Vídeo polêmico acirra os ânimos

Na Esteira da “Operação Estocolmo”, surgiu um vídeo em que uma mulher chamada Renata de Oliveira Guerreiro faz acusações e outras pessoas, não envolvidas na investigação, mas que teriam usado o serviço de agenciadores de programas com menores de idade. No último final de semana, o deputado Ricardo Nicolau (PSD) comunicou a existência da peça ao governador Omar Aziz, mas anteontem disse desconhecê-la e protocolizou um pedido de investigação na Polícia Federal e na Secretaria de Segurança Pública sobre a origem dela. A gravação existe, ainda não foi postada em nenhuma rede social, mas chegou às mãos de alguns “acusados”. Como ninguém assume a autoria, caberia mesmo uma apuração mais acurada. O fato é que há uma guerra de bastidores em torno do tema prostituição infantil, que ainda pode render lances inesperados.

Recuo

Depois de perceber que não teria mais o apoio político do governador e se sentir isolado, Nicolau recuou no ímpeto de atacar a família Calderaro, controladora do jornal A Crítica. Ele agora quer se preparar para a defesa junto ao Tribunal de Justiça e vai fazer de tudo para que o assunto mergulhe nos bastidores e saia da mídia. Depois de tanto estrago, entretanto, pode ser tarde demais.

Fim de namoro

Ao que tudo indica, o namoro do deputado Henrique Oliveira (PR) com o prefeito Arthur Neto acabou. Sob pretexto de alusão ao Dia do Meio Ambiente, o parlamentar defendeu o controle mais rigoroso da qualidade do ar no Amazonas e referiu-se especificamente a Manaus, onde, segundo ele, “é absurda a situação de encontrar todos os dias ônibus circulando na cidade liberando uma quantidade considerável de poluentes, que maltratam o meio ambiente e a nossa saúde”. A cobrança também foi direcionada à coleta seletiva do lixo.

Vigilância

A Defesa Civil do Amazonas vai acompanhar, junto ao 9º Distrito Naval, vice-almirante Domingo Sávio, o monitoramento e evolução do deslocamento das manchas de óleo provenientes de um vazamento de um oleoduto no Equador, que atinge o rio Napo, afluente do rio Amazonas no Peru. Devido à proximidade geográfica, há uma ameaça de o Rio Solimões ser atingido e consequentemente afetar diversas comunidades do Alto Solimões, podendo causar danos ambientais nesta região.

Próximo passo

Aprovada a criação do 9º Tribunal Regional Federal em Manaus, agora segue-se uma etapa importantíssima, que é garantir a instalação. Para isso, segundo o senador Eduardo Braga (PMDB), será preciso mobilizar a Ordem dos Advogados do Brasil, a população e as lideranças políticas, para superar as restrições do Supremo Tribunal Federal e do governo federal. A corte sediada no Estado terá jurisdição nos Estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.

Prazo

O texto que criou as novas cortes dá prazo de seis meses para a instalação, a contar da promulgação da Emenda Constitucional. Atualmente existem cinco tribunais regionais federais instalados em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul, que cuidam de processos com origem nos demais Estados. A PEC também criou a 6ª Região, que terá sede em Curitiba e jurisdição nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul; a 7ª Região, com sede em Belo Horizonte e jurisdição em Minas Gerais e a 8ª Região, que terá sede em Salvador e jurisdição nos Estados da Bahia e Sergipe.

Explica melhor

A Ouvidoria Geral do Estado divulgou nota dizendo que participou do 1º Encontro de Ouvidorias das Sedes da Copa do Mundo FIFA Brasil 2014, em Salvador BA, nos dias 27 e 28 de maio e que o objetivo foi reforçar a atuação integrada dos órgãos antes e durante o evento, “otimizando a defesa dos direitos dos torcedores e dos cidadãos, havendo então uma comunicação direta do cidadão com as organizações esportivas”. Não ficou muito claro o que de fato eles farão e que direitos são estes a serem defendidos.

Conforto

Entre os diversos agraciados com a medalha Cavaleiro, concedida pela Ordem do Mérito Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região ontem, em solenidade no Teatro Amazonas, estava a diretora da Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), Isa Assef dos Santos. Sem dúvida a homenagem serve de conforto para ela e para a instituição que dirige, no momento em que convivem com problemas de toda ordem, como o fim do contrato de duas décadas com a Suframa.

Feridas

O governador Omar Aziz está sentindo na pele, em suas andanças pelo interior, que as feridas abertas nas disputas eleitorais do ano passado ainda não cicatrizaram. Ele vem enfrentando contratempos em vários municípios, já que as lideranças se recusam a ocupar o mesmo palanque ou dividir solenidades às quais ele se faz presente. Faltou sensibilidade à equipe responsável pela preparação destas visitas para equacionar os problemas antes da chegada dele.

Sinuca de bico

O Estado nunca apresentou uma solução para a área onde funcionou até o início da década de 70 o estádio Parque Amazonense, no bairro Nossa Senhora das Graças. Agora, quando a Secretaria de Segurança decidiu construir ali um Distrito Integrado de Polícia, a comunidade resolveu protestar, pedindo que a “área de lazer” seja mantida. O fato é que a área, um imenso descampado quase no Centro, é abandonada e precisaria de uma ampla intervenção urbana, até por sua importância histórica. Por outro lado, a cidade precisa, sim, de mais segurança. É uma sinuca de bico.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email