9 de maio de 2021

Turismo, a eterna vocação manauara

Manaus é um território luxuoso, é repleta de riqueza, seja por sua linda natureza ou pelas centenas de locais disponíveis para recreação na cidade. O entretenimento é uma proposta em constante crescimento na Região Metropolitana de Manaus, sempre se modernizando e adaptando à realidade momentânea. A cidade se destaca pela sua exuberância, rico patrimônio histórico e por seus famosos cartões postais que de longe despertam interesse nos visitantes brasileiros e estrangeiros.

Quem desembarca em terra baré logo se sente atraído pelas opções disponíveis na cidade; que não são poucas. Apesar de ser um território urbano, a capital do Amazonas é rodeada pelo rio Negro e matas amazônicas, que desenham vários empreendimentos como casas de shows, bares, discotecas, balneários, restaurantes, e os inesquecíveis flutuantes que são os “xodós” dos manauaras. Nos tempos atuais, o entretenimento na região de Manaus tem se destacado pela sua originalidade e criatividade.

Cada quilômetro percorrido é acompanhado por uma opção de lazer, seja dentro do próprio perímetro da cidade quanto aos arredores. Em Manaus a diversão sempre esteve presente em todas as zonas da capital. Nesta edição veremos que o território da antiga Manaós é rico quando o assunto é atrações ao turista. O povo manauara sabe da importância da sua terra e o quanto está privilegiado com os inúmeros passeios à sua mercê, sejam eles com a família em pontos turísticos carimbados ou com amigos em botequins renomados, flutuantes personalizados, boates e outros.

Com uma população de mais de dois milhões de habitantes, quem reside em Manaus tem um leque de opções em divertimento e lazer, nos sete dias da semana. Fabrício da Silva, 26, é manauara e não dispensa um bom local de diversão na cidade. O empreendedor conta que os bares e botequins têm se destacado bastante na cidade e oferece comodidade aos turistas. O crescimento de população frequente em restaurantes e bares aumentou principalmente em áreas residenciais, conforme dados divulgados no primeiro semestre de 2020 pelo Sebrae-AM.

“Costumo frequentar bastante bares, e percebo que a cada semana, cada tempo que passa, novos empreendimentos são aberto na cidade o que gera mais opção para os manauaras”, completa o empreendedor.

O relações públicas Leandro Leite, morador há 28 anos na zona Oeste de Manaus, ressalta que a cidade tem avançado no quesito entretenimento. Ele explica que muitos dos locais recreativos têm se tornado agradáveis por conta do contato próximo com a natureza. 

“Tem muita coisa nova surgindo, Manaus está conseguindo ter ambientes agradáveis, confortáveis pra ficar com a família, e ter ainda contato com a natureza, com o sol, nosso rio Negro, nossa mata e isso é muito legal, é diferente porque saímos dessa zona urbana e daqueles locais comuns”, ressalta.

Leite também elogiou os flutuantes e balneários da cidade e da Região Metropolitana de Manaus. “Os passeios (nos flutuantes) são ótimos, não são caros e conseguimos ter uma diversão muito boa, ver o pôr do sol, a natureza, ter a oportunidade de mergulhar em nosso rio”, enfatiza.

Em Manaus opções de diversão não faltam aos cidadãos manauaras, uma vez que a cidade é rica em natureza e, principalmente, quando citam as lindas e destacadas florestas amazônicas. Elas são símbolos de fortuna para a capital e aguçam a vontade de conhecimento. Na cidade existem diversos locais que oferecem esses cenários deslumbrantes e todos serão descritos com riqueza de detalhes neste conteúdo. 

Além das florestas, o nosso rio Negro encanta centenas de belos balneários, flutuantes, chácaras e resorts, estes que têm tido um crescimento exuberante na cidade e se destacado cada vez mais entre os manauaras e turistas. São 351 anos encantando pessoas, atraindo turistas e cativando todos com a beleza da cidade. Não é a toa que o ditado “Quem come jaraqui jamais sai daqui” se torna realidade e ao mesmo tempo desafiador.

Os desafios do setor

O empresário Lúcio Salles, que há anos trabalha promovendo eventos, explica que Manaus sempre foi uma metrópole rica em entretenimento, explosiva em criatividade e modelos em todos os seus aspectos. Criador de exposições que integram diversos segmentos festivos durante o ano, Salles afirma que Manaus vive uma linha de tempo crescente em relação ao turismo. “Vivemos em um momento único em nossa história, Manaus sempre foi uma cidade viva e alegre em relação ao turismo na Amazônia”, ressalta.

Restaurantes como do Hotel Juma Ópera valorizam o Centro da capital

“Atravessamos neste momento um período de muitas incertezas, onde tentamos traçar metas e estratégias para manter a economia como um todo funcionando dentro de todas as limitações que estamos enfrentando, no mercado de entretenimento não foi diferente, como brasileiros sempre sabemos correr atrás e se reinventar, e foi o que o setor de entretenimento fez, se adequou às limitações do novo normal”, explica.

Chance para todos

Quando falamos que Manaus é uma terra rica, não é por acaso. Todo seu entorno envolve uma conjuntura real de expectativas para pequenos, médios e grandes empresários. Todos que possuem um olhar business tem oportunidade de gerir um negócio para o setor de turismo. Muitos iniciam um negócio após experiências únicas vividas na Amazônia. A ManausCult (Fundação Municipal de Cultura e Turismo e Eventos) afirma haver em constância uma evolução do comércio existente no centro da cidade, assim como crescimento no turismo e ecoturismo na Região Metropolitana.

“Existe um grande potencial na área comercial envolvendo o Centro Histórico de Manaus, na criação de espaços a serem explorados pela iniciativa privada que estimulem a circulação de pessoas e a valorização de nossa riqueza histórica associado à prestação de serviços. Dois exemplos muito bem sucedidos de como isso estão acontecendo são os restaurantes do hotel Juma Ópera e o Caxiri, os quais são amplamente frequentados pelos manauaras que, além de apreciar uma boa refeição, se orgulham de postar fotos com o Teatro Amazonas ao fundo”, explica o diretor-presidente, Bernardo Monteiro de Paula.

De acordo com ele, o turismo regional é um dos setores mais crescentes, conforme pesquisa de mercado. De Paula afirma que as atividades que envolvem a natureza e a valorização da herança amazônica têm sido essenciais. “O Turismo sustentável e o turismo de experiência estão em crescimento em todo o mundo. A vivência de experiências menos “comuns” e mais individualizadas é uma tendência cada vez mais forte no mercado. Hospedagem em comunidades tradicionais, degustação de alimentos orgânicos e regionais, experiências que o visitante só encontra nesta região e que tornam a sua visita única devem ser valorizados”, ressalta.

Em meio a pandemia, houve um movimento crescente em atividades de ecoturismo, segundo o diretor-presidente. “Atividades de rapel, caiaque, passeios de barco, SUP, hidrobike, trilhas estão em alta entre a população e esses serviços certamente também são de grande apelo ao turista nacional e internacional”, finaliza.

Pandemia impacta diretamente atividade

“Investir em empreendimentos de lazer e entretenimento para que o turista passe mais tempo aqui é um caminho que temos que perseguir”, Bernardo Monteiro de Paula, diretor-presidente da ManausCult

No pico da pandemia, em meados do final de abril e início de maio, o turismo sofreu uma dura queda em sua economia, micros e médios empresários tiveram de fechar por no mínimo 60 dias seus estabelecimentos para prevenir a propagação do novo coronavírus. Muitos até tiveram que fechar definitivamente os empreendimentos por falta de recursos.

Os principais empreendimentos da Região Metropolitana de Manaus são justamente os locais mais procurados pelos conterrâneos e turistas, sejam brasileiros ou estrangeiros. Bares, flutuantes, balneários, chácaras e casas de evento são as atrações da cidade, mas no período crítico que o mundo foi atacado pelo vírus o segmento registrou mais de 70% de declínio no setor de agências de turismo e hospedagens em hotéis urbanos e de selva.

Em julho, o setor reabriu dando esperança a milhares de empreendedores, fazendo com que a economia turística se sobressaísse por algum período. Entretanto, na segunda quinzena de setembro, o Governo do Amazonas emitiu um novo decreto com o fechamento, novamente, de locais considerados essenciais para o turismo amazonense. Tudo para salvar vidas. 

O diretor-presidente da ManausCult, Bernardo Monteiro de Paula, explicou que mesmo nesse contexto de limitações impostos pela pandemia ainda houve um acréscimo de atividades de ecoturismo, estas praticamente realizadas de forma individual. “Atividades de rapel, caiaque, passeios de barco, SUP, hidrobike, trilhas estão em alta entre a população e esses serviços certamente também são de grande apelo ao turista nacional e internacional”, explica.

Charme manauara é aperitivo para os visitantes

Locais atrativos e interessantes são o que não falta na cidade, conforme conta o colunista Júlio Ventilari. Segundo ele, tanto o manauara quanto turista possuem um leque de opções em diversos segmentos quando se trata em lazer. “Todos adoram conviver com a natureza. Como bom amazonense, sempre incentivo a exploração de lugares na cidade ou próximos à ela. Nosso turismo é rico tanto na capital quando na Região Metropolitana. Temos vários locais excepcionais e com charme especial, vale a pena conferir todos os locais”, exalta, com toda sua experiência.

Reportagem de Fábio Oliveira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email