Veganos sim, e cada vez mais numerosos

Se você quer ser radical na sua alimentação, torne-se vegetariano. Se desejar ser ainda mais radical, vire vegano. Veganos não só não se alimentam de carnes de animais como também querem distância de seus derivados, como leite e ovos. E os próprios veganos podem ir mais além em seu radicalismo evitando roupas, cosméticos e até mesmo medicamentos que possam ter ao menos um pelinho, ou uma peninha, de animal.

Mas o certo é que os números de adeptos desse modo de vida só crescem no mundo todo, tanto que, desde 1994, o dia 1º de novembro é comemorado como o Dia Mundial do Veganismo.

As misturas das comidas são estranhas e os chefs viajam nos ingredientes: tartare vegano feito com pasta de castanha de caju, lentilha, cenoura em cubinhos; kafta de jaca com homus, feita com jaca verde desfiada, quinoa, banana verde e especiarias, servida com homus de grão-de-bico; risoto de cogumelos com azeite e couve crocante; quiabo na brasa com missô e malagueta; panelinha de cogumelos na brasa, mas o que importa é serem saborosas e não terem um pingo animal.

Em Manaus, desde o dia 2 de julho de 2017 temos o primeiro restaurante com cardápio exclusivamente vegano, o Edi Sabor Natural Vegetariano, em Adrianópolis.

“Eu promovia cursos de comida vegana e meus alunos começaram a perguntar por que eu não abria um restaurante? Então resolvi abrir”, contou Edinelza Araújo, proprietária do Edi Sabor Natural Vegetariano.

O restaurante de Edinelza abre diariamente

“Sou vegana há dez anos, mas apenas na alimentação porque ainda não consegui me livrar de muitos produtos com origem animal. Mas um dia eu chego lá”, garantiu.

No Edi Sabor Natural, os carros-chefes do cardápio são as lasanhas, com cogumelo, tucumã, palmito, berinjela; pupunha assada com óleo de castanha de caju e manjericão;

“Depois vem o salpicão de jaca verde, o estrogonofe de tucumã, as almôndegas de lentilhas, a torta de grão de bico com palmito, o kirsh de tomate seco com alho poró, apenas para citar alguns”, listou.

“Aqui, nunca os pratos se repetem. Diariamente tem algo novo e praticamente todos são adaptados com os nossos produtos regionais”, esclareceu.

De acordo com Edinelza, sua clientela é formada, meio a meio, por veganos e por pessoas que admiram a comida vegana, porque buscam por saúde.

E a comida vegana, se comida em excesso, pode engordar, porque muitos pratos levam massa, mas é saudável porque é rica em fibras e possui muitos nutrientes.

“Para quem quer manter a forma, eu indico as saladas. As pessoas não ganham peso e nem ficam com fome. Mantém o peso”, ensinou.

No dia 1º de novembro, os clientes do Edi Sabor Natural terão 10% de desconto na sua conta.

Atendendo a vários públicos

Quem não conhece a Casa da Pamonha? Afinal, são 28 anos no mesmo local, no Centro, próximo ao Teatro Amazonas.

“Comecei vendendo pamonhas, depois inclui itens vegetarianos no cardápio, e mais recentemente os veganos”, falou Elzira Martimiani, proprietária da Casa da Pamonha.

“O prato mais solicitado é o suflê de jaca com couve flor. Mas não tem quem resista à feijoada com salsicha e salame vegetais. O porco nem faz falta”, brincou.

Desde o começo do restaurante é a própria Elzira quem elabora o cardápio. Antes era ela quem fazia as comidas. Agora apenas instrui seus cozinheiros.

“Mas continuo a elaborar e testar cada prato. Todos os dias temos alguma coisa diferente para oferecer ao cliente, como o vatapá de grão de bico, e a moqueca de banana, entre os que mais fazem sucesso. Todos estes, veganos”, explicou.

Nestes anos todos à frente do restaurante, Elzira formou públicos distintos e consegue identificá-los entre seus clientes.

“Primeiro foi um público de doces e salgados. Depois vieram os vegetarianos, que existem já há algum tempo, em Manaus. Mais recentemente começaram a surgir os veganos. Com a onda de comer bem para se manter saudável, surgiram aqueles que não são vegetarianos, nem veganos. Querem apenas uma comida gostosa, que não lhes faça mal”, revelou.

“Tem aqueles que não querem engordar e evitam as massas. Finalmente aparecem os clientes com problemas de saúde, com uma série de restrições, principalmente a frituras e gorduras. O importante é que todos comam bem, se sintam felizes e continuem saudáveis”, completou.

Para comemorar o Dia Mundial do Veganismo, o cliente que consumir acima de R$ 20 reais, na Casa da Pamonha, ganhará uma sobremesa vegana grátis.            

Serviço

O que: Edi Sabor Natural Vegetariano

Onde: Av. Mário Ypiranga Monteiro, 54 – Adrianópolis

Informações: 9 8437-0805

 

O que: Casa da Pamonha

Onde: Rua Barroso, 375 – Centro

Informações: 3234-7086

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email