Não é todo dia que se vê um avião com três asas, como este projeto de um avião de passageiros de grande porte proposto pela empresa aeroespacial SE Aeronautics.

E não é só no número das asas que o projeto, batizado de SE200, se diferencia.

As três asas são finas porque elas não têm os tanques de combustível, como nos aviões tradicionais. Em vez disso, o combustível é armazenado em um tanque flexível no próprio corpo cilíndrico do avião, o que permitiu melhorar toda a aerodinâmica.

O SE200 terá 42,6 metros de comprimento e uma envergadura de asas de 35,3 metros.

A sustentação extra garante não apenas um consumo menor de combustível, como também a possibilidade de operação em aeroportos menores, já que o avião consegue pousar e decolar mais rapidamente.

Segundo a empresa, o avião terá um consumo 70% menor em comparação com um avião convencional com a mesma capacidade de carga, o que lhe dará uma autonomia de 16.900 km.

Um estabilizador vertical duplo e dois motores traseiros também são destaque, permitindo que o avião atinja uma velocidade de 1.100 km/h, levando até 264 passageiros.

Tubo único

Finalmente, o projeto é completado com um corpo monolítico, construído por um único tubo integral – os aviões atuais são montados como várias seções tubulares soldadas.

E, em vez de alumínio aeronáutico, a ideia é construir todo o tubo principal de material compósito, que é mais leve.

YouTube Shorts chega ao Brasil para concorrer com o TikTok

Ferramenta lembra o reels do Instagram – Foto: Divulgação

O YouTube Shorts chegou esta semana ao Brasil. A função, lançada inicialmente em beta na Índia em setembro, permite criar e editar clipes curtos de até 60 segundos no celular. Disponível no aplicativo para Android e iPhone (iOS), o recurso funciona de maneira bastante similar ao reels do Instagram e pretende renovar a produção de conteúdo no YouTube.

As informações sobre a nova ferramenta foram reveladas em uma coletiva de imprensa ocorrida na quarta-feira (2). A seguir, confira todos os detalhes sobre como produzir clipes curtos pelo YouTube Shorts.

A nova função do app permite gravar vídeos curtos e verticais pelo celular e vem com um editor embutido. Criadores de conteúdo podem adicionar texto, aumentar ou diminuir a velocidade do áudio e até mesmo adicionar diferentes filtros diretamente da plataforma. Além disso, assim como funciona no reels do Instagram, também é possível salvar no aplicativo os áudios e as músicas que você deseja usar em seus clipes.

Embora siga o modelo tradicional de vídeos de curta duração visto no TikTok e no Instagram, um diferencial do YouTube Shorts é a vasta biblioteca de áudios e canções. Graças a uma parceria com gravadoras e produtoras, será possível usar o próprio catálogo da plataforma como base para remixes e dublagens. Vale dizer que produtores de conteúdo poderão escolher entre disponibilizar ou não seus próprios conteúdos para reprodução no YouTube Shorts.

Novo remédio contra Alzheimer é aprovado nos Estados Unidos

Foto: Divulgação

A Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora sanitária dos Estados Unidos, aprovou – após muitas controvérsias – uma nova droga que promete retardar a progressão do Alzheimer. O medicamento Aduhelm, feito com aducanumab, apresentou evidências de que reduz placas de amiloide no cérebro – cujo aumento está associado ao mal de Alzheimer. O medicamento, fabricado pela farmacêutica Biogen, é o primeiro lançado contra a doença desde 2003.

Até a aprovação do remédio pela FDA, foram anos de pesquisas e bilhões de dólares em investimentos. A venda da droga oferece esperança a milhões de famílias que possuem portadores do mal – que afeta a memória e é conhecida pela falta de boas opções de tratamento. Mas nem todos os portadores da doença devem se beneficiar do aducanumab: médicos acreditam que a droga terá pouco ou nenhum efeito para quem sofre de estágios mais avançados da doença.

Richard Isaacson, diretor da Clínica de Prevenção de Alzheimer do Hospital Presbiteriano de Nova York e Centro Médico Weill Cornell, afirmou à CNN Internacional, durante entrevista, que o aducanumab possui como alvo a fase sintomática mais precoce da doença, chamada de comprometimento cognitivo leve. “Temos que moderar as expectativas e explicar às pessoas que esta droga se destina às primeiras fases sintomáticas”, explicou.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email