Uma linha para os pequenos negócios

A iniciativa privada tenta dar mais agilidade à liberação de recursos financeiros necessários para salvar pequenos negócios afetados pela crise do novo coronavírus. Por meio da plataforma digital Estímulo 2020, recursos originados de doações começaram a ser distribuídos na forma de crédito em até 3 dias após solicitado pelo empreendedor.

O objetivo da plataforma é arrecadar, em uma primeira etapa, R$ 100 milhões, que seriam direcionados a 4 mil empresas em dificuldade. Lançada oficialmente em 30 de abril, a Estímulo 2020 conseguiu captar logo de saída R$ 20 milhões, doados em sua maior parte por grandes empresas e empresários apoiadores.

Para ter acesso ao crédito, o empreendedor em dificuldade deve preencher alguns requisitos, como ter receita mensal entre R$ 30 mil e R$ 165 mil, histórico de bom pagador, possuir CNPJ, atuar na Grande São Paulo e preferencialmente nos setores de Comércio e Serviços, e estar formalizado há pelo menos 2 anos, entre outros critérios.

O empréstimo tem carência de três meses e prazo de 15 meses para ser quitado, com juros de 4% ao ano. O valor do crédito liberado equivale a até um mês de faturamento da empresa.

Além do crédito direto, os recursos podem ser usados ainda como garantia para dívidas ou empréstimos já adquiridos pelo empreendedor.

Empresas interessadas em adquirir empréstimo, ou aquelas que desejam fazer aportes de recursos para ampliar a capacidade do fundo de auxílio da Estímulo 2020, encontram informações no site https://apoiandonegocios.org/.

DINHEIRO RÁPIDO

Embora seja exigido do requisitante o preenchimento de cadastro e apresentação de documentos, com extrato bancário, a plataforma se pauta pela análise e liberação rápidas dos recursos.

Agilidade na concessão do crédito é fundamental para a sobrevivência dos empreendedores nesse momento de economia paralisada, como mostra uma pesquisa do Sebrae realizada em abril. O estudo revela que as micro e pequenas empresas conseguem manter as contas em dia por no máximo 23 dias sem faturamento. 

O dado é preocupante, uma vez que, dos 6 mil empresários entrevistados no levantamento, 62% afirmaram ter interrompido as atividades por causa das medidas restritivas. Ou seja, o dinheiro não está mais entrando.

Para cobrir os gastos fixos, muitos recorrem aos bancos. O problema é que, segundo esse mesmo estudo do Sebrae, 60% dos micro e pequenos empresários que buscaram crédito no sistema financeiro tradicional já tiveram o recurso negado.

Em momentos de incertezas quanto ao futuro da economia, os bancos costumam ser mais cautelosos na oferta de crédito a quem não pode apresentar garantias reais, como é o caso das empresas de menor porte.

CAPACITAÇÃO

A iniciativa também busca capacitar o empreendedor por meio de vídeoaulas que tratam de temas como gestão financeira, técnicas de vendas on-line, entre outros.

Assistir a essas aulas é um dos requisitos para ter acesso ao crédito disponibilizado pela plataforma digital.

A Estímulo 2020 é registrada com uma associação sem fins lucrativos. Idealizada pelo empresário do mercado financeiro Eduardo Mufarej, a iniciativa tem como inspiração os relief funds americanos, que ajudam empresas e pessoas físicas em dificuldades.

Por não se tratar de uma entidade do mercado financeiro, a parte operacional envolvendo o repasse dos recursos é realizada por parceiros da plataforma que atuam como correspondentes bancários.

Fonte: Redação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email