Um Novo Normal Exige uma Nova Consciência

A Pandemia da Covid – 19 trouxe um contexto totalmente diferente de tudo o que tínhamos vivido até então. É certo que já ocorreram outras epidemias em diferentes épocas e localidades; todavia, no século 21, não se conhece outra que tenha tal proporção e alcance, mesmo com todo o aparato tecnológico e progresso científico e da medicina que temos atualmente. Um vírus até então desconhecido veio a gerar efeitos devastadores em diversas partes do Planeta, seja em maior ou menor grau.

Estamos todos vivendo as consequências deste fato, até porque a pandemia ainda não foi debelada. Vários tratamentos têm sido experimentados e vacinas foram desenvolvidas em tempo recorde para tentar conter esta carga viral que se torna letal em muitos casos, especialmente em virtude de fatores de risco e/ou falta de assistência médica adequada. Questões estruturais como o déficit de leitos em Unidades de Terapia Intensiva – UTIs, como aconteceu em grande escala no Brasil e no nosso Amazonas, lamentavelmente, foram fatores preponderantes que contribuíram para o grande número de óbitos resultantes do novo Coronavírus. É inegável que a situação da falta de vagas e aparelhagem nos complexos hospitalares não surgiu agora, mas é resultado de muitos anos de descaso e ausência de investimentos suficientes na área da Saúde por parte do Poder Público, o que ajudou a precarizar muito o nosso Sistema.

Mas, independente de tudo isso, cabe-nos ressaltar o fato de que essa nova realidade também nos impôs um novo modo de viver, com a adaptação de hábitos de vida, de higiene e de convivência. Diante disso é necessário frisar que mesmo diante de todos os erros governamentais que aconteceram e/ou acontecem, não podemos nos eximir daquilo que é de nossa responsabilidade fazermos, para evitarmos a propagação ainda maior deste vírus. Medidas profiláticas, como a correta e frequente lavagem de mãos, a higienização com álcool gel e o uso de máscaras, com o devido distanciamento social, mostram-se imprescindíveis. E não é o que temos visto acontecer de maneira generalizada, infelizmente. Na nossa própria Cidade, por exemplo, é indignante constatarmos ser necessário que as autoridades precisem fechar bares, festas clandestinas e aglomerações insanas, que ajudam a majorar o contágio desta doença, prejudicando principalmente os mais idosos e aqueles que possuem doenças crônicas.

Eu, assim como milhares de brasileiros, tenho amigos e parentes que tiveram as suas vidas ceifadas pela Covid – 19. É uma dor muito grande. Contudo, mesmo diante de in circunstâncias trágicas, é lamentável ver como ainda existem tantas pessoas que se comportam de maneira irresponsável, inconsequente e criminosa (uma vez que sabem que determinada atitude pode prejudicar a saúde e/ou a vida de outrem). Não dá para ter complacência com atitudes como estas. É importante, mais do que nunca, que haja uma profunda e verdadeira conscientização da população acerca do perigo iminente dessa patologia (que a ciência ainda não conseguiu conhecer em sua plenitude) para todos.

É necessário que cada um assuma a responsabilidade que lhe cabe neste processo, pois todos nós temos um papel decisivo na preservação de vidas. Outro ponto importante a ser enfatizado é que a nova realidade que vivemos hoje impactou e gerou transformações nos mais diversos segmentos, como nas atividades laborais e comerciais. A Economia também foi atingida de forma contundente por tudo o que aconteceu; por isso precisou se adaptar a este novo momento. Como exemplos, temos o aumento substancial do Trabalho Remoto (Home Office), o incremento de ferramentas tecnológicas de serviços, de dispositivos bancários e o surgimento de novas atribuições profissionais. Tudo isso decorrente da nova conjuntura, que contribuiu para mudanças que vieram para ficar. Em suma; em virtude de tudo o que ocorreu, é necessário que nos reinventemos, procuremos melhorar como seres – humanos todos os dias, pois já ficou mais do que claro que ninguém é melhor do que quem quer que seja. A vida é um sopro (Salmos 144:4 e Salmos 39:5) e mais do que nunca sabemos do valor que têm os momentos em família, de comunhão, de amizade, de demonstrações de afeto e consideração.

Que não deixemos para valorizar aquilo que realmente é precioso somente quando o perdemos. É mais do que necessário que possamos dar o melhor de nós hoje e em todos os momentos da nossa história, como se não houvesse amanhã, literalmente. Que em Primeiro Lugar reconheçamos O Maravilhoso e Todo-Poderoso DEUS que nos criou e nos oferece gratuitamente a Salvação e a Vida Eterna através de Seu Filho Jesus Cristo. Que levantemos as nossas cabeças e prossigamos em nossa jornada, fazendo a nossa parte e não deixando de tomar as medidas sanitárias fundamentais que podem proteger a vida e o bem-estar de nossos familiares, amigos e concidadãos; especialmente porque não sabemos por quanto tempo ainda teremos que conviver em meio a este vírus e suas variantes. Que DEUS abençoe e guarde a todos nós.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email