6 de maio de 2021

Vacina já! Contra a Covid-19 e a ignorância

O artigo urge pela defesa da ciência, saúde e vida do povo

Recentemente, o renomado astrofísico Dr. Neil deGrasse deu uma injeção de ânimo ao Brasil, escreveu no Twitter e no planetário Hayden <https://bit.ly/322QvXT>, uma carta de incentivo à C&T brasileira. Nela ele lembrou do céu estrelado de nossa bandeira, exaltou Santos Dumont, Embraer, Tecnologias dos Biocombustíveis, mas a melhor parte foi “Os países que mais passam por dificuldades no mundo tendem a ser aqueles com baixos níveis de instrução e com ausência de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática em sua cultura. Você tem os recursos e o legado para liderar toda a América Latina, se não o mundo, no que um país do futuro deveria ser—no que um país do futuro deveria aspirar ser”.

Como seria bom se as palavras do Dr. Neil estivessem sendo proferidas e transformadas em ações concretas por nossos presidentes, ministros e governadores nas últimas décadas, porém, a ganância e ignorância estão impedindo.

Por exemplo, desde 2014, a organização Inglesa Ipos Mori, em parceria com a Royal Statistical Society e King`s College London, divulga uma pesquisa internacional chamada “Perigos da Percepção”, a qual avalia o quanto os países têm noção equivocada sobre a própria realidade, ou seja, quanto maior a diferença entre percepção e realidade, maior a “ignorância” da população. A cada avaliação eles mudam o foco, sendo que o Brasil tem tido péssimo desempenho <https://bit.ly/3kOu6EZ>:

a) Em 2015 o Brasil ficou em 3o lugar entre 33 países; b) Em 2016, ficou no 6o lugar entre 40 países; c) Em 2017, ficou em 2o lugar entre 38 países; d) Em 2018, ficou em 5o lugar entre 37 países. O único ano em que fomos destaque foi em 2020, ficando no 32o lugar, entre 32 países, ou seja, o “menos ignorante”, mas olhem só o tema “Causas da Morte”, será que estamos nos especializando em violência, terrorismo, conflitos, drogas, álcool, suicídio, doenças e infecções?

Para não dizer que isso é implicância de gringo, trago outro levantamento feito pela ONG Ação Educativa em parceria com o Instituto Paulo Montenegro, o qual calcula o Indicador de Analfabetismo Funcional (INAF), que desde 2001 mede os níveis de Alfabetismo da população brasileira entre 15 e 64 anos. Em 2018, o INAF apontou que cerca de 3 em cada 10 brasileiros são considerados Analfabetos Funcionais, ou seja, têm dificuldade para fazer uso da leitura e da escrita e das operações matemáticas em situações da vida cotidiana, tais como reconhecer informações em um cartaz ou folheto ou ainda fazer operações aritméticas simples com valores de grandeza superior às centenas <https://bit.ly/3oMyg2r>.

Chama a atenção que nessa parcela de analfabetos funcionais, há pessoas com certo nível de escolaridade: 17% com o ensino médio e 2% com nível superior. Então fica fácil entender como muitos brasileiros se tornam facilmente vítimas de políticos, empresários e marqueteiros oportunistas, especialmente em época de eleições, pior ainda durante a pandemia, pois vidas são perdidas.

Para exemplificar, veja como na pandemia o Bolsonaro, seus generais, aliados e seguidores têm levado para o cemitério centenas de vidas preciosas.

Segundo a Statista, Jair Bolsonaro, entre jan/19 e ag/20, disseminou 1624 fake news ou informações distorcidas <https://bit.ly/2GNdH4n>. E quando checamos os discursos sobre a Covid-19, entre jan/20 e ag/20, descobre-se que o Presidente do Brasil, o “Capitão” do Exército, exaltado pelas “Forças Armadas”  espalhou 640 fake news ou informações distorcidas sobre a pandemia <https://bit.ly/3aJvaWx>, sem contar a adoção de comportamentos que estão jogando o país no obscurantismo, sendo reverberado por outros tão irresponsáveis quanto o ídolo, a saber:

1o) Evangélicos: Pastor Edir Macedo afirmou em mar/20, por meio de vídeo no Youtube que as pessoas não deveriam se preocupar com o coronavírus. A afirmação do pastor bolsonarista foi tão diabólica que Youtube tirou de circulação por violar os termos de serviços da empresa. Vale ressaltar que essa mensagem criminosa circulou entre milhares de fiéis evangélicos, e para lascar a vida dos irmãos, um lobby se juntou ao Mito para manter as igrejas abertas no mês de abril/20, com uma quantidade enorme de pastores criticando o isolamento social, continuando os cultos, jejuns e aglomerando pessoas <https://bit.ly/2HKJeoF; https://bit.ly/3jOSYLx; https://bit.ly/3jMXsSR>. O resultado foi desastroso, contágios em efeito cascata aconteceram nas igrejas evangélicas, com centenas indo para o cemitério, especialmente os pentecostais ligados à base evangélica que apoia o Mito <https://bit.ly/3egEwdR; https://bit.ly/3oUJLVR; https://bit.ly/3jO0wOy; https://bit.ly/320oobO; https://bit.ly/35XVKJg; https://bit.ly/2GjeFpl; https://bit.ly/35Xa8BJ);

2o) Militares e parlamentares: o militar e senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) gostava de postar nas redes sociais posicionamentos similares ao do mito, fazendo campanha contra o isolamento social, a favor da cloroquina, com direito a manipulação de dados, mas morreu após pegar Covid-19. E vários casos de bolsonaristas militares, parlamentares ou seus familiares também morreram <https://bit.ly/2TJ08Gp; https://bit.ly/35R1nJu; https://bit.ly/3mImZyp; https://bit.ly/3oNrXf6; https://bit.ly/3entsMb >;

3o) Empresários: o empresário bolsonarista Manoel Balbino, dono de uma fábrica de bolos em Natal também usava as redes sociais para esnobar da Covid-19, o resultado da negligência foi a perda do filho. Outro empresário bolsonarista vítima da Covid-19 foi o Sr. Weyne Vasconcelos <https://bit.ly/3836skC>, semanas após ele atender ao pedido do Mito para participar do protesto contra o Congresso e STF em plena pandemia. A irracionalidade do empresariado bolsonarista foi gritante, com discursos negacionistas que se mostraram falsos ao longo do tempo, bastando pesquisar entre os meses de fevereiro e maio/20 sobre o que foi dito pelo Hang, Justus e Durski, muito mais preocupados com o bolso do que com a vida do povo.

4o) Médicos: médica Lúcia Abrantes em mar/20 por duas vezes minimizou nas redes sociais os riscos da Covid-19 e ainda fez campanha em prol de uma carreata pela reabertura do comércio em Recife, organizada por empresários e qual foi o resultado? ela foi internada ainda em março/20 e faleceu de Covid-19 em abril/20 <https://bit.ly/380LuCF>. O médico bolsonarista Élio Marson também fez coro ao mito <https://bit.ly/3jSlRWV>, mas lamentavelmente foi silenciado pelo vírus.

Então bolsonaristas abram a mente, estudem os artigos 196 a 200 da CF, muitos que deram ouvidos ao seu ídolo morreram, o Brasil é o 2o pior país do planeta em termos de mortos e essa pandemia vai demorar a passar. É preciso adotar uma postura mais crítica, uma cultura de valorização não somente pela C&T, Engenharia e Matemática, mas pela vida. Neste sentido, há muito o que aprender com Vietnã, Taiwan, Tailândia, China, Malásia, Cingapura, Coreia do Sul, Nova Zelândia, Austrália e Japão pois eles têm sido os melhores em salvar vidas <Fonte: https://ijier.net/ijier/article/view/2710/1877>, com presidentes e ministros adotando liderança exemplar, seguindo os protocolos de segurança, dando apoio ao empresariado, ao povo e ao desenvolvimento de vacinas.

Finalmente, será que não está na hora de ouvir mais os cientistas, a OMS e cobrarmos por vacinas já! não somente contra a Covid-19, mas contra a ignorância e ganância secular que persistem em matar nosso povo?

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email