Vendas do Dia das Mães supera as expectativas

As vendas do Dia das Mães superaram as expectativas do varejo local. A pesquisa da CDL-Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus) havia projetado alta de 3,8% em relação a 2019 – dada a impossibilidade de comparar com 2020 –, com renda bruta superior a R$ 147,78 milhões. Números fornecidos pela entidade à reportagem do Jornal do Commercio indicam, contudo, que o crescimento foi de 4,4% e o faturamento encostou nos R$ 148,67 milhões. 

O valor das compras também superou as estimativas iniciais dos lojistas, que aguardavam um ticket médio de R$ 144,90 para a data comemorativa deste ano, com predomínio das faixas de gastos entre R$ 51 e R$ 100 (para 28,9% dos entrevistados pela CDL-Manaus) e de R$ 101 a R$ 200 (36,8%). Os consumidores, por outro lado, resolveram dispender uma média de R$ 157,10 na compra dos presentes para o Dia das Mães.

Houve uma relativa surpresa também nos segmentos que registraram os melhores resultados neste ano. A preferência da clientela foi pelo vestuário (22,4%) – que aparecia na segunda posição da sondagem da entidade empresarial. Perfumes e cosméticos (19,5%) apareceram na segunda posição – e não primeira, como era aguardado. Na sequência vieram calçados (17,8%), bolsas e acessórios (12,7%), joias e relógios (9,5%) e eletrodomésticos (6,3%), além de almoço/jantar (3,6%), celular/smartphone (1,8%) e flores/cestas (1,1%).  

Valor das compras também superou as estimativas iniciais dos lojistas
Foto: Divulgação

Em sintonia com o medo da pandemia, o percentual de vendas online (21,8%) também bateu o somatório das estimativas iniciais para internet e e-commerce (5,6%) e mídias sociais das lojas (10,5%). A fatia majoritária seguiu sendo a da comercialização pelo modo presencial, mas a CDL-Manaus não delimitou os tipos de varejo escolhidos pelo consumidor neste ano. O levantamento preliminar apontava uma preferência pelos shoppings (29,4%), seguidos pelos comércios de bairro (19,5%), lojas do Centro (16,4%) e lojas de departamentos (10,5%).

O principal meio de pagamento empregado pelo consumidor local nas compras do Dia das Mães deste ano foi o parcelamento pelo cartão de crédito (28,1%), pouco abaixo do aguardado (31,2%). Apesar do destaque das vendas a prazo – que incluíram ainda o cartão de crédito à vista (11,4%), crediário da loja (9,2%) –, o saldo de operações à vista também foi relevante, especialmente pelo cartão de débito (21,8%), seguido por dinheiro (21,3%) e pix (8,2%).

Injeção de liquidez

Em entrevista anterior ao Jornal do Commercio, o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, assinalou que as flexibilizações e o retorno ao atendimento presencial no varejo ajudaram a dar maior otimismo ao consumidor, produzindo um comportamento diferente do percebido no ano passado, quando o Estado ainda estava mergulhado na primeira onda e no fechamento quase que total do setor.

O dirigente também considera que, a despeito dos obstáculos, a economia está se posicionando gradativamente e sinalizando retomada, em um ambiente em que as empresas estão preparadas para facilitar pagamentos para garantir vendas. Nesse sentido, Assayag aguardar melhor fôlego para o setor, a partir da injeção de liquidez na praça, proporcionada pelo auxílio emergencial, pelo pagamento do 13º salário “do governo” e pelo dinheiro do 14º salário “do pessoal da saúde”. 

A expectativa do presidente da CDL-Manaus é que, com isso, o faturamento dos lojistas possa estabilizar e alcançar ganhos mensais, no curto prazo, sem riscos de retrocessos nas flexibilizações. “Nossa pesquisa do Dia das Mães foi muito em cima de 2019 porque, neste período do ano passado, estávamos praticamente todos fechados. Estou esperançoso que maio seja bom e que, em junho já possamos estar trabalhando em toda nossa plenitude, superando os resultados do ano passado e de 2019”, enfatizou.

Otimismo x mercado

Um dos segmentos que mais colheu resultados neste Dia das Mães foi o de perfumes e cosméticos. A Comepi, por exemplo, registrou um acréscimo de 10% nas vendas, em relação ao ano passado. Os produtos mais vendidos foram kits de presentes, perfumes, maquiagens, produtos capilares e equipamentos (para fazer chapinha, entre outros). Embora o resultado tenha ficado aquém do projetado pela companhia, o diretor geral da Comepi em Manaus, Gustavo Souza, ressalta que o saldo foi positivo.

“A primeira semana que antecede o Dias das Mães deixou nossas lojas bem movimentadas, com forte reflexo nas vendas. Com isso, achávamos que dava até para chegar a 15% ou até 20%. Não tivemos o resultado esperado, mas foi significativo no cenário conturbado em que estamos. Acredito que o otimismo e a força da data pesaram. Além disso, os perfumes ainda são produtos relativamente baratos”, avaliou.

Apesar do saldo positivo, Gustavo Souza avalia que o desempenho não pode ser tomado como um termômetro para as vendas dos próximos meses, dadas as incertezas em torno do controle da crie sanitária – especialmente a queda no ritmo da vacinação – e todas as incertezas econômicas decorrentes da pandemia, além do cenário de crescente instabilidade política. 

“Maio é um mês diferenciado dentro do ano, por causa do Dia das Mães. Não tenho dúvida que há otimismo, mas o mercado mesmo não melhorou e o desemprego continua alto. É um cenário difícil. Estamos cautelosos ainda diante do movimento da pandemia no Estado. Se esta for controlada efetivamente, pode ser um fator importante na retomada das vendas no comércio”, ponderou.

Empresários que atuam em segmentos que comercializam celulares (1,8% das vendas para o Dia das Mães), que são itens de maior valor agregado, têm percepção semelhante. O sócio diretor da Foto Nascimento, Antonio, Kizem Rodrigues, projetava alta de 10% – em função especialmente do ticket médio – diz que a superação da meta não implica necessariamente em um cenário melhor. “Nosso resultado foi mais forte, em torno de 14,8%, e especialmente para telefonia. Ainda é um produto de desejo no nosso mix. Mas, as vendas já caíram e não podemos afirmar que se manterão nesse nível, infelizmente”, arrematou.  

Foto/Destaque: Fatima Garcia

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email