Há quase duas décadas a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – Abrasel lançava o primeiro Festival Brasil Sabor. Alardeado como o maior cardápio nacional. O festival englobava aproximadamente uma centena de restaurantes em cada cidade que atua somando milhares em todo Brasil. Os restaurantes participantes lançavam um prato novo com forte conotação regional que, depois de lançado faria parte do cardápio deste restaurante. Durante estes anos todos, novos pratos surgiram, muitos mesclando receitas tradicionais com produtos regionais ajudando a consolidar assim o chamado Fusion Food. Muito foi criado e muito se perdeu pelo caminho. Alguns dos restaurantes nem existem mais. O festival, no entanto, resistiu. A competição saudável vem trazendo ao longo dos anos melhoras nos sabores e o fortalecimento da comida regional.

Um tradicional restaurante – a Loppiano Pizza – vem participando desde o início deste festival e alguns produtos lançados lá nos primórdios ainda fazem parte do seu cardápio. Ausente no ano passado porque o festival não aconteceu, este ano lança a Pizza “Pirarucu à Pororoca”. É a coroação do Fusion Food, porque prepara a pururuca a partir do pirarucu. O peixe, embora não seja pescado na pororoca é regionalíssimo e o restaurante prepara o torresmo com ele associando pururuca (modo de preparar) com pororoca que tem associação com o rio Amazonas.

Fazem quinze mil anos ou mais que o homem descobriu o fogo. Desde lá está aprendendo a comer alimento cozido ou assado. Apesar deste total domínio, todo o santo dia surge um preparado novo. Em casa, mães e pais criam pratos surpresa para a família, muitas vezes reaproveitando sobras da refeição anterior. Assim mesmo ou por isso mesmo, sobra muito espaço para criatividade. Enquanto as mães amorosas soltam a criatividade para sempre trazer uma novidade sem estourar o orçamento doméstico, assim também restaurantes tentam manter uma clientela ávida por consumo, porém com o  orçamento reduzido principalmente por conta da pandemia. 

A intenção de oferecer sempre produtos novos, sem mexer no preço tem sido o desafio de todos os que ficaram parados, sem renda, por um ano inteiro, com um pequeno intervalo. O custo da doença e a consequente desativação das atividades econômicas fizeram com que alguns comerciantes nem tenham dinheiro suficiente para reabrir suas casas. Para aqueles que estão conseguindo reabrir surge um enorme ponto de interrogação: os consumidores terão condições de comprar produtos que não sejam de primeira necessidade? Um restaurante não pode praticar os mesmos preços do supermercado, mas precisa convencer sua clientela que ela também tem custo ao preparar suas refeições em casa e que assim o restaurante não é uma extravagância.

Voltando à pizza nossa de cada noite: a criatividade da Loppiano Pizza provavelmente veio para ficar. Talvez os italianos, criadores da pizza, torçam o nariz ante a novidade. Contudo, lembremo-nos de como ela surgiu na Itália. Massa de trigo vindo da China, os tomates vindos do México e ingredientes da horta vindos do quintal, além dos embutidos que os próprios italianos produziam. Então ela já nasceu como fusion food e não é nenhum pecado criar muito em torno dela. Se os italianos tivessem o privilégio de ter um peixe como o pirarucu à disposição, talvez nem usassem calabresa ou salame nas primeiras pizzas produzidas. Também temos a certeza que se, viajando numa máquina do tempo, pudéssemos oferecer a de Pirarucu à Pororoca aos criadores da pizza, eles aprovariam com louvor. 

Mamma mia!! (Luiz Lauschner)

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email