Transporte de passageiros movimenta ao ano R$ 3 bi

Ao sair às ruas dos grandes centros urbanos para ir ao trabalho, ir às compras ou passear com a família, é possível ver a grande quantidade de ônibus de fretamento que circula nas ruas e avenidas brasileiras. Cada um deles é responsável por retirar 15 veículos pequenos de circulação por dia, reduzindo consideravelmente o tráfego. O setor responde pela movimentação de R$ 3 bilhões anuais no país e agrega cerca de 16 mil postos de trabalho no Estado de São Paulo.
Para Maurício Marques Garcias, presidente da Fresp (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo os números servem para evidenciar e demonstrar a importância do setor tanto na área econômica, como na geração de empregos.
“Com a quantidade de mão-de-obra empregada, somando motoristas e pessoal das áreas administrativas, são mais de 16 mil pessoas. Vemos que a atividade de fretamento legal é uma ação em cadeia para a sociedade. Num país que apresenta um quadro de desemprego enorme, somos fonte geradora de empregos formais”, disse Garcias.
Garcias assegura que se os postos diretos forem somados aos empregos gerados indiretamente o número pode ser ainda maior. “Há ainda as empresas prestadoras de serviços nas áreas operacionais como oficinas mecânicas, limpeza e segurança, responsáveis pela manutenção dos carros e de garagens. Por isso acreditamos que os números sejam bem maiores, mas ainda não há um levantamento preciso e detalhado a esse respeito”, avaliou.

Treinamento de profissionais

O presidente da Fresp explicou que o grande agregador de qualidade aos serviços é a capacitação contínua e o treinamento dos profissionais envolvidos no transporte por fretamento. “O setor preocupa-se com o treinamento e a capacitação das pessoas para gerir com competências as suas atividades, pois, a responsabilidade dos condutores e profissionais, seja em qualquer nível for, é muito grande”, garantiu.

Centros urbanos

“Como é de conhecimento geral, o trânsito é caótico nos grandes centros urbanos, e por isso nossos profissionais devem estar preparados física e psicologicamente para poderem atuar bem em suas atividades. O transporte de passageiros, em qualquer uma das áreas, exige profissionalismo, capacitação e preparo”, completou Maurício Garcias.
Segundo Garcias, uma das prerrogativas da Fresp é assegurar a qualidade do transporte oferecido pelo conjunto das empresas associadas. Ele afirmou que as empresas associadas à entidade devem manter com a sua classe operacional um nível de excelência. “Um ônibus não sai se guiando sozinho por seus trajetos e a boa imagem da empresa prestadora de serviço é notada quando os usuários entram em um de nossos carros e sentem-se seguros em viajar com um profissional capacitado”, destacou.
Exemplo desse incentivo, segundo Maurício Garcias, é o concurso “Motorista Padrão”, que o Sinfrecar (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento de Campinas e Região) iniciou entre os motoristas daquela área. Participam da iniciativa 24 empresas associadas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email