Viagem do Mapa ao Oriente Médio pode render negócios ao Brasil

Ovos, polpas de frutas, lácteos e doces são os produtos de maior demanda no Oriente Médio. A constatação é da comitiva do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), que esteve em Dubai (Emirados Árabes) e Riad (Arábia Saudita) na semana passada.
O grupo chefiado pelo secretário de Relações Internacionais do Agronegócio, Célio Porto, visitou os dois países e identificou as características daquele mercado e as principais demandas. Um produto que desperta grande interesse, por exemplo, é a polpa de fruta para sucos.
Isso porque a religião islâmica proíbe o consumo de bebida alcoólica entre seus seguidores. Já a procura por ovos é resultado da suspensão da compra em países da Ásia por causa dos focos de gripe aviária. O interesse por animais vivos é significativo também, com preferência pelo abate halal, feito sob os preceitos muçulmanos.
Os representantes do Mapa detectaram a disposição do Oriente Médio em importar vários produtos do Brasil. O secretário Célio Porto acredita que o País deve se voltar mais a esse mercado. “Voltei de lá convencido de que teríamos de focar um pouco mais nossas ações comerciais nesses entrepostos dinâmicos, como Emirados Árabes, Hong Kong, Malásia e Singapura”, destacou.
O segmento de flores também chamou a atenção da equipe. O emirado de Dubai pretende se tornar um pólo internacional de comercialização do produto e o Brasil está na lista de possíveis vendedores, principalmente depois que a empresa aérea Emirates Airline lançou um vôo diário, direto de São Paulo para Dubai. A previsão de inaugurar mais um vôo regular, em agosto, poderá aumentar as possibilidades de negócios. Ficou acordado que, ainda este ano, uma missão dos Emirados Árabes virá ao Brasil para conhecer o mercado de flores.
Em Riad, as autoridades brasileiras visitaram a maior cadeia de hipermercado da Arábia Saudita e identificaram que o espaço ocupado por sucos, lácteos e arroz nas gôndolas sinaliza a demanda por estes produtos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email