Uvas sem sementes desenvolvidas pelo Brasil serão cultivadas na África do Sul

A assinatura de contrato entre a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agro­pecuária), vinculada ao Mapa

A assinatura de contrato entre a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agro­pecuária), vinculada ao Mapa (Ministério da Agricultura Pecuária e Abasteci­mento), e a Colors Fruit Ltd, garantiu a exploração de três novas cultivares de uvas sem sementes na África do Sul. As cultivares BRS Linda, BRS Clara e BRS Morena, desenvolvidas pela unidade da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves (RS), despertaram o interesse de pólos produtores tradicionais de uva de mesa, como Chile e Espanha, que já negociam o direito de uso.
Um contrato de cooperação técnica, assinado no final de outubro, entre a Embrapa e a diretora de pesquisa e desenvolvimento da Colors Fruit, Tersia Marcos, prevê a realização dos testes de VCU (Valor de Cultura e Uso) e procedimentos para a proteção das três cultivares de uva na África. Segundo o gerente do escritório de negócios da Embrapa Transferência de Tecnologia, em Campinas, Edison Antônio Bolson, trata-se de uma oportunidade de negócios para divulgar produtos desenvolvidos pela Embrapa e sua inserção no mercado mundial. “Garantimos os direitos de propriedade intelectual sobre as cultivares brasileiras e também protegemos nossos viticultores da concorrência no mercado com nossas próprias variedades”, completou.
Durante visita à Estação Experimental de Viticultura Tropical da Embrapa Uva e Vinho, em Jales (SP), Tersia Marcos degustou novas seleções de uvas de mesa sem sementes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email