1 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Turismo rural, sensorial e de inclusão social

O turismo rural é uma modalidade de turismo que está em ascensão nos sítios e terrenos dos arredores de Manaus. Originalmente esse tipo de passeio surgiu há poucas décadas nos estados do Sul e Minas Gerais, para mostrar como era o trabalho e a produção agrícola dos moradores em seus sítios onde impera a natureza. Em Manaus a atividade é recente, e ainda tímida, mas já mostra o seu potencial, como no caso do Sítio Mundo Azul, idealizado pelo casal Jane Maria e Érico, localizado no km 62 da estrada Manoel Urbano, AM 070 (Manaus/Manacapuru). A partir do km 62, segue-se por um ramal de cinco quilômetros até chegar à entrada do sítio.

“Nunca fechamos, nem durante o auge da pandemia. Apenas reduzimos o número de visitantes. O problema nesses últimos meses tem sido a quantidade de chuvas e o ramal, não ser asfaltado, mas com a chegada do verão a pista melhora bastante, sem falar que tivemos a promessa das autoridades de que ele será asfaltado, aí ficará bem melhor chegar aqui”, falou Jane.

O Sítio Mundo Azul tem esse nome em alusão ao autismo, cuja incidência é maior no sexo masculino. Jane e Érico têm um filho autista e idealizaram o sítio, há pouco mais de cinco anos, para o garoto, porém, com o tempo, passaram a receber outras crianças autistas. Com isso o Mundo Azul se tornou no primeiro espaço agro inclusivo do Brasil, onde crianças autistas têm contato direto com as coisas da natureza, do campo, plantas e animais de criação.

“Então vimos que os familiares dessas crianças também se beneficiavam com o ambiente. Foi quando resolvemos abrir o Sítio a todos que buscam um pouco de tranquilidade, em contato com a natureza, longe da agitação de Manaus”, disse. 

Sítio tour

No imenso portal de entrada do Mundo Azul chama a atenção um menino, vestido de azul, sentado lá no alto, tampando os ouvidos, sinal característico dos autistas, que detestam barulhos ao seu redor devido à hipersensibilidade auditiva.

O sítio possui cinco hectares de mata praticamente nativa e as atividades desenvolvidas para os autistas podem ser vivenciadas por qualquer dos visitantes. O passeio inicial é chamado de sítio tour. Começa com a ‘Rota dos sentidos’, um caminho com vários tipos de piso, como areia, pedrinhas, madeira, para que proporcionem diferentes sensações. Ao lado fica a estrada azul.

Impressiona o rosto de um ser da mata entalhado no tronco de uma tanimbuca de cerca de 200 anos

“Depois temos a área das ‘Colméias’, somente com abelhas sem ferrão. Lá os visitantes conhecem como é o trabalho das abelhas na produção do mel. Em seguida, o tour chega à área das ‘Ervas aromáticas’ onde se pode sentir os mais diferentes odores das plantas espalhadas nas imediações”, informou.

O próximo local do tour é a ‘Parede da fama’, onde as crianças podem lambuzar as mãos com tinta e deixar sua marca na parede.

O passeio seguinte tem tudo a ver com o turismo rural. É quando os visitantes vão ter contato com animais domésticos do sítio como patos, galinhas, cavalos, coelhos, ovelhas, porquinhos da Índia, gansos e marrecos. As aves que gostam d’água têm um imenso lago artificial onde podem nadar e mergulhar à vontade.

“Muitas das crianças que vêm aqui, e até adultos, nunca tinham tido um contato direto com esses animais, e ficam maravilhados”, acrescentou.

Encerrando essa parte do sítio tour, piscinas temáticas no formato de borboleta, flor e uma imensa lagarta podem ser usufruídas por todos.

Parcão e surpresa    

A segunda parte do sítio tour começa com o ‘Passeio na floresta’, quando o contato com a natureza é o mais real possível. Por caminhos em meio a árvores centenárias, sente-se a umidade da mata, ouve-se o som de animais e o canto dos pássaros, em especial do capitão do mato, que emite belas notas quanto pressente alguém entrando em seu território. É considerada a ave mais barulhenta da Amazônia. Chama a atenção nesse passeio o rosto de um ser da mata entalhado no tronco de uma tanimbuca.

Jane Maria, “então vimos que os familiares dessas crianças também se beneficiavam com o ambiente”

“Segundo um pesquisador que veio aqui, essa tanimbuca teria uns 200 anos. Todo mundo que a vê quer saber de quem é esse rosto e lhes dão os mais variados nomes”, informou Jane.

Finalizando esse passeio, um redário, no qual as pessoas poderão conversar e descansar.

“Criamos o túnel dos ipês, que já estão plantados, mas deverão florir somente daqui a uns dois anos, e desenvolvemos o agroflorestamento, onde plantamos árvores frutíferas e plantas com produção mais rápida, como bananeira e macaxeira, numa cultura consorciada”, contou.

“Os visitantes que vierem ao Mundo Azul, agora com a chegada do verão, encontrarão uma surpresa: o ‘Parcão’, uma área própria para deixar seus cães para que os animais possam se divertir junto com seus donos. Nos próximos meses estamos planejando mais dois lançamentos, mas são surpresa. Tenho certeza que vão agradar e divertir ainda mais os visitantes”, finalizou.     

O Sítio Mundo Azul fica aberto para visitação nos finais de semana, com capacidade até 50 visitantes, e durante a semana com visitas exclusivas para uma única família que fechar o pacote. O horário das visitas é de 9h às 17h em ambos os casos. Informações: 9 8218-1321, ou pelo Instagram: @sitiomundoazul.

***

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email