Uma luz no final da linha telefônica

Ao que tudo indica, os deputados estaduais que compõem a Comissão Parlamentar de Inquérito que vai investigar os “furos” das empresas de telefonia estão levando o trabalho muito a sério e não deixarão pedra sobre pedra.
Se assim for, a chance de que o cidadão tenha um serviço melhor ou pelo menos essa expectativa é enorme.
Hoje, além dos preços salgados, os clientes destas empresas convivem com apagões, sinal ruim, assistência técnica pior ainda, serviços de internet pra lá de claudicantes.
Se a CPI realmente realizar a “pesquisa de insatisfação” que os deputados estão propondo vai se deparar com reclamações que talvez nem os próprios parlamentares têm notícia.
Todo dia surge uma novidade no atendimento ruim que as telefônicas prestam. Elas concorrem lado a lado com as concessionárias de água e energia nas reclamações aos serviços de defesa do consumidor, por vezes figurando em primeiríssimo lugar.
Qualquer coisa menor que uma investigação rigorosa e um relatório contundente, com sugestões ao Ministério Público e à própria Justiça não será aceita pelos cidadãos, que certamente estarão muito atentos ao trabalho dos deputados Marcos Rotta (PMDB), Marcelo Ramos (PSB), Adjuto Afonso (PP), Sidney Leite (DEM) e Luiz Castro (PPS), os nomes escolhidos para conduzir a CPI.
O Amazonas agradecerá se estes senhores enquadrarem as empresas, até porque elas também são concessionárias de um serviço público e deveriam estar mais atentas aos interesses da população, ao invés de se preocuparem única e exclusivamente em encher os próprios cofres, já bastante “rechonchudos”.
A partir desta terça-feira, quando os trabalhos começam efetivamente, a ordem é colocar lupa na atuação da CPI. O JC estará vigilante!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email