Você sabia que muitas pessoas não avançam no caminho das suas melhores oportunidades por medo do sucesso? Sim! Existem alguns que reforçam que o medo de assumir responsabilidades maiores com o sucesso bloqueia as pessoas no meio do caminho. Outros dizem que o excesso de exposição e a vergonha de ser notado, faz com que muitos não se mostrem e com isto não avançam. Alguns afirmam ainda que com receio de perder amigos e se perceberem perto de pessoas que não confiam impedem de seguir mais longe.

De certo, com sucesso vem a responsabilidade e com mais responsabilidade vem mais pressão e com mais pressão necessidades de competências antes não experimentadas. É possível também que todo sucesso aumente mais expectativas, mais assuntos para aprender, mais obstáculos para lidar e mais “tato” para perceber o seu entorno. Mais será mesmo que este é maior receio?

Nesta hora de reflexão eu penso no discurso de posse de Nelson Mandela em 1994: “Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta. Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?” Na verdade, quem é você para não ser tudo isso? Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você. E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo.” 

Eu amo este discurso e ele me faz querer encontrar cada vez mais a minha luz, porque no fundo não tem relação com quanto irei brilhar, mas o quanto serei capaz de iluminar, de contribuir com o potencial de tantas outras que estão na escuridão com medo de aparecer.

Eu passo a acreditar que o baixo desempenho poderia ser muito mais angustiante. Não fazer o melhor e buscar ao máximo uma vida saudável espiritual, intelectual, física e emocional seria um grande desperdício para o que nascemos para ser. E você? O que você acha sobre isto?

Certamente você já teve medo de fracassar, de não ser capaz, de não conseguir, de ser ridicularizado, de cair, de não atender as expectativas, de não ser bom o suficiente, de não ter conhecimento o bastante. Teve? Mas você já teve medo da sua grandeza? Medo do seu brilho? Medo do seu eu maior e melhor?

Freud explica que o sucesso muitas vezes gera um sentimento de culpa como se estivéssemos humilhando alguém, podendo produzir até um sentimento de melancolia ou mesmo desânimo. No momento em que estamos prestes a vencer, podemos ter medo de causar inveja ou desconforto nos mais próximos e, inconscientemente, nos sabotamos para provocar o nosso próprio fracasso, acreditando que assim iremos garantir a aceitação e o afeto dos outros. Afinal, querer ser amado é uma necessidade primária.

Sobre inveja eu escrevi no artigo de algumas semanas, caso não tenha lido, corre lá para ler. Acredito que vale a pena esta outra reflexão! De fato é provável que, ao deixarmos nossa grandeza ser revelada, podemos incomodar e isso vir a nos pesar, mas nada será tão penoso para sua existência do que deixar de ser o melhor que pode ser com receio do que vão dizer. Pense: Ser você é o seu maior poder!

Podemos concentrar nossos olhares para os benefícios a longo prazo do sucesso. Podemos perceber que superar estes receios nos levará para uma vida mais inteira, com mais autonomia, liberdade, reconhecimento e alegria, uma remuneração mais alta, quem sabe, ou até mesmo um lugar melhor para se acomodar e um estilo de vida mais prospera para você e para todos ao seu redor.

Ser capaz de alcançar seus objetivos também pode ajudar a aumentar a confiança para que você possa continuar buscando níveis mais altos de desempenho. Pense no sucesso como um treino intenso, que pode parecer doloroso pouco antes de começar, mas você sabe que os benefícios a longo prazo para sua saúde e condicionamento serão superiores àquele breve momento de pavor de ter que passar por ele a cada vez. 

Convido você a não ter medo de ser o maior você e ser o melhor você, com toda intensidade e com todo brilho. Ter coragem para ser farol, ter a ousadia para ser guia, ter a autoestima para “chegar, chegando”. Ter a autoconfiança para bater no peito e dizer eu consegui.

Eu tenho certeza que se você leu este artigo até o fim é porque apesar do seu medo, há uma alma que almeja ser luz, um coração com fortes desejos de fazer acontecer. Quando esta alma e este coração encontra o verdadeiro propósito de contribuir com sua luz, de fazer a diferença; de criar, inovar e surpreender todos os receios ficarão pequeno. Lembre-se: permita que outras pessoas brilhem com o seu exemplo de iluminar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email