2 de dezembro de 2021

Vereadores criticam bagunça na entrega de cartões

O tumulto ocorrido durante a entrega dos cartões do Programa Bolsa Família, no último sábado, 27, gerou críticas por parte de vereadores de oposição e da própria base de apoio ao governo municipal na sessão legislativa de ontem da CMM

O tumulto ocorrido durante a entrega dos cartões do Programa Bolsa Família, no último sábado, 27, gerou críticas por parte de vereadores de oposição e da própria base de apoio ao governo municipal na sessão legislativa de ontem da CMM (Câmara Municipal de Manaus). Os vereadores criticaram a metodologia adotada pela prefeitura, através da Semasdh (Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos), que causou revolta na população.
O primeiro a criticar a aglomeração de mais de 13,5 mil beneficiários que estiveram no Parque Municipal do Idoso, no bairro Nossa Senhora das Graças, foi um aliado ferrenho da PMM. O vereador Luiz Alberto Carijó (PTB) ligou para o secretário da Semasdh ainda no Plenário da Casa e pediu explicações para o que classificou de “tragédia política”. Carijó também lamentou a desinformação da população, que só foi avisada há duas semanas. “Tenho certeza que isso será um fato isolado e não será repetido, a intenção da prefeitura não é de expor tantas famílias”, observou.
A bancada de oposição questionou a não utilização da estrutura dos CRAS (Centro de Referência Social), que deveriam servir como bases estratégicas para a entrega dos cartões. A vereadora Lucia Antony (PCdoB) ressaltou em seu discurso que os CRAS devem ser usados por terem localização estratégica e também desempenharem o papel de porta de entrada da população aos benefícios a quem tem direito. A parlamentar destacou a dificuldade da população em encontrar apoio da rede social do município. “Temos hoje uma rede social falida em Manaus”, frisou.
De acordo com o secretário Sidomar Abtibol, a intensa aglomeração de pessoas na entrega dos cartões “não passa de uma situação normal”. Abtibol afirma que as pessoas não estão atentas às chamadas feitas pela Semasdh. “Agora, quando dizemos que vamos reavaliar o programa elas se mexem”, destaca. O secretário diz, no entanto, que a logística foi estipulada pela CEF (Caixa Econômica Federal). “A Caixa precisa levar a estrutura bancária para dentro do Parque do Idoso para que o atendimento seja melhorado”, explicou.

PT vai ao MPE contra filas

O tumulto de sábado também levou o deputado estadual José Ricardo Wendling (PT) a ingressar com ação no MPE/AM (Ministério Público do Estado do Amazonas) contra a Prefeitura de Manaus para acabar com as filas “humilhantes” a que são submetidos os beneficiários do programa Bolsa Família. O recadastramento realizado no último sábado no Parque do Idoso, obrigando uma multidão de mães, idosos e crianças a permanecerem desde a madrugada na fila, sendo atendidos por volta das 11h, foi classificado como “desumanidade” pelo parlamentar.
O deputado mostrou um vídeo à imprensa com as pessoas na fila desde a madrugada no Parque do Idoso. “Não podemos aceitar isso”, desabafou, citando depoimento de alguns beneficiários que chegaram de madrugada (4h30) e por volta do meio-dia receberam a informação de que não tinham direito ao benefício. O deputado teme que o problema se agrave com o programa ‘Leite do Meu Filho’, lançado pelo prefeito Amazonino Mendes. “Temos que acabar com essa humilhação das filas na nossa cidade”, completa.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email