Turismo em Movimento chega à “Terra da Laranja”

O Turismo em Movimento pretende conectar os operadores de turismo de Manaus com os prestadores de serviços do município de Rio Preto da Eva (distante 79 km de Manaus). O evento foi realizado nos dias 29 e 30 de junho, na Secretaria Municipal de Planejamento, Agroindústria, Comércio e Turismo (SEMPLACTUR) que fica localizada ao lado do Balneário Municipal. 

O evento organizado pela Amazonastur teve a participação de diversos órgãos municipais e estaduais além do Sebrae Amazonas e contempla orientações mercadológicas, formalização empresarial, gestão, projetos, financiamentos, licenciamentos, sessão de negócios entre operadores da Capital e do município. O especialista do Sebrae, Carlos Fábio de Souza ministrou a palestra de orientação para sessão de negócios aos empresários do ramo de balneários e hotelaria de Rio Preto da Eva. Teve também a regularização das empresas no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur).

Nova batalha na regulamentação do transporte hidroviário

O estado do Amazonas tem o maior rio do mundo e até hoje não possui uma navegação regulamentada, diferentemente dos demais estados do Norte que têm uma navegação normativa. Em Audiência Pública realizada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), no dia 22 de junho, os setores da navegação do estado foram ouvidos sobre as reivindicações do setor e também sobre o Projeto de Lei 44/2020, enviado pelo Poder Executivo à Casa Legislativa,  que regulamenta o transporte hidroviário de cargas e passageiros do Amazonas. 

Para alinhamento desse modal, o presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, e gestores de várias instituições, se reuniram dia 29/6 com o diretor-presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados e Contratos do Amazonas (Arsepam), João Rufino Júnior para levantar vários aspectos importantes sobre o Projeto de Lei que trata da regulamentação do transporte hidroviário que está tramitando na Aleam.  

Para a Presidente da Associação dos Navegantes dos Estado do Amazonas, Raiugila Torres, a questão da readequação dos empresários para a mudança dos barcos de madeira para embarcações de ferro ou aço é de extrema necessidade que o governo estadual apresente uma contrapartida para a readequação necessária.

“Continuamos há mais de 20 anos com o mesmo problema, falta de infraestrutura portuária. Por esse projeto somos obrigados a ter um banheiro para deficiente, mas simplesmente não temos acessibilidade no porto. Não podemos deixar hoje o estado fazer uma má intervenção no nosso setor. Não se fala aqui sobre a contrapartida do Governo. Fala-se em gratuidade para estudantes, mas não se fala quem vai pagar essa gratuidade. Uma má intervenção na economia do  setor vai nos falir. Nós precisamos ter garantia do estado para competir, porque as melhores embarcações não são nossas, são do Pará”, desabafou Raiugila Torres. 

O setor de navegação do estado adverte o governo sobre as providências na infraestrutura dos portos dos 62 municípios do Amazonas, onde 95% das pessoas utilizam os barcos como meio de transporte usual.

PARABÉNS MAUÉS !

Foto: Divulgação

A Terra do Guaraná completou 188 anos no dia 25 de junho. A cidade possui um sítio arqueológico onde os primeiros estudos apontam para artefatos com mais de 400 anos. A Ilha ou Costa da Vera Cruz é considerada um atrativo fascinante, fica em frente à sede do município, região ecológica marcada por praias, igapós. A sua população simples e hospitaleira é composta de 50 mil habitantes e tem o dobro da média nacional de pessoas com mais de 80 anos. O estilo de vida e a dieta natural dos ribeirinhos são algumas das principais apostas para tanta longevidade. A principal fonte de renda do município gira em torno da cultura do guaraná e do turismo.

Os turistas que anseiam conhecer a cidade não podem deixar de visitar as belezas naturais, como cachoeiras, grutas, reservas indígenas, reservas de desenvolvimento sustentável e muitas praias de tirar o folêgo.

Brasil lidera a recuperação no Turismo das Américas

O Brasil foi escolhido para representar a região das Américas e Caribe no Conselho Executivo da Organização Mundial de Turismo (OMT) – agência especializada das Nações Unidas responsável pela promoção do turismo. Com isso, participa das discussões e da definição dos planos de recuperação e retomada do turismo mundial, liderando a agenda na região das Américas até 2025. A indicação do país foi feita pelas maiores autoridades do Turismo, após uma votação com 24 países durante a 66ª Reunião da Comissão Regional da OMT para as Américas.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, comemorou a eleição do Brasil. “Acredito que é um reconhecimento às políticas adotadas pelo nosso governo em apoio ao setor de turismo para reduzir os efeitos da Covid-19. As ações envolveram desde a flexibilização de salários e jornadas de trabalho (MP 936); à regulamentação das relações de consumo no segmento (MP 948) e à garantia de R$ 5 bilhões para capitalizar empreendimentos do setor com taxas e prazos diferenciados (MP 963) por meio do Fungetur”, exemplificou.

No ano passado, o Brasil já havia sido escolhido para sediar o primeiro escritório da Organização Mundial do Turismo na região das Américas. O país pontuou os esforços contínuos do governo para vacinação de toda a população adulta com pelo menos uma dose até setembro deste ano para que haja menos discriminação e mais abertura do mercado mundial de viagens.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email