Vendas do varejo surpreendem e ficam acima da média nacional

As vendas do comércio varejista da capital amazonense durante a Páscoa cresceram 7,5% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus). O resultado superou as expectativas dos lojistas da cidade e ficou bem acima da média nacional -4,5%, considerado apenas o fim de semana, segundo dados da Serasa Experian divulgados na segunda-feira, 5.
Os números também ajudaram a dar alento a um setor que começou o ano praticamente estagnado, segundo depoimentos anteriores de lideranças empresariais da cidade ouvidas pelo Jornal do Commercio.
Contribuíram para o resultado positivo da Páscoa, o aquecimento da economia e o empurrão proporcionado pela campanha Liquida Manaus, iniciativa do setor que busca seduzir o consumidor manauense com brindes e descontos de 10% a 50%.
“Tivemos um resultado muito melhor do que o restante do país e isso em grande parte pelo Liquida Manaus. É o resultado também do aumento do poder econômico do comprador”, ponderou o presidente da CDL-Manaus, Ezra Azury Benzion, acrescentando que a maior parte das vendas se concentrou nas classes B e C.

Preços salgados

Nem mesmo os preços salgados conseguiram inibir o consumo, embora tenham contribuído para inflar o faturamento do setor. Levantamento nacional da FGV (Fundação Getúlio Vargas) indica que a diferença foi de 2,77% frente o mesmo período do ano passado, pelo menos no caso dos pescados. A faixa de compra na capital se situou entre R$ 40 e R$ 60, em média, conforme a FCDL-AM (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado do Amazonas).
“O poder aquisitivo do consumidor melhorou e sua expectativa também. Daí, o investimento em produtos com maior qualidade. Percorremos as lojas durante o período e verificamos satisfação dos empresários”, declarou o presidente da FCDL-Manaus, Ralph Assayag, que até o fechamento desta edição ainda não havia recebido o levantamento consolidado de sua entidade.
“Os ovos de Páscoa, por exemplo, poderiam ser mais em conta. A majoração de preços predatória não é boa para o comércio, nem a escassez de produtos na hora da compra”, lamentou o presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Gaitano Antonaccio, garantindo que faltou ovo de Páscoa em muitas lojas da capital para quem deixou para comprar na última hora.
Ralph Assayag não soube precisar números em relação ao movimento de estoque do setor e ressaltou que isso depende de quanto cada loja investiu na aquisição de produtos. O dirigente informou que, de uma forma geral, o varejo manauense elevou entre 15% e 20% seu volume para a Páscoa neste ano.

Comércio contrata mais em 2010

Se os investimentos das lojas para atender a demanda da Páscoa aumentaram, o mesmo pode se dizer do volume de contratações temporárias, que subiu 54,54% em relação ao ano passado, de 1.100 pessoas (2009) para 1.700 (2010). O comércio varejista de Manaus emprega atualmente em torno de 170 mil trabalhadores.
A expectativa do setor, conforme Ralph Assayag, é que a maior parte desse contingente seja mantida em seus postos de trabalho para atender à aguardada expansão de vendas por conta do Dia das Mães e Dia dos Namorados.
“A maioria vai ficar no emprego por conta do movimento gerado pelas festas e pela Copa do Mundo. Isso sem falar no turismo doméstico, já que a cidade tem hoje um giro de 3 milhões a 4 milhões de visitantes por mês”, finalizou Gaitano Antonaccio.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email