Vendas de Dia dos Pais registram incremento nos shoppings

O afrouxamento nas flexibilizações, controle em relação ao número de casos de Covid e o avanço nas vacinações, foram fatores primordiais para que o faturamento dos shopping centers apresentasse incremento no  Dia dos Pais. No Amazonas, o setor teve bom desempenho: elevação de 27,4% em relação à semana anterior à que antecedeu a data.

Os índices nacionais em relação ao volume de vendas este ano em comparação a 2019, ano sem pandemia, foi de 8,3%, considerado acima daquele período. Os números da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) revelam ainda que as vendas no setor apresentaram crescimento de 45,4% em relação ao ano passado, movimentando R$ 3,8 bilhões.

O presidente da Alasc (Associação de Lojistas do Amazonas Shopping ), André Gesta, 8,3% acima de 2019, é o  número mais real do incremento do setor em Manaus, pois em 2020 alguns estados ainda estavam fechados. 

“Aqui também foi parecido, tivemos um ótimo crescimento em relação a 2020. A depender do segmento, tivemos uma  média de crescimento em mais de 10%”, afirma ele. Para  Gesta, o crescimento também está associado a uma demanda reprimida e muita gente que aproveitou a data para comprar presentes e se presentear e fortalecer esse laço num momento tão delicado para as famílias brasileiras. 

O incremento estava entre a aposta dos representantes do setor. Que projetavam alta de  32% no volume de vendas com a data comemorativa. Lojistas no Amazonas estimavam acréscimo de até 12%. 

“Foi bem satisfatório em relação ao ano passado. Apesar de ainda estar longe do patamar pré-pandemia, é um resultado a se comemorar. Aos poucos vamos conseguir superar toda a dificuldade enfrentada pelo setor que amargou muitos prejuízos”, declarou o gerente de loja, Nilson Bezerra, complementando que qualquer acréscimo nos índices, por menor que seja, precisa ser comemorado. 

Na região Norte, o levantamento indica que o crescimento das vendas em shopping centers na semana que antecedeu o Dia dos Pais foi de 20%, em relação ao mesmo período do ano passado, considerando a mesma data comemorativa de 2019, o aumento neste ano foi de 21,5%”. 

Para o presidente da Abrasce, Glauco Humai, o avanço da vacinação e a sensação de maior confiança das pessoas em retomar hábitos, como o de frequentar shoppings, ainda que com toda a cautela necessária, está impactando positivamente o setor e encorajando os empreendedores a respeito de um segundo semestre mais otimista para as vendas

Aumento no ticket

De acordo com dados da Abrasce, os shoppings também registraram um aumento no ticket médio, que foi de R$ 193 reais em 2021 e representa uma alta de 12,2% em relação ao ano passado, quando o setor apresentou um ticket médio de R$ 172 reais. As lojas de rua registraram um ticket médio de R$ 88 reais, uma elevação de 37,6% frente ao período anterior (R$ 64 reais). Por fim, ao comparar o ticket médio das lojas de shopping com as lojas de rua, a diferença foi de 119,3% em 2021.

O presidente da entidade, Glauco Humai, destaca que o bom desempenho nas vendas superou as expectativas dos shoppings a nível nacional, que apostaram em um crescimento de 32%. O executivo atribuiu a alta acentuada à maior flexibilização das medidas de distanciamento social e o avanço da vacinação contra a covid-19. “Os consumidores estão se sentindo mais seguros para fazer suas compras e retomar hábitos como o de frequentar shoppings, ainda que com toda a cautela necessária. Esse resultado encoraja os empreendedores e os deixam mais otimistas quanto à retomada do setor como um todo”, afirma.

Vestuário, artigos esportivos, livrarias, papelarias e afins, móveis, eletroeletrônicos, chocolates, cosméticos e bebidas foram os artigos mais procurados para presentes.

Por dentro

Conforme a Abrasce, em termos reais (descontada a inflação), observa-se uma queda de 2,6%. Os resultados foram obtidos por meio do Icva (Índice Cielo do Varejo Ampliado) e elaborados pela entidade. Os dados contemplam apenas o varejo físico.

Cenário acena confiança

O setor segue otimista. Para Glauco Humai, todos os fatores elencados como a vacinação, controle da doença e maiores flexibilizações trazem confiança para os consumidores. 

Comércio

Números da CDLM (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus) comprovam que a movimentação no comércio com a data, angariou 2,5% nas vendas. Números acima dos 2,1% estimados por representantes do varejo em relação ao ano passado.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email