Tropas dos EUA e Coreia do Sul elevam alerta após ameaças

O comando da ONU (Organização das Nações Unidas) na Coreia do Sul, liderado pelos Estados Unidos, rejeitou na quinta-feira o anúncio da Coreia do Norte encerrando o armistício assinado ao término da Guerra da Coreia (1950-1953), informou a agência sul-coreana de notícias Yonhap.
Na terça-feira, o regime comunista decretou o fim do cessar-fogo e ameaçou atacar a Coreia do Sul -discurso que fez Seul e Washington aumentarem o nível de alerta das tropas para o nível 2 pela primeira vez desde 2006, quando Pyongyang fez seu primeiro teste nuclear.
Segundo o jornal sul-coreano “Korea Times”, a Coreia do Norte enviou nesta semana mais de 600 mísseis Scud com alcance entre 320 e 500 km e outros 200 mísseis Rodong, com alcance de 1.300 km, para a fronteira com a Coreia do Sul.
Em comunicado, o comando das Nações Unidas afirmou que “o armistício segue em vigor e é vinculativo para todos os seus signatários”, e lembrou que serviu como uma garantia legal do cessar-fogo durante 55 anos.
O regime comunista afirmou na terça-feira que não se sente vinculado ao armistício de 1953, uma retaliação por Seul aderir à iniciativa americana contra o tráfico de armas de destruição em massa que, na sigla em inglês, recebe o nome de PSI. O recado é que haverá reação militar caso as forças de Seul tentem interceptar algum de seus navios.
Essa campanha permite abordar navios e aviões suspeitos de participar da proliferação de armas de destruição em massa, o que Pyongyang considera uma violação dos termos do armistício que assinou em 1953 com China e EUA, este último como representante do Exército sob a bandeira das Nações Unidas.
As duas Coreias seguem tecnicamente em guerra, pois nunca assinaram um tratado de paz, e agora vivem a pior escalada de tensão em décadas, iniciada pelo anúncio de Pyongyang de que realizou “com sucesso” seu segundo teste nuclear na segunda-feira, seguido do lançamento de seis mísseis em três dias e a ameaça de um conflito a qualquer momento caso seus navios sejam interceptados.
Em resposta às ameaças norte-coreanas, as autoridades militares da Coreia do Sul e dos EUA aumentaram na quarta-feira seu nível de alerta, informou a Yonhap.
Pela primeira vez desde o primeiro teste nuclear norte-coreano, realizado em 2006, as Forças Armadas dos dois países aumentaram o nível de alerta “Watchcon” ao grau dois de um total de quatro, quando normalmente se mantém no nível três.
A contagem é feita de forma decrescente. “Watchcon” 2 foi decretado às 7h15”, afirmou o porta-voz das forças militares da Coreia do Sul, citado pelo jornal “The Korea Times”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email