Variação do IPCA dobra, fechando a 0,47%

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que serve de parâmetro para a inflação oficial, apurou alta de 0,47% em agosto, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Trata-se de uma aceleração frente a julho, quando o índice ficou em 0,24%.
A variação do índice acimadas estimativas de analistas do mercado financeiro, divulgadas no boletim Focus do Banco Central (0,38%). Nos últimos 12 meses, a inflação chega a 4,18% -acima dos 3,74% registrados no mesmo período do ano passado. No ano, o índice acumula alta de 2,80%, acima do 1,78% registrado entre janeiro e agosto de 2006.
A maior contribuição para o comportamento da inflação veio do grupo Alimentação e Bebidas, que registrou alta de 1,39%. Leite e derivados tiveram alta de 5,77%, abaixo da elevação registrada em julho, que foi de 11,31%.
As outras categorias que pressionaram o índice geral no mês passado foram telefonia fixa (1,14%), conserto de automóvel (1,41%), empregados domésticos (0,69%), planos de saúde (0,56%), colégios (0,49%) e passagens de ônibus urbanos (0,43%).
As categorias de produtos não-alimentícios tiveram alta de 0,22% no mês de agosto, contra uma deflação de 0,03% em julho.
O preço da gasolina registrou a principal queda do mês, com deflação de 0,89%. O preço do álcool teve deflação de 3,76%.
A inflação registrada no Estado de São Paulo, em agosto, foi de 0,47%, contra 0,17% em julho.
O IPCA é o índice oficial do governo para a definição das metas de inflação. O centro da meta do IPCA para este ano é de 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos para cima ou para baixo. O IPCA é medido em nove regiões metropolitanas, além de Brasília e Goiânia.

INPC de agosto varia 0,59%

O INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) apresentou variação de 0,59% no mês de agosto, resultado superior ao do mês de julho quando registrou (0,32%).
Com o índice mensal, o acumulado do ano situou-se em 3,13%, acima da taxa do ano passado (1,16%).
Na perspectiva dos últimos 12 meses ficou em 4,82%, pouco acima do resultado de 4,19% relativo aos 12 meses imediatamente anteriores. Em agosto de 2006, o índice foi de -0,02%.
No índice do mês, os produtos alimentícios apresentaram variação de 1,52%. Os não alimentícios aumentaram 0,23%. O maior índice regional foi registrado em Belém (1,05%) e o menor resultado ficou com Curitiba (0,28%).
O INPC , calculado pelo IBGE desde 1979, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 06 salários-mínimos, sendo o chefe assalariado, e abrange nove regiões metropolitanas do país, além do município de Goiânia e de Brasília.
Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 28 de julho a 27 de agosto (referência) com os preços vigentes no período de 28 de junho a 27 de julho (base).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email