Varejistas querem mais ação da prefeitura

Um dia após a realização da Operação Vaga Legal, comerciantes da cidade cobram da prefeitura ações mais eficazes na luta contra o comércio ilegal de vagas de estacionamento no Centro de Manaus. Operação foi realizada segunda-feira de manhã por agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito, mas foi considerada insatisfatória por comerciantes que se sentem prejudicados e afirmam que um dia depois o controle ilegal das vagas voltou a ser feito. Em passeio pelo centro nesta manha o Jornal do Commercio pôde constatar que ainda havia cadeiras e cones no local que compreende as ruas paralelas a Joaquim Sarmento, no Centro.
A operação da prefeitura abordou as ruas 24 de Maio, Barroso e Saldanha Marinho. Comerciantes do local afirmam que essas vagas são tomadas por flanelinhas que as seguram para quem pagar o maior valor. Muitos desses pagamentos seriam feitos mensalmente, por isso a necessidade de se guardar as vagas com cadeiras, cones e cavaletes, até que o dono da vaga chegue para preenchê-la. Os comerciantes entrevistados pediram para não serem identificados, ou que não identificássemos seu local de trabalho, por medo de represálias.
Alacid Batista dos Santos, proprietário de um restaurante no Centro da cidade, criticou a situação atual do Centro de Manaus e afirmou que os carros que param na frente de seu restaurante permanecem lá das 7h as 21h. A principal queixa de Alacid é em relação aos caminhões que não conseguem carregar e descarregar no seu restaurante, além dele mesmo ter que descer longe do seu local de trabalho. “Também tem a questão dos clientes, os carros fecham a entrada do restaurante e o cliente nem enxerga direito o local, além disso, ficam sem ter onde estacionar e acabam indo almoçar em outros lugares”, explica. Alacid afirma que nunca fez uso do recurso de guardar ou comprar vagas, no entanto questiona qual a saída que lhe resta. “A prefeitura não consegue garantir o bom uso das vagas e a gente acaba tendo prejuízo. Com isso as pessoas acabam procurando outras saídas. O que podemos fazer?”, reclama.
Durante a ação da prefeitura, realizada na segunda-feira (11), foram retirados 13 cones, duas cadeiras, um cavalete e duas sucatas do local. No entanto, a funcionária de um estacionamento na Joaquim Sarmento, que pediu para não ser identificada por medo de represálias, afirmou que na terça de manhã já podia ser visto todos os materiais novamente no local. “É uma máfia. Por isso não posso dar meu nome. Somos obrigados a conviver com isso. A prefeitura tira, mas se durar dois dias sem colocarem de novo é muito”, indigna-se.

Criação de Zona Azul é apontada como solução emergencial

Entre todas as alternativas encontradas pelos comerciantes, a que apresenta maior aceitação é a criação da Zona Azul na cidade. A modalidade de estacionamento é utilizada em várias cidades do país e visa incentivar a rotatividade de vagas em locais onde há uma grande procura por vagas de estacionamento como nos Centros das cidades. Pelo modelo, os veículos têm um tempo limite para ficarem estacionados em determinado local sem terem que pagar por isso. O tempo máximo costuma ser de 3 horas. Em alguns casos é pago por hora, até atingir o máximo de três, após isso o veículo é removido do local.
O assistente de economia e membro da diretoria da Fecomércio (Federação do Comércio do Amazonas), José Fernando Pereira da Silva, reforça o pedido para que seja implantado o sistema no Centro de Manaus. “A situação de veículos no centro da cidade precisa ser regulamentada. Eu acho que a medida de estacionamentos Zona Azul deveria ser posta logo em prática. A Zona Azul é a única solução para o Centro de Manaus” afirma. José Fernando também afirma que a Fecomércio está buscando solucionar e dar ressonância aos apelos do comerciantes. “Já tínhamos conhecimento da situação. A circulação de veículos no Centro está entre as ações prioritárias da Fecomércio junto ao Executivo e legislativo municipal.
Proprietária de uma loja de roupas no Centro, Ana Teixeira, reforça o apelo. “Não tenho dúvidas que aumentaria a clientela da loja. A rotatividade de veículos aqui na frente faria com que muitas pessoas visualizassem o conteúdo da loja e se interessassem pelos produtos. Além de facilitar a vida dos clientes que já possuímos”, comentou. No inicio do ano a criação da Zona Azul estava entre as medidas estudadas pelo secretário da SMTU (Secretaria Municipal de Transito Urbano) e Manaustrans para solucionar o problema de estacionamento no Centro da cidade.
Para denunciar reservas de vagas para estacionamento em vias públicas, ligue 0800 092 1188.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email