Vendas de imóveis têm boa velocidade

Manaus está entre as capitais com maior IVV (Índice de Velocidade de Vendas) de imóveis

Manaus está entre as capitais brasileiras com maior IVV (Índice de Velocidade de Vendas) de imóveis residenciais. Esse dado consta na pesquisa sobre o mercado imobiliário local divulgada pelo Sinduscon-AM (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas) em parceria com o IBP (Instituto Beta de Pesquisa) nesta quinta-feira (12). O objetivo da pesquisa foi gerar índices que permitam acompanhar as tendências imobiliárias da cidade.
De acordo com os dados coletados, no ano passado, o IVV médio alcançado pela capital amazonense foi de 8,47%. Esse percentual está acima de índices atingidos por algumas das principais capitais brasileiras, como é o caso de Belo Horizonte (8,01%), Recife (7,76%) e inclusive, São Paulo (7,39%). Manaus aparece um pouco atrás de Porto Alegre (8,92%). O IVV leva em consideração a oferta de imóveis e a venda.
Segundo o vice-presidente do Sinduscon-AM, Frank do Carmo, percebe-se um equilíbrio entre o IVV de Manaus em relação a de grandes capitais do Brasil, considerando-se a variação de ofertas de um lugar para outro, indicando que, apesar do contexto econômico atual, não há fator que possa apontar para um baixo índice de venda no mercado imobiliário local.
A pesquisa indicou um total de 2.271 unidades vendidas em 2014, sendo que o primeiro bimestre foi o que alcançou o melhor resultado, 434 imóveis comercializados. A explicação apresentada é de que ainda se tinha um certo “fervor” por parte do mercado de interesse à época. Desse universo, 1.425 foram negociadas por meio de programas de financiamento, o equivalente a 62,75%; 760 através do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal, totalizando 33,47%; e o restante (86), através de investimento das próprias incorporadoras. No último bimestre do ano passado, a oferta disponível no mercado chegou a 4.175 imóveis.
Outro aspecto destacado foi o preço médio por metro quadrado. No caso das unidades vendidas por meio do Minha Casa Minha Vida, esse valor chegou a R$ 3.219,04, enquanto que a média do metro quadrado dos imóveis adquiridos por meio de financiamento foi de R$ 5.585,37. Os imóveis adquiridos via investimentos das incorporadoras foram os que alcançaram o maior preço médio por metro quadrado: R$ 6.868,85.
Diferente do que muitos imaginam, o preço médio por metro quadrado dos imóveis vendidos prontos foi o menor apresentado em 2014– R$ 4.934,45, contra R$ 5.360,50 do valor médio por metro quadrado dos imóveis adquiridos na planta e R$ 6.675,36 dos que estavam ainda em fase de fundação.
A pesquisa apontou também que as unidades que vão de 51 a 100 metros quadrados foram as que obtiveram maior sucesso de venda.
Localização geográfica
Quanto aos bairros com maior incidência de imóveis disponíveis para vendas estão Tarumã, Ponta Negra, Aleixo, Flores e Adrianópolis. Porém, o bairro de Santa Etelvina, localizado na zona Norte da cidade, obteve um salto no quantitativo de oferta, passando de 51 no primeiro bimestre de 2014 para 454 no último bimestre, com pico de 537 nos meses de maio e junho do ano passado.
O bairro com o preço médio do metro quadrado mais caro da cidade é Adrianópolis (R$ 6.699), seguido da Ponta Negra (R$ 6.365), Parque 10 (R$ 6.086), Nossa Senhora das Graças (R$ 5941) e Dom Pedro (R$ 5713).

Salas comerciais
A pesquisa sobre o I VV também abrangeu as salas comerciais, atingindo em 2014, 3,51%. Fazendo um comparativo, no início do ano, o IVV de salas comerciais estava em 2,95% e fechou o último bimestre em 5,65%. Os bairros com maior disponibilidade desse tipo de empreendimento são Adrianópolis, Ponta Negra, Petrópolis, Distrito Industrial e Flores. A faixa de valor da grande maioria desses imóveis, conforme consta na pesquisa, foi de R$ 500 mil.
Conforme o vice-presidente do Sinduscon-AM, a previsão de crescimento do segmento neste ano deve chegar a 1%. O setor representa atualmente 6% do PIB do Estado. Na opinião de Frank do Carmo, percebe-se um equilíbrio nas vendas de imóveis, apesar da redução de ofertas, o que segue a tendência do mercado nacional. De acordo com ele, a expectativa para 2015 é bastante positiva, levando em consideração que o mercado está se reestruturando e com previsão de novos lançamentos.
Para o representante do Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Amazonas), Leandro Dias, o mercado imobiliário local passa por um ajuste, o que reflete nos preços, decorrentes também da demanda de interesse da compra. Conforme ele, na contramão do entendimento de muitos, esse ajuste do segmento é um ótimo cenário para aquisição de imóveis.
A pesquisa foi feita com base em dados informados por 16 contrutoras/incorporadoras associadas ao Sinduscon-AM e que operam com mercado imobiliário: Capital Rossi, Arruda Guimarães, Capital, Cristal, Engeco, J. Nasser , Nova Recife, NV , PW , Patrimônio, PDG/Aliança, Sofios, Unipar, Europa , RD e Direcional . A metodologia aplicada foi a coleta presencial.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email