6 de maio de 2021

Turismo ecológico no Amazon Turtle

Há alguns anos os lagos e rios do Careiro Castanho e Autazes vêm se tornando o destino de quem busca fazer turismo ecológico em pousadas e hotéis de selva do Amazonas. Os serviços são praticamente os mesmos, mas cada estabelecimento tem suas particularidades, por isso vale visitar cada um deles, como o Amazon Turtle Lodge, localizado no lago dos Tracajás, no Careiro Castanho.

Atualmente, sem os turistas nacionais ou de outros países, pousadas e hotéis de selva miram o manauara, que cada vez mais se interessa em conhecer a região. No caso do Amazon Turtle, o passeio começa no porto da Ceasa numa lancha que leva os visitantes até o Careiro, passando pelo encontro das águas. No Careiro a viagem continua por terra, pela BR-319 até o ramal do 14, uma via de 17 km não asfaltada, totalizando 57 km. Tanto a estrada quanto o ramal são ladeados por fazendas, várias com criação de gado. A viagem encerra nas margens do rio Mamori, onde outra embarcação aguarda os visitantes para seguir até o hotel de selva. No total o transcurso demora cerca de três horas até o lago dos Tracajás.

“Estamos com dois pacotes para os manauaras: um no qual ele pode ficar de sexta-feira a sábado; e o outro onde pode permanecer de sexta a domingo”, explicou Max Maia que, junto com o irmão Gerson, são os proprietários do estabelecimento. Os irmãos fizeram surgir o empreendimento numa área de 72 ha onde, no passado, existiu uma fazenda de gado, com 48 ha, pertencente ao seu pai, Manoel Batista Maia. Hoje o terreno está totalmente reflorestado com castanheiras, andiroba, copaíba, pau rosa, pau brasil e várias outras espécies de árvores.

Max Maia, hotel de selva no lugar de fazenda de gado
Foto: Divulgação

Turistas no lugar do gado

Max é aquele típico menino do interior, que vem para a capital em busca de melhor estudo e trabalho. Com 12 anos ele saiu da fazenda do pai, mandado para Manaus. Aqui, adulto, começou trabalhando como piloteiro (piloto de lanchas), aprendeu inglês e se tornou guia turístico. Sempre buscando mais, montou a Maia Expedition, agência de turismo para, entre outras atividades, captar turistas no exterior.

“As pessoas que moram aqui não dão valor à rica natureza que possuímos. Foi trabalhando com turistas europeus, principalmente alemães, e americanos, que tomei consciência da importância que dão à Amazônia, e comecei a pensar como eles”, contou.

Em 2009, Max teve a ideia de construir o Amazon Turtle. Terreno, tinha o da família, mas estava sendo administrado por Gerson, que agora criava os gados herdados do pai. Gerson nunca havia vindo para Manaus e o terreno era seu mundo. Ele relutou em acabar com o gado, mas Max conseguiu mostrar que com o turismo ele poderia trabalhar menos e ganhar mais. Quando Gerson percebeu ser aquilo verdade, consentiu na construção do hotel, que foi surgindo aos poucos.

Começaram construindo os cinco chalés de madeira e o restaurante enquanto deram início ao reflorestamento do terreno. Uma gigante castanheira é o símbolo da resistência. Ela não foi derrubada quando da existência da fazenda de gado e permanece no local, agora cercada por outras árvores, crescidas ao longo dos anos.

Inicialmente chalés de madeira
Foto: Divulgação

“Uma das atividades dos visitantes é cada um plantar uma muda de açaí no percurso da trilha”, disse.

Canoa entalhada no tronco

Atualmente o Amazon Turtle Lodge é formado pelos cinco chalés iniciais; o restaurante com capacidade para 60 pessoas sentadas, e um andar superior, único lugar do empreendimento onde há uma televisão e Wi-Fi; bar, redário e uma pequena loja com souvenirs. Mais afastados, três bangalôs estes, em alvenaria, e com vista para o lago dos Tracajás.

“Em 2013 a equipe técnica do filme ‘Rio 2’, esteve hospedada aqui no hotel com o único propósito de captar sons de aves para utilizar na animação”, revelou.

Chama a atenção no local o mobiliário de vários espaços feitos com maciças madeiras de lei. Destaque, porém, para uma canoa no redário, de uns seis metros de comprimento, entalhada na itaúba, pesadíssima, obra ainda de Manoel.

Mobiliário de madeira maciça e o lago dos Tracajás
Foto: Divulgação

“Meu pai construía essas canoas, entalhadas diretamente no tronco da madeira. Essa teve um defeito de fabricação, aquele furo ali no fundo, e ele a quis destruir, mas não o fez, e hoje ela está aqui, um objeto raríssimo de decoração, que ninguém mais fabrica”, destacou.

Uma trilha de 850 metros circunda toda a área do empreendimento. As águas negras do lago são ótimas para banho, e passeios de canoa e caiaque podem ser realizados sem perigo.

Trilha de 850 metros entre as árvores
Foto: Divulgação

“De setembro a dezembro pescadores profissionais podem vir praticar pesca esportiva no lago, mas durante o ano inteiro a natureza amazônica está à disposição de quem a admira”, finalizou.

Informações: 9 9983-7141 e 3613-4683. Site e redes sociais: Amazon Turtle Lodge.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email