6 de dezembro de 2021

Vendas do Dia das Crianças em Manaus são positivas

As vendas do comércio da capital amazonense superaram a meta estipulada pela CDL-Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus), nos dias que antecederam o Dia das Crianças. A entidade projetava expansão de 3,17% no volume comercializado e um saldo de R$ 48,49 milhões no movimento do varejo local. Mas, o desempenho acabou sendo 3,4% melhor do que o apresentado no mesmo período de 2020 –além de ser praticamente o dobro do apresentado na data comemorativa do ano passado (+2,1%).

O ticket médio se aproximou dos R$ 160, com prioridade para os brinquedos. O valor também veio reforçado em relação ao anteriormente previsto (R$ 142,50) na pesquisa de intenção de compras da CDL-Manaus, e na comparação com o registrado 12 meses atrás, no primeiro Dia das Crianças da pandemia (R$ 130). A entidade destaca, no entanto, que o enfraquecimento da base de comparação pelas incertezas da pandemia ajudou a inflar os resultados, assim como a alta da inflação.

“A pesquisa estava certa e tivemos um bom resultado de crescimento e o ticket médio subiu um pouquinho. Mas, acredito que até mesmo pelo preço dos produtos, o valor acabou ficando maior. Por contar com menor preço, o brinquedo respondeu pela maioria das vendas. A gente atribui o crescimento ao fato de que, no ano passado, ainda tínhamos muitas lojas fechadas, com alguma coisa de decreto, áreas de fechamento e horários de funcionamento, além de muita incerteza do que iria acontecer. Neste ano, já estávamos livres e, graças a Deus, vacinadas e acreditando mais em seus empregos”, afiançou o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag.  

Pelo sim, pelo não, o desempenho veio, de fato, acima do estipulado pela pesquisa preliminar da entidade. Vale notar que o levantamento indicava que 55,1% dos consumidores da capital amazonense pretendiam gastar até R$ 100 no presente. O foco no preço (73,9%), por sinal, era o critério mais apontado pelos entrevistados pela entidade, ao passo que promoções e descontos eram a predileção de outros 28,3%. Outros 42,9% afirmavam que iriam dispender entre R$ 101 e R$ 500, e 2% estavam na faixa de gastos de R$ 501 a R$ 999. 

Cartões e shoppings

Brinquedos apareciam no topo da lista de intenção de compras (35,1%) e acabaram sendo, de fato, os preferidos pelo consumidor. Embora a entidade não confirme as demais posições do ranking, sabe-se que bonecos ou bonecas (25,2%), artigos de vestuário (22,5%), calçados (15,8%), bolas/artigos esportivos (12,1%), instrumentos musicais (11,2%), carros com ou sem controle remoto (10,9%), bicicletas (8,7%), video games/jogos (10,9%), bichos de pelúcia (8,7%), livros (6,5%) e piscinas e patins (ambos com 2,2%) apareciam nas colocações seguintes do ranking. 

Em sintonia com o aumento do nível de endividamento do consumidor capturado nas mais recentes pesquisas da CNC em Manaus –que já apontava taxa de 69,7% em agosto –, o meio de pagamento preferido acabou sendo mesmo o cartão de crédito, que aparecia no estudo da CDL-Manaus com 47,8% das predileções, para compras parceladas, com 4,3%, para as aquisições à vista (4,3%). Os pagamentos em dinheiro, que figuravam com 19,6% das preferências, acabaram ficando em segundo lugar. Cartões de débito (17,4%), cartões de loja, Pix (os dois com 4,3%, cada) e crediários (2,2%) também compareceram na lista.

De acordo com Ralph Assayag, o maior volume de compras para o Dia das Crianças se deu nos centros de compras, seguidos pelas lojas do Centro da cidade e pelos comércios de bairros. O dado acompanhou o ranking previsto na pesquisa da CDL-Manaus, que apontava fatias de 43%,34% e 9,2% cada, respectivamente. O mesmo levantamento previa que 13,8% das vendas se dariam pela internet/e-commerce. “Os shoppings centers ficaram lotados. No Centro, graças a Deus, tivemos um bom resultado. Inclusive, a temperatura foi até razoável na sexta (8), sábado (9), domingo (10) e segunda (11), e a região estava mais organizada e tivemos também um bom resultado lá”, comemorou.

Termômetro e susto

Depois de atravessar três meses seguidos de quedas nas vendas, conforme as pesquisas mensais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) referentes a junho (-3,5%), julho (-2,8%) e agosto (-1,5%) –e já com sinalização de uma nova retração em setembro –, o desempenho positivo das vendas do Dia das Crianças pode sinalizar boas surpresas para as festas de fim de ano, conforme Ralph Assayag.

No texto divulgado por sua assessoria de imprensa, a CDL-Manaus ressaltou que a “expectativa de consumo” reforçava “tendência de uma recuperação gradual do varejo”, dado que uma vez que a data comemorativa é a terceira mais importante para o comércio, atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. Ainda há, entretanto, obstáculos no caminho, e eles vêm na forma do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Ampliado) recorde de setembro, secundado por um novo viés de alta no dólar, nova escalada da Selic e a ameaça permanente de desabastecimento no setor, entre outros entraves. 

“As vendas do Dia das Crianças são um bom termômetro para a gente saber que, caso não aconteça nada, teremos um bom resultado nos próximos meses. Porque, dos governos federal, estadual e municipal, toda semana, ou toda quinzena, tem alguma coisa que dá susto, como a gente está vendo com a situação do dólar. Se nada der susto até o final do ano, acho que nós vamos ter uma excelente venda. Estamos acreditando, mas como tudo está mudando tão rápido, pode ser que não aconteça”, finalizou.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email