ganha hoje, nem do que você poderá ganhar amanhã.
3. Quanto mais se ganha, mais se gasta, não é? Errado! Quanto mais se ganha, mais se guarda; e quanto mais se guarda mais se investe. E quanto mais se investe, mais dinheiro se ganha.
4. Deixe seu dinheiro trabalhar por você.
5. Use seu dinheiro como aliado, jamais se torne escravo dele.
6. O retorno sobre investimentos muitas vezes é lento. Tenha paciência e consciência de que não se ganha muito da noite para o dia.
A “cultura de investidor” precisa ser desenvolvida para garantir um futuro melhor para você e sua família. É preciso quebrar os mitos sobre investimentos. Investir não é assunto exclusivo para profissionais do mercado financeiro. Qualquer pessoa que se empenhe em adquirir pequenos hábitos de poupar e que procure acompanhar o “crescimento” do seu dinheiro pode se tornar um investidor, ainda que pequeno. O importante é “dar o primeiro passo”.
Os casados precisam lembrar-se de que a disciplina financeira deve ser praticada pelos dois, de forma harmoniosa. Se apenas um poupar e o outro for “gastão”, o orçamento familiar vai por água abaixo e, amanhã, além de acabar o dinheiro, pode acabar o casamento também.

Cláudio José Carvajal Júnior é coordenador dos cursos de administração da Faculdade Módulo, master of business administration pela Universidade da Califórnia (EUA), bacharel em administração de empresas e pós-graduado em administração pela FGV.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email