Venda ilegal do pirarucu é combatida

Uma operação de combate à venda ilegal do Pirarucu (Arapaima gigas) foi realizada semana passada no município de Tonantins (a 867 km de Manaus). A ação foi promovida pelo Governo do Estado, por meio do Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas), Secretaria de Produção e Abastecimento e Prefeitura Municipal.
O objetivo foi inibir a prática de comercialização ilegal do pescado no município. Como estratégias de ação foram realizadas visitas aos principais pontos de vendas, como feiras, mercados e estabelecimentos comerciais.
De acordo com o secretário municipal de produção e abastecimento, Luiz Maia de Góes, a ação faz parte do Projeto Participativo de Manejo de Lagos, com ênfase no pirarucu, que hoje abrange os municípios de Jutaí, Fonte Boa, Maraã e Tonantins. Segundo ele a ideia é atender toda a região do Alto Solimões.
“Nossa meta é conscientizar os pescadores locais sobre a importância da pesca sustentável e legalizada, visando sempre preservar e respeitar o meio ambiente”, destacou.
Na ocasião foram distribuídos panfletos informativos contendo orientações sobre os danos ambientais consequentes da pesca ilegal. Vale destacar, que o infrator flagrado vendendo o pirarucu não manejado poderá responder judicialmente perante aos órgãos competentes.
A ação foi realizada em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Produção e Abastecimento, Secretaria Indígena, Proderam, Aspect (Associação de Pescadores Artesanais), Sindicato dos Pescadores, Agentes Ambientais Voluntários e Polícia Militar.

Benefícios

Com a pesca legalizada é possível gerar renda para as famílias e impulsionar a economia local. A produção estimada para este ano é de 2.848 unidades de pirarucus manejados, que serão capturados entre os meses de agosto e novembro. O que vai gerar uma renda de aproximadamente 1,5 milhão, beneficiando cerca de 380 famílias de 35 comunidades de Tonantins.
Ainda está previsto para a segunda semana de agosto, a comercialização de 24 toneladas de pirarucu que será realizada por meio da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e que serão doadas no próprio município para entidades como, escolas municipais e estaduais, delegacias, entidades religiosas, associações e famílias em situação de insegurança alimentar.

Projeto

O Projeto Participativo de Manejo de Lagos, com ênfase no pirarucu, foi implantado no município em 2010, e é desenvolvido pela Aspect em parceria com o Proderam, por meio das Secretarias de Produção e Meio Ambiente e recebe todo o apoio técnico do IDAM (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas). O objetivo é recuperar os estoques pesqueiros dos lagos, onde a fiscalização é feita pelos próprios comunitários. Para cada comunidade existe um agente ambiental voluntário.
Para o técnico em agropecuária do IDAM, Valdir Rodrigues dos Santos, é essencial o envolvimento da população local no desenvolvimento das atividades do projeto, tanto na criação, proteção, fiscalização, como no manejo, visando evitar ou corrigir problemas que influenciem no êxito das atividades.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email